Edit Template

Autarquia de Ponta Delgada atribui mais uma habitação no programa ‘Housing First’

A Câmara Municipal de Ponta Delgada atribuiu a segunda habitação no âmbito do projecto-piloto ‘Housing First’ permitindo apoiar e garantir a entrega de um lar a um cidadão em situação de sem-abrigo, que vai receber um apoio personalizado de serviços de suporte para promover a sua integração na comunidade.
A vereadora responsável pela tutela da Área Social, Cristina do Canto Tavares, diz que este é mais um passo de “extrema importância” naquilo que é o contínuo desenvolvimento do projecto, expressando o seu “profundo orgulho” por todas as “pequenas e grandes conquistas” que já foram alcançadas desde que foi iniciada sua execução.
“Este é mais um desenvolvimento que nos deixa a todos, sem excepção, com uma extraordinária sensação de satisfação e alegria. A concretização de mais uma etapa prova que continuamos focados e a trabalhar com uma equipa motivada e talentosa, capaz de impulsionar a mudança”, salientouCristina do Canto Tavares.
Em Ponta Delgada, o projecto está a ser desenvolvido através de uma colaboração activa e dinâmica entre a autarquia, a Associação Novo Dia e a Associação Crescer, partilhando responsabilidades na operacionalização do mesmo.
A autarca relembra que o conceito central do ‘Housing First’, que tem por base a crença de que cada individuo tem o direito a uma habitação segura e digna, “muda vidas e por consequência, a longo prazo, pode mudar o panorama social do concelho”.
“É muito motivador saber que Ponta Delgada tem um papel activo na construção deste legado. Ao sermos parte integrante deste programa internacional com resultados comprovados, asseguramos que nenhum cidadão é deixado à margem do progresso e da prosperidade”, explica a vereadora do município ao reforçar que “este executivo continua comprometido com princípios de justiça social e solidariedade”.
Relembre-se que para além da atribuição de uma habitação, o ‘Housing First’ procura fazer, a vários níveis, a reintegração de pessoas em situação de sem-abrigo na sociedade, através de um contexto de contínuo apoio técnico-especializado.
No que diz respeito à área social, Cristina do Canto Tavares assegura ainda que o Município vai continuar a procurar “alternativas inovadoras que respondam às necessidades sociais do concelho” e que permitam “acesso aos direitos básicos e às oportunidades necessárias para uma vida digna”.

Edit Template
Notícias Recentes
Desafios da gestão bancária em debate na Faculdadede Economia e Gestão da UAc com Gualter Furtado
Arrancam sessões de apoio aos jovens empreendedores em Ponta Delgada
A última entrevista da Presidente da SATA antes da demissão: “Se este concurso não avançar, o Governo tem até 2025 para concluir com outro concurso”
SITAVA pede ao Governoque “pare imediatamente”com privatização da SATA
Martins Goulart e Mota Amaral e a Lei Eleitoral
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores