Edit Template

Atlânticoline, S.A. empenhada em alcançar entendimento com SIMAMEVIP

De acordo com um comunicado enviado à redacção a Atlânticoline esclareceu que “não existiu qualquer intransigência negocial” desta, encontrando-se assim empenhada em alcançar um acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Marinha Mercante (SIMAMEVIP) que apresentou, no passado dia 21 de Fevereiro, um aviso de greve.
A Administração da Atlânticoline expõe que o processo negocial apresentado pelo Concelho de Administração ao sindicato oferece “propostas no sentido de valorizar os Trabalhadores, sem colocar em causa o equilíbrio económico-financeiro da empresa.”, salientando que “o SIMAMEVIP exigiu um aumento salarial de 15% em todas as categorias e níveis salariais, estendendo-se a outras rubricas como diuturnidades, subsídio de refeição, abono de falhas e ajudas de custo, sem apresentar qualquer fundamento ou contrapartida para esses aumentos”, aumentos estes que não são comportáveis para uma “empresa do Sector Público Empresarial Regional.”
Por outro lado, a Administração declarou que existiram “aumentos substanciais há dois anos, aquando da última greve, visando valorizar todos os Trabalhadores.”, tendo ficado definido “o aumento automático de todos os trabalhadores “aquando e no valor do aumento da Remuneração Mínima Mensal Garantida Regional” – n.º 7 da cláusula 2ª do Acordo de Empresa. Esta cláusula implicou o aumento automático mensal a todos os colaboradores em 57,75€ (2023) e agora em 63,00€ (2024). Tal cláusula tinha como contrapartida, como ficou lavrado em ata de Março de 2023, devidamente assinada pelas partes (Atlânticoline, Sindicato e Direcção de Serviços do Trabalho), o compromisso do SIMAMEVIP em rever o Acordo de Empresa, que se encontra desajustado à actual actividade da Atlânticoline.”, reforçando ainda que o SIMAMEVIP “não só se mostrou indisponível para cumprir o compromisso, como veio exigir novos aumentos, sem que o Acordo de Empresa fosse revisto.”
A Administação explicou ainda que como vem acontecendo há dois anos, “sempre que se aproxima um acordo, o SIMAMEVIP efectua novas exigências, mesmo sem que tenha demonstrado qualquer abertura para negociar.” E que apesar de a mesma ter demonstrado a disponibilidade para um novo aumento em “todas as categorias profissionais e também no subsídio de refeição”, o sindicato tornou a apresenta uma nova exigência, a de “um aumento de 21,6%, quando a proposta da Atlânticoline já havia sido validada por 93% dos trabalhadores em reunião geral interna.”
“Apesar do SIMAMEVIP ter recusado, até esta data, qualquer processo negocial, limitando-se a apresentar exigências, o Conselho de Administração da Atlânticoline, S.A., mantém toda a disponibilidade para negociar de forma assertiva, valorizando os seus profissionais, desde que o Sindicato assuma o seu compromisso de revisão do Acordo de Empresa.”, finalizou.

Edit Template
Notícias Recentes
há 4 médicos por mil habitantes nos açores, abaixo da média nacional
Venda de carros novos dispara nos dois primeiros meses
Câmara de P. Delgada reforça em 60% verbas para as Juntas de Freguesia
Livro reúne testemunhos sobre os 50 anos do 25 de Abril nos Açores
Câmara Municipal de Ponta Delgada e Greenvolt entregam Bolsas de Mérito a alunos do ensino secundário
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores