Edit Template

O grande abraço na cidade

E dizer que tudo começou em 1673, quando o bandeirante vicentista Francisco Dias Velho fundou a póvoa Nossa Senhora do Desterro em duas léguas de quadra, na Ilha de Santa Catarina e fez a sua provocação: “A terra é mais que boa, quem disser o contrário mente.”Há 350 anos as palavras proféticas do nosso fundador continuam a ecoar…
“Um abraço na cidade” vestiu o projeto “Floripa 350 & ND TV -Um Abraço na Cidade” .Um ato apaixonado, grandioso, para a cidade se sentir abraçada por todos. Acima de tudo, um abraço provocativo. Era preciso sentir o bater do coração da Cidade Forte e Viva; da Cidade Criativa e Inovadora, da Cidade Exuberante, cujo verdadeiro encanto está na identidade pessoal e coletiva, na sua essência, no entrelaçar de famílias, nas suas memórias e histórias ancestralmente plantadas e que deram bons frutos. Histórias imbricadas na própria história social e política de Florianópolis. Voltamos ao tempo para recordar o vivido, que chegava embalado em boas lembranças, para conhecer as personagens que fizeram e fazem a diferença. Pessoas e instituições foram devidamente reconhecidas e homenageadas com as placas Floripa 350&NDTV.
Do ontem chegaram vozes e imagens de outros tempos que toda gente ansiava partilhar neste longo passeio por Florianópolis, esta moça faceira a festejar 350 anos.
Deambulamos pelo presente, sonhamos o amanhã e ousamos construir um legado para o futuro de Florianópolis, uma cidade desenvolvida, criativa, sustentável, empreendedora e, sobretudo, que respeita o espaço telúrico –o seu território, a dádiva divina que entregaremos às gerações do futuro.
Dez meses de intenso trabalho, troca de experiências e conhecimentos e muita dedicação envolvendo centenas de profissionais do Grupo ND, além dos artistas, escritores, gestores, empresários, parceiros de um grandioso projeto multimídia. Elos de uma grande engrenagem a se movimentar, sob a liderança do seu idealizador Marcello Petrelli, coordenação de Roberto Bertolin ea competência profissional de duas mulheres: Andrezza Oliveira (gestão de conteúdo) e Sarah Espíndola de Castro (produção). Todos imbuídos no desejo de socializar a informação, documentar e contextualizar oferecendo um olhar plural e multicultural, dialogando com a história, a cultura, a literatura, a economia, as tecnologias, o comércio e a indústria e a arte em suas diferentes expressões.
Durante a execução do projeto uma pergunta era recorrente: quantas histórias têm por aí e tão pouco sabemos! Como articular todo o conteúdo levantado, as entrevistas, as histórias e o legado para o futuro e levar o abraço a cada comunidade e como envelopar 350 anos? A solução encontrada foi a criação de dez ciclos de 35 anos cada e mergulhar na trajetória de Floripa ao longo de três séculos e meio.
Os dados quantitativos do realizado conferem o maior significado e retratam a sua amplitude genuína e muito bem-sucedida. Senão, vejamos: foram 550 minutos de reportagens especiais exibidas;20 páginas de conteúdo no Jornal ND; incontáveis conteúdos postados no Portal ND Mais e o caderno especial Floripa 350&NDTV, além de inúmeros eventos culturais e esportivos.
A estratégica constituiu em entregar por todos os Meios de Comunicação Social do Grupo ND um verdadeiro presente de aniversário para a cidade. Valorizar Floripa em sua plenitude. Mostrar a nossa açorianidade de 275 anos presentes nos usos e costumes da gente manezinha. Buscar a rica contribuição dos emigrantes aqui chegados no século XIX e que continuam aportando na Floripa do século XXI. Identificar o legado do desenvolvimento recente e provocar o olhar sobre a cidade que construímos e que queremos no presente e no futuro. Surpreender com matérias exclusivas com temas de real interesse para todos.
Nada foi deixado de lado dentro dos pilares erguidos pelo projeto “Floripa 350 & NDTV”: resgate histórico, celebrações, vida ativa, economia criativa, empreendedorismo, valorização da natureza, vidas reais, cultura e literatura.
O olhar alargado histórico de como tudo começou para ser divulgado e conhecido até abraçar o século XXI e serem escancaradas as janelas da comunicação social para um abração nas pessoas, a prioridade absoluta do Floripa350 & NDTV. Literalmente, abraçamos! Fomos ao encontro das pessoas nas ruas, nas praças, nos bairros e distritosa desvendar a intimidade da cidade, a descobrir no seu recôndito a verdadeira riqueza.
Festas tradicionais seculares como a Festa do Divino e a Procissão dos Passos difundidas, eventos resgatados – o Festival da Pandorga. Acontecimentos esportivos em diferentes modalidades: regatas, campeonato de futebol, maratonas, passeio ciclístico e muito mais. No cenário paradisíaco da ilha foram plantadas 350 mudas de Garapuvu, a nossa árvore símbolo.
Para encerrar, o magnífico Música nas Igrejas. Concertos apresentados em sete igrejas históricas, sob a maestria de Giovani Pacheco e a excelência do Septeto Sinfônica Instrumental, ofereceu a magia da música erudita, sacra e popular envolvendo o público. Música nas Igrejas deixou a marca indelével da emoção coletiva e em particular me trouxe um grande presente na sua última apresentação – o reencontro da amiga de infância Luzia Ribeiro Feijó, do Trio Cruz de Malta, que não via desde 1958.
Coisas do Floripa 350& NDTV! Agora eternizadas por geografias de afetos e para todas as gerações.

Lélia Pereira Nunes*

*Curadora de cultura do projeto;
Floripa 350&NDTV,Um abraço na Cidade

Edit Template
Notícias Recentes
Gastamos mais nos transportes e menos em restaurantes e alojamento - Famílias açorianas têm despesa média anual de 19.400 Euros
Navio ‘Laura’ vai trazer 300 viaturas de Lisboa
PJ faz buscas na escola Antero de Quental
Região conta com mais 94 licenciados em enfermagem a partir de hoje
Novo concurso para reabilitar ruas nas Capelas
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores