Edit Template

Teresa Gonçalves, Presidente da SATA “A SATA vai divulgar resultados quesuperam metas de Bruxelas”

Apesar das contas do Grupo SATA, relativas a 2023 não estarem ainda fechadas, a Presidente da companhia, Teresa Gonçalves, revela que as receitas devem crescer 30% face a 2022, ultrapassando os objectivos definidos por Bruxelas.
Numa entrevista concedida ao Jornal de Negócios, a CEO do Grupo revela que a empresa terminou o ano com 2,4 milhões de passageiros transportados nas duas companhias.
“Crescemos 25% face a 2022 e 40% face a 2019. Acho que é muito bom porque 2019 foi o grande ano da aviação e a SATA conseguiu resultados muito significativos”, afirma Teresa Gonçalves.

SATA realizou mais 1.400
voos inter-ilhas

Quanto às taxas de ocupação, revela que a Azores Airlines conseguiu chegar aos 82,8%, “o que é muito bom”, enquanto que na SATA Air Açores, “que tem uma operação um bocadinho mais condicionada por ser uma obrigação de serviço público, também superou e mais uma vez cresceu em termos de passageiros transportados e de voos realizados: foram mais 1.400 voos, o que é muito significativo entre as 9 ilhas. Ainda em termos operacionais, as nossas rotas da América do Norte cresceram bastante, cerca de 54% face ao ano anterior, o que também mostra que o trabalho que temos vindo a desenvolver com esta geografia está a resultar”.
Teresa Gonçalves revela ainda que, na SATA Internacional, o EBITDA (resultados antes de juros, impostos, depreciações e amortizações) vai crescer cerca de quatro vezes.
“É muito significativo, porque mostra, efectivamente, que a nossa operação está no caminho certo e estamos a conseguir atingir os objectivos a que nos propusemos.E há aqui um dado muito importante neste momento: a SATA vai divulgar resultados que estão acima do plano de reestruturação que foi entregue na Comissão Europeia. Em 2022 já tínhamos atingido as receitas a que nos tínhamos proposto em 2025 e, em 2023, também conseguimos superar o que estava definido no plano da Comissão Europeia. Acho que isto é muito bom”, sublinha a CEO do grupo.

Novo concurso
para privatização?

Interrogada pelo Jornal de Negócios sobre a possibilidade de ser realizado um novo concurso público para a privatização da Azores Airlines, a Presidente da SATA diz que que desconhece tal intenção, mas adianta que “temos que pensar nas coisas no momento e nas circunstâncias em que estamos. Porque se há um ano faziam sentido determinadas coisas, daqui a um ano se calhar mudou algo e temos de voltar a analisar todas as circunstâncias e o ambiente em que estamos e como a empresa evoluiu, e voltar a pensar um bocadinho o que é que faz sentido ou não no caderno de encargos. Se calhar, há muita coisa que tem de ser ajustada, há muita coisa que tem de ser mudada. Eu acho que temos de olhar para o momento em que a companhia se encontra (…) e para aquilo que evoluiu, para então fazer os ajustes que sejam necessários”.

“Precisamos de
ganhar escala”

Depois de recordar que a privatização da Azores Airlines tem de ficar fechada até ao dia 31 de Dezembro de 2025, por imposição da Comissão Europeia, Teresa Gonçalves afirma que a SATA “claramente precisa de crescer”.
“Já estamos numa fase em que precisamos de crescer para conseguir diminuir custos e ter maior capacidade de oferta. Precisamos de ganhar escala, e essa escala poderá vir, eventualmente, com um parceiro privado. Actualmente a companhia implementou um plano de reestruturação e está a operar normalmente e somos sustentáveis”, conclui na entrevista ao Jornal de Negócios.

Azores Airlines foi a primeira escolha dos turistas
no ano passado

O Grupo SATA anunciou ontem que a Azores Airlines foi a primeira escolha, em termos de companhia aérea, dos passageiros que viajaram para o arquipélago, na época alta de 2023.
“Os passageiros mostraram-se satisfeitos com a qualidade/preço do transporte aéreo nos Açores, tendo 64,57% da amostra expressado grande satisfação com o destino em geral, correspondendo este às suas expectativas”, acrescenta a companhia.
Estes dados foram publicados no Relatório referente à Satisfação dos turistas que visitaram os Açores na época alta de 2023, publicado recentemente pelo Observatório do Turismo dos Açores.
“É com enorme satisfação que testemunhamos a Azores Airlines a destacar-se como a companhia aérea mais procurada no momento de planear uma viagem para os Açores. Estamos muito honrados com esta distinção, a qual reflete o árduo trabalho e dedicação que temos vindo a desenvolver para corresponder às expectativas daqueles que escolhem explorar nosso arquipélago. As companhias aéreas do Grupo SATA são a referência no que toca às viagens para os Açores e no interior do arquipélago confirmando, este inquérito, que os passageiros estão satisfeitos com o serviço que oferecemos” reconhece Teresa Gonçalves, Presidente do Grupo SATA.
Em 2023, a Azores Airlines e a SATA Air Açores foram, em conjunto, responsáveis pelo transporte de 2,4 milhões de passageiros, o que representou um crescimento de 25% em relação a 2022. A Azores Airlines, companhia aérea que assegura as ligações aéreas para o exterior do arquipélago transportou 1,4 milhões de passageiros, mais 33% em relação ao ano anterior, e mais 52%, se compararmos com o ano pré-pandémico de 2019.
A Azores Airlines é a companhia aérea que mais oferta disponibiliza para os Açores, ligando o arquipélago dos Açores à América do Norte, continente europeu, incluindo Portugal continental, e arquipélago da Madeira e, ainda, ao arquipélago de Cabo Verde.
Este ano, adicionará as rotas Ponta Delgada/Milão/Ponta Delgada; Ponta Delgada/ Londres/ Ponta Delgada e, nas rotas domésticas, a ligação Ponta Delgada/ Faro/ Ponta Delgada aumentando, desta forma, os voos diretos ao Arquipélago e as possibilidades de ligação entre a Europa e a América do Norte.
“As companhias aéreas do Grupo SATA desempenham um papel fundamental na promoção e no desenvolvimento do turismo dos Açores, assegurando a conectividade ao arquipélago, complementando-se nas suas operações para oferecer uma experiência no destino diversificada, que permite descobrir várias ilhas num curto espaço de tempo, de forma organizada e cómoda”, sublinha a companhia. Ano após ano, as transportadoras têm correspondido à procura com um acréscimo de lugares oferecidos, resultando no crescimento consistente no número de passageiros transportados, conclui.

Edit Template
Notícias Recentes
Venda de casas arrefece e oferta imobiliária aumenta 16% em Ponta Delgada
Oposição vai requerer inconstitucionalidade da polémica prioridade nas creches
Os cinco pisos da ala nascente do HDES já estão reabertos e acolhem 76 doentes
Missa aos sábados na Ermida de Nª Sª da Paz
Tolerância de ponto para a função pública em festas do Pico, Santa Maria e Corvo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores