Edit Template

Açores têm 3.500 estabelecimentos turísticos que receberam no ano passado 3,9 milhões de dormidas

O Serviço Regional de Estatística dos Açores (SREA) publicou ontem o estudo das Estatísticas de Turismo relativas ao ano passado, com dados interessantes sobre o sector.
Assim, de acordo com os resultados do Inquérito à Permanência de Hóspedes na Hotelaria e outros alojamentos (IPHH), do Inquérito à Permanência de Campistas nos Parques de Campismo (IPCAMP) e do Inquérito à Permanência de Colonos nas Colónias de Férias (IPCOL), e considerando a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, parques de campismo e pousadas da juventude), em 31 de julho de 2023, estavam ativos 3.513 estabelecimentos na Região Autónoma dos Açores (RAA), mais 7,9% do que em 31 de julho de 2022.
No ano de 2023, para a generalidade dos meios de alojamento (estabelecimentos de alojamento turístico, parques de campismo e pousadas da juventude), registaram-se 3,9 milhões de dormidas, valor superior em 15,9% ao registado no ano de 2022.
Entre janeiro de 2022 e dezembro de 2023, para a generalidade dos meios de alojamento, o registo mais elevado de dormidas, na RAA, ocorreu em agosto de 2023 com cerca de 620,6 mil dormidas.
A distribuição das dormidas ao longo do ano foi marcada por uma forte sazonalidade, com valores mais elevados nos meses de verão (junho, julho, agosto e setembro).
O mercado nacional (residentes em Portugal), no qual se inclui o da RAA garantiu 1,3 milhões de dormidas, correspondendo a 34,5% do total, e cresceu 0,6% em relação ao ano anterior, enquanto as dormidas dos mercados externos (residentes no estrangeiro) foram de 2,5 milhões (65,5% do total) e aumentaram 26,0% face a 2022.
Analisando os principais mercados externos, em 2023, a Alemanha destacou-se como principal mercado emissor com 431,3 mil dormidas (17,0% do subtotal i – dormidas de residentes no estrangeiro da generalidade dos meios de alojamento), e um crescimento homólogo de 17,4%, seguindo-se os Estados Unidos da América com 419,1 mil dormidas (16,5% do subtotal i) e uma variação homóloga positiva de 39,9%, e a Espanha com 317,1 mil dormidas (12,5% do subtotal i) e um acréscimo homólogo de 60,7%.
Os três principais mercados, no seu conjunto, deram origem a 46,0% das dormidas dos residentes no estrangeiro para a generalidade dos meios de alojamento.
Os mercados que apresentaram maior variação homóloga positiva foram os da Espanha (60,7%), Canadá (50,1%) e Estados Unidos da América (39,9%). Por outro lado, os maiores decréscimos homólogos verificaram-se nos mercados da Dinamarca (-19,1%), Israel (-1,9%) e Hungria (-1,8%).
O registo de hóspedes atingiu cerca de 1,2 milhões, apresentando uma taxa de variação anual positiva de 14,7%.
A estada média foi de 3,18 noites (+1,0% que em 2022). Da generalidade dos meios de alojamento, o alojamento local foi o que apresentou permanência média mais elevada (3,60 noites) seguido do turismo no espaço rural (3,41 noites).
Considerando a generalidade dos meios de alojamento, a hotelaria concentrou 54,5% do total de dormidas (2,1 milhões de dormidas), seguindo-se o alojamento local com 39,7% (1,5 milhões de dormidas), o turismo no espaço rural com 3,8% (148,8 mil dormidas), os parques de campismo com 1,2% (46,3 mil dormidas) e as pousadas da juventude com 0,8% (31,3 mil dormidas).

Hotelaria e Alojamento Local
concentram 95% da capacidade

Em 31 de julho de 2023 estavam ativos 3 373 estabelecimentos de hotelaria e alojamento local, refletindo um aumento homólogo de 7,6%.
A hotelaria e alojamento local concentraram 96,0% do total de estabelecimentos e 95,2% da capacidade no contexto da generalidade dos meios de alojamento existentes na RAA.
No ano de 2023, para os dois principais estabelecimentos de alojamento turístico (hotelaria e alojamento local), com94,2% do total de dormidas em 2023, registaram-se 3,6 milhões de dormidas, valor superior em 15,0% ao registado no ano de 2022.
O mercado nacional garantiu cerca de 1,3 milhões de dormidas, correspondendo a 34,7% do total de dormidas da hotelaria e do alojamento local, e cresceu residualmente em relação ao ano anterior, enquanto as dormidas dos mercados externos foram de 2,4 milhões (65,3% do total de dormidas da hotelaria e do alojamento local) e aumentaram 24,9% face a 2022.
O registo de hóspedes atingiu cerca de 1,1 milhões, apresentando uma taxa de variação anual positiva de14,7%.
A estada média para os dois principais estabelecimentos de alojamento turístico foi de 3,18 noites (+0,2% que em 2022).
Analisando os principais mercados externos para os dois principais estabelecimentos de alojamento turístico (hotelaria e alojamento local), em 2023, os Estados Unidos da América destacou-se como principal mercado emissor com 396,4 mil dormidas (16,6% do subtotal ii – dormidas de residentes no estrangeiro no conjunto da hotelaria e alojamento local), e um crescimento homólogo de 38,6%, seguindo-se a Alemanha com 395,7 mil dormidas (16,6% do subtotal ii) e uma variação homóloga positiva de 16,0% e a Espanha com 305,8 mil dormidas (12,8% do subtotal ii) e um acréscimo homólogo de 60,5%. Os três principais mercados, no seu conjunto, deram origem a 46,1% das dormidas dos residentes no estrangeiro no conjunto da hotelaria e alojamento local.
Os mercados que apresentaram maior variação homóloga positiva foram os da Espanha (60,5%), Canadá (50,2%) e Estados Unidos da América (38,6%). Por outro lado, os maiores decréscimos homólogos verificaram-se nos mercados da Dinamarca (-19,7%), Hungria (-3,7%) e Israel (-2,5%).
Para os dois principais estabelecimentos de alojamento turístico, verificou-se que, em 2023, as dormidas apresentaram variações homólogas positivas em todas as ilhas: Santa Maria (21,2%), São Jorge (18,3%), Flores (17,5%), São Miguel (17,5%), Pico (16,6%), Graciosa (12,2%), Faial (8,9%), Corvo (5,7%) e Terceira (4,2%).
A ilha de São Miguel, com 2,5 milhões de dormidas, concentrou 69,3% do total das dormidas no conjunto da hotelaria e alojamento local, seguindo-se a Terceira com 481,8 mil dormidas (13,2%), o Faial com 220,0 mil dormidas (6,0%) e o Pico com 207,1 mil dormidas (5,7%). Considerando individualmente os dois principais estabelecimentos de alojamento turístico no seu conjunto (hotelaria e alojamento local), verificou-se, em 2023, que a hotelaria concentrou a maior percentagem de dormidas em Santa Maria (85,8%), Corvo (77,5%), Graciosa (74,5%), Terceira (67,3%), São Miguel (58,3%) e Faial (56,0%). Por outro lado, o alojamento local concentrou o maior número de dormidas nas Flores (67,9%), Pico (62,5%) e São Jorge (57,8%).

Edit Template
Notícias Recentes
Chega diz que “Pico é uma vítima do excesso de proibicionismo”
Lagoa terá Plano Municipal de Juventude
Bombeiros de Ponta Delgada irão transportar Coroa do Município na Grande Coroação
Água Retorta recebe XII Mostra Gastronómica no final de Julho
Povoação prepara-se para “Kids Festival” nos dias 20 e 21 de Julho
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores