Edit Template

PS acusa Governo Regional de falta à verdade

O PS-Açores acusou ontem o Governo Regional faltar à verdade aos açorianos, quando prometeram contas equilibradas e um endividamento zero.
“Afinal, a realidade é outra e aquilo que apresentam é um valor recorde da dívida e contas públicas desequilibradas, em contraciclo com o resto do país”, acrescenta o PS.
Segundo os socialistas, “os dados agora divulgados comprovam é que não existiu, de facto, endividamento zero e, no final de 2023, a dívida bruta dos Açores, atingiu o valor recorde 3.202,8 milhões de euros; Esse valor recorde representa um aumento de cerca de 140 milhões de euros face ao ano anterior e incumpre, mais uma vez, o que foi aprovado no Parlamento dos Açores”.
“É igualmente preocupante o facto de que o saldo negativo de 2023 (146 milhões de euros) equivale a quase o dobro do registado em 2019, período pré-pandemia (74,7 milhões de euros)”, acusa ainda o PS, acrescentando que “o desequilíbrio das contas públicas de 2023 só não é mais acentuado, porque o Governo Regional dos Açores atrasou pagamentos e registou despesa no ano seguinte, ou seja, em janeiro de 2024; Só assim se explica que em apenas um mês de 2024 (Janeiro), a despesa pública da Região tenha excedido as receitas em mais de 76 milhões de euros (défice orçamental)”.
“Ao longo dos últimos 3 anos, o PS/Açores tem, por diversas vezes, exposto – com preocupação – as opções erradas levadas a cabo por este Governo de coligação, as quais têm arrastado a Região para uma situação financeira muito débil, com consequências para as famílias e empresas açorianas” conclui o PS, através do deputado Carlos Silva.

Edit Template
Notícias Recentes
Produtores e Industriais das pescas criticam Lotaçor por praticar preços superiores à congénere madeirense
Menos pescado e menos valor descarregados em Maio nos portos dos Açores
Insolvências subiram 117% em Ponta Delgada nos primeiros 5 meses deste ano
O melhor do nacional de surf é já depois de amanhã na Ribeira Grande
Bolieiro diz que incêndio deve ser encarado como oportunidade para tornar HDES numa “referência”no país
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores