Edit Template

HDES poderá ter energia em todo o edifício na próxima semana

Consulta retomadas hoje por telefone e presencialmente no polivalente

O Hospital do Divino Espírito Santo (HDES) poderá ter energia eléctrica em todo o edifício a partir da próxima semana, anunciou ontem a Presidente do Conselho de Administração, no segundo encontro com a comunicação social.
A parte nascente do hospital já tem energia, permitindo a reposição de alguns serviços e nas próximas duas semanas vão ser instalados dois novos postos de transformação.
Segundo Manuela Meneses, a prioridade até agora tem sido a de dar toda a atenção aos doentes e repor o maior número de valências possível.
Por enquanto não é possível apresentar uma data e prazos para a conclusão de trabalhos e reposição de serviços, decorrendo ainda trabalhos de remoção e de limpeza, testes de equipamento, condutas de ar condicionado e inspecção da segurança do edifício.
Foi solicitada a colaboração à Ordem dos Engenheiros, que vão ceder dois especialistas para averiguar todos estes aspectos.
O Grupo de Trabalho criado pelo Governo prossegue o seu trabalho, não havendo ainda conclusões, pelo que não é possível quantificar prejuízos.
A Directora Clínica do HDES, Paula Macedo, anunciou também, na conferência de imprensa, que estão a ser retomadas de forma faseada as consultas, com os serviços de Oncologia já a fazer tratamentos.
Dos 94 doentes oncológicos, 49 já foram chamados e os outros 45 serão chamados na próxima semana.
Nas outras especialidades, muitas consultas vão ser retomadas já a partir de hoje por telefone e também presencialmente no polivalente.
Neste momento estão internados 155 doentes em várias instituições a até agora já tiveram alta 274 doentes.
Continuam 149 doentes evacuados na Terceira, Horta, Madeira e continente, sobretudo doentes para hemodiálise e toda a logística de deslocação de doentes já está a ser feita pelo HDES.
Desde o incêndio já recorreram às urgências das várias unidades de Saúde 2.749 doentes, o que significa que a população continua a recorrer às urgências numa média normal, alertando a médica que os doentes não devem dirigir-se às urgências sem antes contactar o 112 ou a linha saúde.
Já foram efectuadas nas várias unidades 51 cirurgias, 42 em contexto de urgência, sendo que as programadas estão em número muito baixo devido exactamente à falta de capacidade de resposta.
Houve também, até agora, 25 partos.

Edit Template
Notícias Recentes
Natalidade baixou e temos a maior mortalidade do país até aos 50 anos
S. Jorge pede ao governo medidas para combater despovoamento
Doentes de Hemodiálise já regressaram da terceira
D. armando na recepção do papa aos bispos portugueses
Sta. Maria prepara lançamentos suborbitais
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores