Edit Template

Educação e Memórias:A Luz do Passado torna-se Presente

Ensinar e “Aprender a Ser” nas entranhas da vida

Ensinar é, em muito, e cada vez mais deve ser, ajudar a crescer e ser, ajudar a abrir caminhos, através da transmissão de saberes conhecimentos, desenvolvendo capacidades, competências, valores e atitudes que para todos contribuam para sermos melhores Pessoas, Cidadãos e (futuros) Profissionais. Temos de desenvolver a Educação em várias dimensões, desde o Núcleo Essencial que continuará a Ser a Família. É preciso promover, ainda e sempre, uma educação familiar, uma educação comunitária, uma educação escolar, etc, quer em sentidos designados por formais quer em termos informais. Aprende-se em todo o tempo, com todos e em todo o lugar, é a chamada Educação Permanente ou Educação ao Longo da Vida, a primeira numa enunciação decorrente do Francês e a outra de uma tradução anglo-saxónica.
Há tanto para ensinar e tanto para dizer o que é ensinar, aprender, (des)aprender, em busca da compreensão do que é a Sabedoria nas funduras e alturas da e na vida, nas certezas e nas incertezas, nas permanências e dinâmicas. Aprender a Ser, um Desafio da UNESCO, ainda e sempre, um pilar central da Educação, sempre por realizar na sua essência e completude. É tempo de sermos Pessoas, que nos poderia parecer uma evidência!
Urge Ensinar e “Aprender a Ser” nas entranhas da Vida, em Deus, que é o SENHOR da VIDA, e a Ocultação dessa Luz essencial tem provocados estragos em toda a linha, a começar pela Europa, que não soube – não sabe – assumir as suas Raízes Judaico-Cristã. O Leste espreita. A Senhora Ângela Merkel chamou a atenção a tempo e horas, também Tony Blair e outras Figuras da Política, da Educação, da Filosofia, da História, da Cultura, etc.
Ponta Delgada, 07 de janeiro de 2024,
Emanuel Oliveira Medeiros

Tempo, Luz e Memória

O Tempo não apaga o que o Espírito guarda em lembrança de vida. A Vida é esse Mistério que nos oferece tudo de Bom, e menos bom, para nos pôr à Prova, e não mostra, em aparência, o SENHOR da Dádiva da Vida, que é DEUS, que em todos e em tudo se manifesta na Alegria do ser, do Seu Ser. Mas no Seu Filho mostrou-nos que a Compaixão na Santa Cruz é feita de Amor e Dor, no seu Ápice, que só Deus pode experimentar e dar-nos Luz da Luz da Ressurreição, como Verdadeiros Filhos de Deus. Por quê não damos visibilidade a essa Filiação Celestial, a mais profunda e que visa a vida natural e sobrenatural. Será que tomamos consciência do privilégio humano-divino dessa condição de Filhos de Deus. É ao Cristianismo que devemos, até historicamente, a manifestação de nós como pessoas, “já não somos servos mas filhos”. Que Maravilha. Que Liberdade Humano-Divina.
No tempo temos experiências boas e menos boas, – que sejam matéria de luz -, que “o Tempo não acaba”. O tempo com a luz indicam-nos o Caminho. Como os Romeiros somos Caminheiros, em Oração ou Meditação Orante. Mas sabemos o que procuramos? Sabemos Quem procuramos? Para onde caminhamos? Para onde (des) caminha a (des)Humanidade? Só Deus é a Certeza, a Saída, nos dilúvios da vida. Só a luz nos indica e ilumina. Onde procuramos a luz? De que Natureza é a Luz que procuramos? Somos Luz, mesmo que a maior porção do nosso Corpo seja Água. Somos Luz.
Ponta Delgada, 07 de fevereiro de 2024,
Emanuel Oliveira Medeiros

Os Ginetes e a Figura do Padre Dr. António Ferreira Leite e todas as pessoas, individuais e coletivas, que fazem a vida e História dos Ginetes.

O Facebook lembrou-me, hoje, estas Memórias de Luz, Momentos altos, e únicos, na Paróquia e Freguesia de Ginetes, e fundamentais da História, viva e atuante, dos e nos Ginetes, e não só. O Padre Dr. António Ferreira Leite, distinto Professor, – de Saudosa Memória -, marcou, para sempre, e em profundidade, as memórias pessoais e coletivas nos e dos Ginetes, e não só, do Concelho de Ponta Delgada, de S. Miguel, dos Açores. Urge reler o livro, da sua Autoria, “Um Olhar de Observação sobre os Ginetes”, que tive a Honra de apresentar no Salão Paroquial dos Ginetes, na altura repleto de Pessoas. Foi também um Momento Memorável, em si mesmo um Momento de Referência Histórica.
Cabe às sucessivas Assembleias e Juntas de Freguesia dos Ginetes lerem aquele livro onde estão propostas de iniciativa, de alto valor Religioso, Humano, Histórico, Educativo e Cultural, que supera a espuma dos dias. As Entidades são educadas com os valores, Figuras e Obras, que vêm o Passado e se projetam no Futuro e ensinam como gerir, e, nos casos, mais raros, como saber administrar. É preciso saber administrar os bens materiais e espirituais. Um bom livro é um Bem Coletivo. A Humildade é um Valor das Pessoas e das Instituições, e muito mais nos tempos que correm. O Espírito do Bem atravessa e comanda a História, por isso, apesar das barbaridade e monstruosidades, – condenáveis, sem piedade -, Deus mantém a Humanidade, talvez mesmo por Misericórdia.
Os Ginetes e a Figura do Padre Dr. António Ferreira Leite e todas as pessoas, individuais e coletivas, que fazem a vida e História dos Ginetes.
Ponta Delgada, 06 de fevereiro de 2024,
Emanuel Oliveira Medeiros

Pessoas, Instituições e Memórias – Freguesia dos Ginetes

Fotografias Evocativas da VIII Festa Jovem – Homenagens aos Presidentes de Junta de Freguesia de Ginetes (desde o 25 de abril de 1974) e ao Padre Dr. António Ferreira Leite. A Cerimónia, pública, ocorreu no dia 29 de agosto de 1999, no Largo do Tanque, mesmo do Centro da Freguesia dos Ginetes. Foi uma Iniciativa promovida pela Associação da Juventude de Ginetes, já, então, Declarada de Utilidade Pública pelo Governo Regional dos Açores. A Sessão de Condecorações foi Presidida por Emanuel Oliveira Medeiros, então Presidente da Direção da Associação da Juventude de Ginetes. Foi uma Iniciativa, memorável e inesquecível, que mobilizou, em força, e com grande Alegria e manifesto Reconhecimento, o Povo dos Ginetes e muitas outras pessoas vindas de diversas localidades. Do Passado vem sempre uma Luz que alimenta o presente e se projeta no Futuro. Entre outros sítios, este evento está devidamente documentado no livro “Um Olhar de Observação sobre os Ginetes”, da Autoria do Dr. António Ferreira Leite, Figura marcante da História e da Vida Coletiva dos Ginetes. Na Ocasião foi Homenageado como “Homem da Igreja, da Cultura e da Educação”. Feliz do Povo e das Instituições que sabem honrar e potenciar, com humildade, os imensos legados, de vivências conhecimentos, Figuras e Obras – e são tantas -, vindos do passado, com reflexos no presente, em memórias vivas e atuantes, em dinamismo de Futuro.

Ponta Delgada, 06 de fevereiro de 2022,

Emanuel Oliveira Medeiros*

*Doutorado e Agregado em Educação e na Especialidade de Filosofia da Educação

Edit Template
Notícias Recentes
Cardoso Jorge, Presidente da Casa do Povo: “Há falta de creches; só no Pico da Pedra temos 60 famílias em lista de espera”
10 artesãos homenageados no Dia da Freguesia dos Arrifes
Prisão preventiva para suspeito do crime de tráfico de estupefacientes na Ribeira Grande
Já arrancaram os voos da SATA de Toronto e Boston para Funchal
Exposição “Fringe” na ilha de São Jorge
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores