Edit Template

Empresas de carros de aluguer queixam-sede redução em 50% na procura na Região

As empresas de rent-a-car dos Açores revelaram que há uma diminuição da procura, em cerca de 50%, de viaturas na Região, devido à diminuição de voos disponíveis para Ponta Delgada.
“Ao contrário do que sucedia anteriormente, em que eram feitos cerca de quatro voos diários pela companhia Ryanair, actualmente esse número é apenas quatro voos semanais”, acrescentam os empresários.
A constatação é feita pela ARAC – Associação Nacional dos Locadores de Veículos, numa reunião das empresas do sector de aluguer de automóveis sem condutor em regime de curta duração (rent-a-car), que ocorreu esta semana em Ponta Delgada e que contou com a presença do Delegado e Vogal do Conselho Diretor representante dos Açores e Madeira, Luis Rego, do Secretário-Geral, Joaquim Robalo de Almeida e de 90% do sector a operar nesta Região.
“Temos a convicção de que o rent-a-car será neste século o porta-estandarte da descarbonização da mobilidade automóvel e da racionalização do número de veículos em circulação, nomeadamente através da alteração do paradigma da propriedade pelo da utilização e à semelhança do que aconteceu no início do século passado com a substituição dos veículos de tracção animal pelos veículos motorizados, o rent-a-car será mais uma vez o motor da transformação da mobilidade”, afirmam em comunicado enviado ao nosso jornal. A frota de veículos de emissões zero disponíveis em rent-a-car já atinge as 3.500 unidades no continente, e as 30 unidades no arquipélago dos Açores, tendo as empresas de aluguer de veículos sem condutor vindo a adquirir um grande número de veículos híbridos, maioritariamente plug-in, com vista a poderem reduzir as emissões de CO2, contribuindo deste modo para um planeta mais sustentável. “Apesar deste investimento, os postos de carregamento ainda são insuficientes – se no continente existem vários postos de carregamento na via pública, com custos reduzidos ou até mesmo gratuitos, nas regiões autónomas estes ainda só se localizam em postos de abastecimento, acarretando custos mais elevados”, acrescentam. As empresas constatam ainda que já possuem meios de entrega e devolução de viaturas com total automatismo com recurso a evoluídas plataformas de reservas, celebração de contratos e disponibilização dos veículos contratados através de quiosques digitais, situação que há alguns anos poderia parecer ficção científica.

Edit Template
Notícias Recentes
Desafios da gestão bancária em debate na Faculdadede Economia e Gestão da UAc com Gualter Furtado
Arrancam sessões de apoio aos jovens empreendedores em Ponta Delgada
A última entrevista da Presidente da SATA antes da demissão: “Se este concurso não avançar, o Governo tem até 2025 para concluir com outro concurso”
SITAVA pede ao Governoque “pare imediatamente”com privatização da SATA
Martins Goulart e Mota Amaral e a Lei Eleitoral
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores