Edit Template

Governo dos Açores aplaude cabo submarino mas alerta que “vem com quatro anos de atraso”

Os Açores estiveram representados na assinatura do contrato de fornecimento do novo sistema de cabos submarinos de fibra óptica que ligará o continente aos Açores e à Madeira em anel, que se designará por Atlantic CAM.
O contrato, de valor superior a 154 milhões de euros, foi assinado pela Infraestruturas de Portugal (IP) e pela empresa seleccionada para a implementação desta infraestrutura, a Alcatel Submarine Cables (ASN).
Este novo sistema irá substituir o actual Anel CAM, que se encontra em fim de vida útil.
O Director Regional das Comunicações e da Transição Digital (DRCTD), Pedro Batista, presente na sessão, sublinhou que este é “um dia feliz para os Açores e para Portugal, mas que infelizmente chega com quatro anos de atraso”.
“Esperamos agora ter a possibilidade de acompanhar mais de perto este projecto e que o mesmo não conheça mais atrasos”, frisa o responsável.
Neste processo, sublinha ainda Pedro Batista, “subsistem questões importantes” para as quais a Região ainda não obteve resposta.
Em causa está, por exemplo, saber quem e como se garante o funcionamento da actual solução, até que o novo sistema esteja concluído e em exploração e saber quando é que a República vai endereçar o tema da substituição da ligação de cabos submarinos interilhas, entretanto também já em final de vida útil e responsável pela conectividade digital das ilhas da Região entre si e de sete destas ao resto do mundo.
O Director Regional quer também saber “de que forma a redução de 50% dos preços prevista será transferida para as pessoas e empresas dos Açores e como se garantirá à Região o acesso aos novos dados científicos com origem na componente SMART”.
Os cabos agora utilizados no novo Atlantic CAM são de uma nova geração e contam ainda com uma nova tecnologia (Science Monitoring And Reliable Telecommunications), sendo que a redução de preços da exploração desta infraestrutura é superior a 50% face aos que são actualmente praticados.
Pretende-se que o Atlantic CAM possa potenciar Portugal como plataforma atlântica de amarração de cabos submarinos, que se constitua como principal e central interligação entre o Atlântico e a Europa, principal porta de entrada de cabos submarinos com origem no continente americano e importante alavanca para a Rede Europeia de ‘Datacenters’ e de Comunicações.

Francisco César
congratula-se com assinatura

Francisco César, recém reeleito deputado do Partido Socialista dos Açores à Assembleia da República, congratulou-se com o anúncio da Alcatel, que assumirá a responsabilidade de ligar o continente, Açores e Madeira através de cabos submarinos.
Segundo o socialista, esta iniciativa representa “o cumprimento de uma promessa fundamental do Governo do PS, demonstrando mais uma vez o seu compromisso com as suas regiões autónomas”.
O deputado destacou: “A consignação da construção dos cabos submarinos Continente/Açores/Madeira está feita. É o cumprimento da palavra dada pelo Governo do PS. Em dois anos de mandato cumprimos mais de metade dos nossos compromissos, desta vez o anel CAM. Aos que agora serão Governo cabe, agora, cumprir as suas promessas. Cá estarei, como sempre, pelos Açores.”
A ligação entre o continente e as regiões insulares é essencial para o desenvolvimento económico, social e tecnológico. O projecto do anel CAM (Continente/Açores/Madeira) é “um passo significativo na promoção do crescimento equitativo e sustentável em todo o nosso território nacional”, acrescentou.
Francisco César reiterou ainda o seu compromisso em continuar a trabalhar “incansavelmente” pelos interesses dos Açores, garantindo que “as promessas feitas sejam transformadas em acções concretas que beneficiem os açorianos e açorianas”.

Edit Template
Notícias Recentes
Desafios da gestão bancária em debate na Faculdadede Economia e Gestão da UAc com Gualter Furtado
Arrancam sessões de apoio aos jovens empreendedores em Ponta Delgada
A última entrevista da Presidente da SATA antes da demissão: “Se este concurso não avançar, o Governo tem até 2025 para concluir com outro concurso”
SITAVA pede ao Governoque “pare imediatamente”com privatização da SATA
Martins Goulart e Mota Amaral e a Lei Eleitoral
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores