Edit Template

ALA faz balanço positivo de 2023 e perspectiva crescimento em 2024

Em comunicado, a Associação do Alojamento Local dos Açores (ALA) fez um balanço positivo do ano de 2023 e com uma perspectiva de crescimento para o ano de 2024, embora realce que “as perspectivas para o início de 2024 não são animadoras: teremos um Inverno muito difícil, com a redução da oferta da Ryanair, sendo que o principal impacto será sentido no primeiro trimestre, com valores a atingir os 30% de redução.”
A ALA assinalou que o encerramento da Base da Ryanair em Ponta Delgada, contribuiu para uma” inversão da trajectória positiva do ano, com uma redução muito significativa na oferta de lugares disponíveis”, resultando a mesma num “grande impacto nos números de época baixa, dificultando a mitigação da sazonalidade, patente no PEMTA, aprovado este ano.”
Embora se avizinhe um inicio de ano difícil, a mesma salienta que “já a época alta deverá ser bastante forte. Assim, é possível antever um novo recorde de dormidas nos AL da Região, tendo também em conta que as reservas estão a acontecer com muita antecedência”, frisando que o próximo ano será também impulsionado pela questão da introdução da Taxa Turística nos Açores. “Este é, no entender da ALA, um assunto que deve ser debatido com sobriedade, tendo em conta a opinião de todos os players envolvidos.”, frisou a associação.
No entanto, a ALA realçou que apesar dos resultados menos positivos, no primeiro trimestre, no que respeita à época alta esta “deverá ser bastante forte”, sendo possível antever “um novo recorde de dormidas nos AL da Região, tendo também em conta que as reservas estão a acontecer com muita antecedência.”, explicou.
Por outro lado, a Associação realçou que irá continuar a “reivindicar a necessidade de promover uma melhor distribuição do fluxo de passageiros desembarcados nos Açores, contribuindo assim para a inversão da evolução negativa registada em algumas das nove ilhas, e compromete-se também a alertar para a necessidade de acelerar a promoção do Destino Açores, tornando-a também mais eficaz e beneficiando as nove ilhas do nosso arquipélago.”
De acordo com a Associação do Alojamento Local dos Açores, o ano ficou ainda marcado pelo programa Mais Habitação, que “previa a implementação de uma Contribuição Extraordinária do Alojamento Local (CEAL), aplicável ao Alojamento Local (AL) de todo o país” e na qual consideram uma injustiça, dada as especificidades dos Açores, no que respeita à “possível aplicação da CEAL à Região, tendo, por isso, iniciado uma ronda de reuniões com os grupos e representações parlamentares da Assembleia Legislativa da Região Autónoma dos Açores (ALRAA), para sensibilizar os deputados para a necessidade de alterar ou eliminar esta injustiça.”
Por seu turno, 2023 foi também o ano na qual foram batidas um milhão de dormidas no Alojamento local, sendo este “um momento importante para a afirmação do AL como tipologia com grande procura no alojamento na RAA. Este ano, o milhão de dormidas foi ultrapassado ainda mais cedo do que em 2022”, referiu.

Edit Template
Notícias Recentes
União Desportiva do Nordeste comemora os 50 anos do clube
2ª edição da formação “Cidadania Digital: Riscos e Oportunidades da Internet”
Bolieiro manifesta oposição à criação de uma taxa turística regional
Actividade ambulatória de Pediatria regressa amanhã ao HDES
Há 5 municípiosnos Açores com mais procura de casas para viver no campo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores