Edit Template

Bolieiro diz que incêndio deve ser encarado como oportunidade para tornar HDES numa “referência”no país

O Presidente do Governo Regional dos Açores, José Manuel Bolieiro, acompanhado pela Secretária Regional da Saúde e Segurança Social, Mónica Seidi, visitou, ontem, o Serviço de Atendimento Urgente do Centro de Saúde de Ponta Delgada e o local onde decorrem os trabalhos para a instalação do hospital modular.
Na visita ao Serviço de Atendimento Urgente do Centro de Saúde de Ponta Delgada, os governantes congratularam o trabalho exemplar realizado por todos os profissionais de saúde e pela resposta eficaz que têm prestado aos utentes no seguimento do incêndio recente no Hospital Divino Espírito Santo (HDES).
“Deixo um comovido agradecimento ao esforço de todos. Sou o primeiro a reconhecer o extremo cansaço de todos. Sei que a preocupação que têm com os doentes tem levado a que os profissionais todos não tenham sequer pensado em descanso”, sinalizou José Manuel Bolieiro.
Na visita ao local onde decorrem os primeiros trabalhos de terraplanagem, no heliporto do HDES, para a instalação do hospital modular que, previsivelmente, estará operacional até ao final de Agosto, o Presidente do Governo aproveitou a oportunidade de lembrar que o objectivo é “aproveitar esta oportunidade para reforçar as capacidades e tornar o HDES um hospital de referência no país”.
O governante assinalou que os trabalhos a desenvolver devem ser realizados num pressuposto: “tudo pela segurança, nada pela precipitação”.
Os serviços a instalar incluem: serviço de urgência, valência de internamento, bloco operatório e unidade de cuidados intensivos. Prevê-se que durante o mês de Julho estejam concluídos os primeiros trabalhos, permitindo receber o hospital modular, com um custo na ordem dos dois milhões de euros, nesta primeira fase do projecto.
“A aposta modular está feita com a prioridade de, primeiro o que é mais urgente e o que é essencial na falta de capacidades que o hospital tem”, frisou José Manuel Bolieiro.
No final do mês de Junho, será possível reabrir a ala nascente do HDES, com unidades de internamento com cerca de 180 camas, que irão absorver os doentes e disponibilidades de internamento actualmente instaladas no Posto Médico Avançado da Cruz Vermelha Portuguesa.
José Manuel Bolieiro destacou “a capacidade” que tem existido “para manter a funcionar no essencial os cuidados de saúde” e os cuidados hospitalares com o Serviço Regional de Saúde (SRS) e a Unidade de Saúde da ilha de São Miguel (USISM).
O Presidente do Governo fez ainda um apelo para que os residentes e visitantes da ilha continuem a procurar sempre, em primeiro lugar, os seus Centros de Saúde e as linhas de atendimento telefónico. Continua suspensa toda a actividade clínica no HDES, salvo alguns serviços: os hospitais de dia de Oncologia e Hemodiálise retomaram a actividade assistencial aos seus doentes, o serviço de Medicina Física e Reabilitação, bem como a Psiquiatria e Pneumologia, já retomaram a actividade assistencial, todas as especialidades do ambulatório (consulta externa) retomaram a sua actividade programada, com excepção da Pediatria, que continua com limitações e a funcionar fora do edifício do HDES, na USISM, e o serviço de Imagiologia retomou a sua actividade a 11 de Junho.
Todo o edifício já possui energia eléctrica com as redundâncias necessárias, através da instalação de diversos postos de transformação.

Edit Template
Notícias Recentes
Chega diz que “Pico é uma vítima do excesso de proibicionismo”
Lagoa terá Plano Municipal de Juventude
Bombeiros de Ponta Delgada irão transportar Coroa do Município na Grande Coroação
Água Retorta recebe XII Mostra Gastronómica no final de Julho
Povoação prepara-se para “Kids Festival” nos dias 20 e 21 de Julho
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores