Edit Template

Câmara reforça circuito e aumenta capacidade de recolha de biorresíduos em Ponta Delgada

A Câmara Municipal de Ponta Delgada reforçou os meios e os recursos alocados ao circuito de recolha de biorresíduos no concelho, um investimento que decorre no âmbito do projecto “Recolha de resíduos de cozinha e mesa – orgânicos” e pretende superar as cerca de 600 toneladas recolhidas pela autarquia em 2023.
Como tal, o circuito de recolha é agora operacionalizado por duas viaturas e duas equipas municipais – quando antes era garantido por apenas uma – o que já permitiu alargar o raio de cobertura e incluir 30 novas entidades no projecto, passando a abranger um total de 148 estabelecimentos ligados aos sectores da hotelaria, restauração e ensino do concelho.
Além disso, com excepção feita ao Domingo, a recolha passou a efectuar-se todos os dias, aumentando significativamente a frequência do circuito que antes era assegurado três vezes por semana nas freguesias da cintura urbana de Ponta Delgada e diariamente na baixa histórica.
Refira-se que as cerca de 600 toneladas recolhidas no ano passado foram entregues a um operador licenciado para a valorização dos resíduos através da criação de biogás e composto.
Também no ano de 2023, a autarquia promoveu alterações ao circuito de recolha, evitando a prolongada deposição deste tipo de resíduos nas ruas de Ponta Delgada, após o encerramento dos estabelecimentos.
O projecto é assegurado pelo Departamento de Gestão Ambiental através da sua Divisão de Resíduos Sólidos Urbanos da autarquia e garante a recolha de matérias orgânicas como legumes, fruta, carne, peixe, cascas de ovos, pão, bolos, e borras de café.
Aos aderentes do projecto “Recolha de resíduos de cozinha e mesa – orgânicos” é entregue gratuitamente um contentor de cor castanha para a colocação dos resíduos orgânicos. Paralelamente, o município garante acções de formação junto do staff e dos responsáveis do estabelecimento para explicar o funcionamento dos circuitos de recolha bem como o modo de utilização do contentor de resíduos.
Segundo a Directiva (UE) 2018/851, artigo 22º, os biorresíduos deverão ser separados e reciclados na origem, ou são recolhidos selectivamente e não são misturados com outros tipos de resíduos.
O Regime Geral de Gestão de Resíduos definiu a separação na origem dos biorresíduos provenientes de actividades da restauração e industrial até 31 de Dezembro de 2023, salientando que a infracção identificada na presente informação pode constituir a contra-ordenação segundo o artigo 22º da Lei n.º 50/2006, de 29 de Agosto sendo para pessoas colectivas o valor de 2 000 euros a 18.000 euros no caso de negligência.
Em Ponta Delgada, a iniciativa “Recolha de resíduos de cozinha e mesa – orgânicos” decorre em simultâneo com os projectos “Agir para Prevenir” e o de “Monitorização de Separação de Resíduos de Embalagem Selectiva”, também eles programas municipais de educação e sensibilização ambiental.
Actualmente, os três projectos ambientais abrangem 204 entidades do concelho, das quais 56 dizem respeito a estabelecimentos de ensino e 148 a estabelecimentos de restauração, cantinas e unidades hoteleiras.
O projecto “Recolha de resíduos de cozinha e mesa – orgânicos” arrancou em 2020 e até 2023 manteve-se com 118 entidades aderentes.

Edit Template
Notícias Recentes
“Estamos Preocupados; É preciso maior promoção do destino Açores”
Ilídia Quadrado nega ter sido convidada para portos dos açores
Açores já têm um guia para contratar Estrangeiros
Polícia Marítima detecta irregularidades em barcos de pesca em S. Miguel
Ribeira Grande assinala Dia Municipal do Bombeiro
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores