Edit Template

Câmara de P. Delgada anuncia mini-buses gratuitos para estudantes e pessoas com mais de 65 anos

O Presidente da Câmara de Ponta Delgada anunciou ontem que, “em benefício da mobilidade dos nossos cidadãos, os mini-buses de Ponta Delgada passarão a ser totalmente gratuitos para todos os estudantes, desde o ensino básico ao universitário, e para os cidadãos com idade igual ou superior a 65 anos de idade, detentores do respectivo passe, ainda nesta Primavera”.
Pedro Nascimento Cabral falava na cerimónia comemorativa dos 478 anos da cidade de Ponta Delgada, que decorreu ontem ao fim do dia no Coliseu Micaelense, com a presença de dezenas de convidados.
O orador convidado da sessão foi Vasco Garcia, Cidadão Honorário de Ponta Delgada, que falou da evolução da cidade e foi muito aplaudido.

Novo estacionamento
subterrâneo em P. Delgada

De seguida o Presidente da edilidade anunciou várias medidas que estão em curso no concelho e outras em perspectiva de avançar nos próximos tempos, como, por exemplo, os procedimentos para aquisição de dois pequenos veículos eléctricos, cada um com capacidade para doze pessoas, destinados aos cidadãos com mobilidade reduzida, para a implementação de um serviço de circuito garantido no centro histórico de Ponta Delgada.
Anunciou, ainda, que o município está a trabalhar na elaboração do caderno de encargos que nos vai permitir lançar a médio prazo o concurso público de concepção/construção da segunda fase do estacionamento subterrâneo da Avenida Infante do Henrique, que partirá desta, na direcção sul/norte, ao cimo da Rua Conselheiro Luís Bettencourt, com uma solução de estacionamento para cerca de 300 viaturas.

Prolongamento da Avenida
D. João III

Pedro Nascimento Cabral anunciou, também, que a edilidade está a desenvolver o melhor projecto para o prolongamento da Avenida D. João III até à Avenida Mota Amaral, que incluirá a construção de uma ciclovia que ligará esta Avenida Mota Amaral até ao Parque Urbano de Ponta Delgada, “beneficiando a circulação verde, que promove a saúde de todos nós”.
“Com tudo o que temos implementado nos últimos anos e com a programação que acabamos de anunciar, sentimos que estamos a progredir no caminho mais adequado com vista ao progresso social, económico e cultural de Ponta Delgada”, acrescentou.
Deu como exemplos os investimentos muito recentes alicerçados na construção de quatro novos hotéis em Ponta Delgada, designadamente, no Campo de São Francisco; na Rua dos Mercadores; na Rua Machado dos Santos, e na Calheta Pero de Teive, a par de outras unidades hoteleiras de referência em funcionamento ao longo de toda a cidade e concelho.
“Do mesmo modo, os investimentos em alojamento locail, assim como a requalificação e abertura de novos restaurantes em Ponta Delgada, demonstram bem a confiança que a iniciativa privada coloca no futuro da nossa cidade e concelho, o que nos dá mais e maior responsabilidade para aplicarmos as melhores medidas no sentido de ir ao encontro das expectativas apresentadas”, sublinhou.
O Presidente da Câmara de Ponta Delgada revelou que, ainda este mês, irá dar a conhecer a personalidade que será a Comissária de Ponta Delgada 2026 – Capital Nacional da Cultura, “que irá projectar a nossa cidade e concelho no plano cultural no país e no Mundo”.

Faltam agentes
da PSP

Manifestou a sua preocupação com a falta de reforço de agentes da PSP em Ponta Delgada, solicitando mais 75 agentes para as diversas esquadras do concelho e disse ter assinado com a PSP o protocolo para a instalação do “Sistema de videovigilância” em diversas artérias do centro histórico de Ponta Delgada, que está presentemente a aguardar aprovação pelo Governo da República.
“Reforçamos a Polícia Municipal com mais 13 agentes, que estão actualmente em formação profissional, para efectuar um trabalho de proximidade com a população do concelho, mantendo uma estreita ligação com a PSP, para dissuadir a prática da denominada pequena criminalidade intimamente ligada ao consumo das ditas “drogas sintéticas”, continuou.
Disse, por outro lado, que a Câmara está a concluir o concurso público para o fecho dos trabalhos do Mercado da Graça, estando o mesmo, após notificação do relatório do júri, na fase de audiência prévia às duas empresas que apresentaram candidatura à empreitada em causa, e prestes a apresentar o regulamento que visa compensar os comerciantes da Graça pelo atraso da mencionada obra, “determinada, como sabem, pela ausência do sistema de combate a incêndios em edifícios públicos, que tivemos a obrigação legal de suprir”.

Central de camionagem
na Sinaga

Prosseguiu dizendo que “continuaremos o nosso “bom combate” com o Governo dos Açores para melhorarmos consideravelmente a acessibilidades às freguesias mais distantes do centro urbano, permitindo trazer mais segurança, conforto e rapidez na deslocação para as mesmas, sobretudo para os Mosteiros, contribuindo de modo indelével para a concretização de uma verdadeira coesão territorial no nosso concelho, que também implica, pela sua importância, a construção de uma central de camionagem nos terrenos da antiga fábrica da Sinaga, na Rua de Lisboa, propriedade da Região”.
Pedro Nascimento Cabral falou, ainda, de diversas obras que decorrem nas várias freguesias do concelho, dizendo que, presentemente, estão a ser projectadas e executadas obras em várias freguesias num investimento que ronda os 10 milhões euros.
“O nosso propósito consiste em desenvolver cada uma das 24 freguesias, assegurando, assim, o desenvolvimento harmónico e sustentável de todo o concelho. Neste sentido, no âmbito dos contratos inter-administrativos celebrados este ano de 2024, preconizamos a maior transferência de verba do Município para as nossas juntas de freguesia. São 3 milhões de euros para que, no âmbito das competências delegadas, as juntas de freguesia possam exercer a sua actividade pública com dignidade, sentido de desenvolvimento e bem estar das suas populações”, disse.

50 milhões de euros
para 300 habitações

No âmbito do Plano de Recuperação e Resiliência, consubstanciado no Programa 1.º Direito do Instituto da Habitação e Reabilitação Urbana, “já apresentamos a candidatura de Ponta Delgada, que representa um investimento de 50 milhões de euros na construção de 300 habitações, encontrando-se a mesma, presentemente, a aguardar resposta por parte daquele Instituto. Assim que obtivermos a respectiva autorização, estaremos aptos para lançar os concursos públicos para a construção das referidas 300 habitações”.
“Mas vamos continuar a trabalhar neste grande projecto, que tem ainda disponível para Ponta Delgada mais 56 milhões euros – recordo que o orçamento total é de 106 milhões euros – com o objectivo de suprir um conjunto de falhas habitacionais para muitas famílias, incluindo as situações de cidadãos que vivem em manifesta exclusão social, nas 24 freguesias do nosso concelho”, sublinhou.
A cerimónia contou ainda com a atribuição de medalhas de ouro e de honra a várias personalidades, empresas e instituições, conforme já noticiamos em edições anteriores deste jornal.

Edit Template
Notícias Recentes
Taxa turística em São Miguel adiada para 1 de Janeiro 2025
ANAC investiga nos Açores se há práticas anticoncorrencias na aviação
“Rotterdam” Hoje em Ponta Delgada com 2.500 Passageiros
Governo dá continuidade à estrutura de missão no âmbito da saúde mental
Normalizadas as ligações aéreas com o Corvo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores