Edit Template

SINTAP exige aos órgãos do Governo cumprimento de medidas para a função pública

O Secretariado Coordenador Regional dos Açores do Sintap relevou ontem o Programa do XIV Governo Regional dos Açores “pelo facto do mesmo dar seguimento aos compromissos acordados com o SINTAP de valorização e dignificação das carreiras, vínculos e remunerações dos trabalhadores em funções públicas da Região”.
Concretizando, “relembra-se que o anterior Governo Regional assumiu com o Sintap importantes compromissos, em sede da proposta de Orçamento Regional para 2024, entretanto chumbada, no sentido de:

  1. Valorizar e acelerar as progressões nas carreiras dos funcionários da Administração Pública Regional que detivessem o mínimo obrigatório de 6 pontos nas respectivas avaliações de desempenho.
  2. Aumentar em 5% e alargar a aplicação da Remuneração Complementar de forma a abranger os trabalhadores em funções públicas com remunerações base até aos 2.000 euros, de forma faseada, em 2024 e 2025.
  3. Integrar nos quadros da Região os cerca de 536 trabalhadores precários contratados no âmbito do programa de combate à covid-19.
  4. Implementar a carreira Técnica Auxiliar de Saúde nos hospitais EPERS e das Unidades de Saúde de Ilha, onde haja serviços de internamento e prestação de cuidados de saúde directa com os doentes”, adianta o SINTAP.

Neste contexto, o SINTAP “pede e espera que os Órgãos do Governo Próprio da Região, nomeadamente a nossa Assembleia Legislativa Regional, criem as condições necessárias à sua aprovação e execução, de forma que se possam sentir os efeitos destes compromissos de valorização e dignificação dos trabalhadores em funções públicas ainda no decorrer deste ano, de preferência com efeitos a 1 de Janeiro de 2024”.

Edit Template
Notícias Recentes
Desafios da gestão bancária em debate na Faculdadede Economia e Gestão da UAc com Gualter Furtado
Arrancam sessões de apoio aos jovens empreendedores em Ponta Delgada
A última entrevista da Presidente da SATA antes da demissão: “Se este concurso não avançar, o Governo tem até 2025 para concluir com outro concurso”
SITAVA pede ao Governoque “pare imediatamente”com privatização da SATA
Martins Goulart e Mota Amaral e a Lei Eleitoral
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores