Edit Template

Açores obtiveram no ano passado um recorde de 200 milhões de euro sem fundos comunitários

O Presidente do Governo dos Açores, José Manuel Bolieiro, acaba de criar um grupo de trabalho interdepartamental, designado por GTI/FC, com o objectivo de facilitar a execução das tarefas que respeitam à execução dos programas financiados por Fundos Comunitários.
O despacho da criação do grupo e a respectiva composição foi publicado ontem em Jornal Oficial.
“O equilíbrio das contas públicas regionais e a desejada redução da dívida devem ser alcançados pela diminuição das despesas e gastos, em paralelo com o incremento do esforço na obtenção de receitas, nomeadamente as que provêm dos Fundos Comunitários à disposição dos Açores”, lê-se no despacho oficial.
O Governo recorda que foi criado um grupo de trabalho interdepartamental com o objectivo de facilitar a execução das tarefas que respeitam à execução dos programas financiados por Fundos Comunitários, através do estabelecimento de uma rede eficaz de pontos de contacto nos diversos departamentos do Governo Regional.
O trabalho desenvolvido permitiu que a Região obtivesse, no ano de 2023, um valor nunca antes registado de receita proveniente de Fundos Comunitários, que ultrapassou os duzentos milhões de euros, revela o despacho.
Atendendo a que os anos de 2024 e 2025 se revelam da maior importância para a execução do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), bem como para o arranque o Programa Açores 2030, “importa recriar o grupo de trabalho em causa, para que seja dado seguimento ao trabalho entretanto interrompido com a dissolução da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores e, consequentemente, do XIII Governo Regional dos Açores”.
Assim, é criado o referido grupo, composto por representantes de todos os departamentos do Governo.
O GTI/FC tem a sua coordenação a cargo da representante da Secretaria Regional das Finanças, Planeamento e Administração Pública, Ana Margarida de Faria Reis.
Aos representantes das entidades compete articular entre as várias direcções regionais e serviços do respectivo departamento governamental, no sentido de fornecer informações precisas e actualizadas sobre a situação dos vários projectos e operações em curso;
Reportar ineficiências e dificuldades que ocorram e que careçam de articulação com outros departamentos;
Garantir que os elementos relativos aos Fundos Europeus executados pelos respetivos departamentos ou serviços são, atempada e adequadamente, disponibilizados na plataforma https://fundoseuropeus.azores.gov.pt/;
Propor medidas com vista à melhoria do desempenho dos serviços e a uma maior rapidez de resposta.
O GTI/FC deve articular procedimentos e solicitar as informações que se revelem necessárias directamente à Direcção Regional do Planeamento e Fundos Estruturais e à Direção Regional do Orçamento e Tesouro.
O GTI/FC, através da sua coordenadora, deve apresentar, mensalmente, ao Secretário Regional das Finanças, Planeamento e Administração Pública, um relatório detalhado do trabalho desenvolvido e dos objectivos alcançados.
A participação nas reuniões ou em quaisquer outras actividades do GTI/FC não confere aos seus membros o direito a qualquer tipo de remuneração pelo exercício das funções, sem prejuízo do apoio a deslocações e alojamento, a financiar pelos orçamentos dos respectivos serviços de origem.

Edit Template
Notícias Recentes
Natalidade baixou e temos a maior mortalidade do país até aos 50 anos
S. Jorge pede ao governo medidas para combater despovoamento
Doentes de Hemodiálise já regressaram da terceira
D. armando na recepção do papa aos bispos portugueses
Sta. Maria prepara lançamentos suborbitais
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores