Edit Template

Trabalhadores da Aviação Civil ameaçam com greve na SATA

O Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Aviação Civil (SINTAC) alertou que o caminho seguido pela Administração da SATA “vai acabar com a paz social” no Grupo, criticando o acordo de empresa fechado com outro sindicato.
“O caminho recente seguido pelo CA [Conselho de Administração] do Grupo SATA vai acabar com a paz social que tanto valor tem e que tanto tentamos preservar, esperemos que o Governo Regional, enquanto accionista, tenha outra visão e perceba que este é o pior caminho”, avisa o SINTAC em comunicado.
Aquele sindicato alerta que a situação pode exigir uma “acção musculada” por parte dos trabalhadores.
“A não resolução deste conflito levará inevitavelmente a uma acção musculada por parte do SINTAC”, lê-se na nota de imprensa.
O SINTAC adianta que a SATA “fechou um acordo” com o Sindicato dos Trabalhadores e Aviação (SITAVA) que “simula uma negociação, mascarando-a de benéfica”, mas que “resulta em benefício nulo para a maioria dos trabalhadores”.
Segundo o SINTAC, o acordo entre a Administração e o SITAVA assegura um acréscimo de “25% nas horas extraordinárias a partir da primeira hora” e o “pagamento de mais 50% em dia feriado e alguns dias de férias, dos quais o trabalhador só consegue usufruir se não faltar, mesmo que justificadamente”.
“Este acordo só dá um pequeno retorno a quem fizer trabalho extraordinário e/ou trabalho em dia feriado. Isto significa que para ganhar um pouco mais, o trabalhador tem de sacrificar o seu tempo de descanso”, critica.
O sindicato realça ainda que os “trabalhadores que não façam trabalho extraordinário e/ou não o prestem em dia feriado não têm qualquer acréscimo salarial” e avisa que não aceita a existência de “trabalhadores de primeira e de segunda” na empresa.
“O SINTAC não subscreve este acordo e procurará negociar aumentos salariais reais que estejam em linha com outros acordos recentes em que alguns trabalhadores do Grupo SATA obtiveram aumentos substanciais, muito acima dos 2,9% que a empresa aplicou por acto de gestão às tabelas”, concluiu o comunicado daquele sindicato.
A 2 de Maio, a Administração da SATA cooptou a directora financeira Carla Neto para administradora de forma a garantir a “gestão diária” e a reestruturação do grupo enquanto “aguarda a nomeação” de um novo conselho.
A cooptação surge na sequência das saídas de Teresa Gonçalves da liderança do Grupo SATA e do administrador com o pelouro financeiro, Dinis Modesto.

Edit Template
Notícias Recentes
Natalidade baixou e temos a maior mortalidade do país até aos 50 anos
S. Jorge pede ao governo medidas para combater despovoamento
Doentes de Hemodiálise já regressaram da terceira
D. armando na recepção do papa aos bispos portugueses
Sta. Maria prepara lançamentos suborbitais
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores