16 escolas dos Açores participam no projecto «Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável»

frutaA APCOI - Associação Portuguesa Contra a Obesidade Infantil já apresentou os vídeos, apelidados de “Hinos da Fruta”, criados pelos 53.399 alunos dos estabelecimentos de ensino de todos os distritos do país que participam este ano lectivo na 6ª edição do projecto «Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável». Nesta competição nacional que começou ontem, as crianças partilham, a cantar, as lições que aprenderam ao longo do projecto sobre a importância dos hábitos saudáveis e convidam os adultos para votar no “Hino da Fruta” da turma ou da escola.
A votação aberta a todo o público teve início ontem e decorre até 10 de Março no site www.heroisdafruta.com e vai apurar 80 hinos finalistas: os três mais votados, bem como o mais partilhado de cada distrito ou região autónoma.
Mário Silva, presidente e fundador da APCOI e mentor do projecto “Heróis da Fruta - Lanche Escolar Saudável” lembrou que “cada voto em qualquer hino da fruta reverte como donativo para a «Missão 1 Quilo de Ajuda» um fundo social que permite à APCOI distribuir gratuitamente cabazes semanais nas escolas para apoiar a inclusão de fruta no lanche escolar dos alunos mais carenciados do país”.
Mário Silva, acrescentou ainda que “todas as pessoas que votarem nos hinos da fruta ficarão também habilitadas a ganhar fantásticos prémios. São mais de mil experiências à escolha para parques aquáticos, zoológicos, museus, aquários, centros de ciência viva e parques de diversões. Além disso, há um super prémio: uma viagem de sonho aos Açores”.
Da Região Autónoma dos Açores participam 16 projectos de várias escolas, nomeadamente: Angra do Heroísmo, Calheta, Corvo, Horta, Lajes das Flores, Santa Cruz das Flores, Lagoa, Ponta Delgada, Ribeira Grande e Vila Franca do Campo.

Antigos Alunos assinalam hoje 125 anos de Antero de Quental

LiceuA “Associação dos Antigos Alunos do Liceu Antero de Quental” assinala hoje o 125º aniversário do falecimento do seu patrono, com uma sessão aberta ao público em geral que tem lugar às 18h00 na biblioteca da Escola Secundária Antero de Quental. A sessão destina-se ao lançamento do livro “ANTERO – 125 anos depois”, com textos de Eduíno de Jesus, João Paulo Constância, José Andrade e Maria João Ruivo, prefácio de Urbano Bettencourt e ilustração de António Eduardo Soares de Sousa.
Trata-se de uma compilação das comunicações que foram apresentadas pelos quatro autores, enquanto dirigentes da Associação dos Antigos Alunos, no painel evocativo do 125º aniversário da morte de Antero de Quental que integrou o XXVI Colóquio Internacional da Lusofonia realizado em outubro na ilha de S. Miguel. A publicação é constituída pelos textos “Antero e o Divino Paradoxo”, de Eduíno de Jesus, “Antero de Quental – Esboço de uma abordagem para os alunos de hoje”, de Maria João Ruivo, “Antero de Quental nas edições do Instituto Cultural de Ponta Delgada”, de João Paulo Constância, e “A(s) Cidade(s) de Antero”, de José Andrade.
No seu prefácio, Urbano Bettencourt sintetiza esta colectânea de textos como “a projecção da memória anteriana e os modos de o fazer, na pedra ou na página, a divulgação da obra do poeta e a sua apresentação a leitores jovens, uma indagação ainda sobre os meandros do pensamento filosófico de Antero”.
A apresentação pública deste livro de 60 páginas será feita pelo próprio professor Urbano Bettencourt e pelo presidente da Associação Internacional dos Colóquios da Lusofonia, Chrys Chrystello, na presença da presidente do conselho executivo da Escola Secundária Antero de Quental, Iracema Cordeiro.
Antero de Quental nasceu em Ponta Delgada, a 18 de Abril de 1842, e faleceu nesta cidade há 125 anos, a 11 de Setembro de 1891. A publicação de homenagem ao patrono do liceu de Ponta Delgada permite um convívio natalício entre antigos alunos e encerra o triénio da atual direcção da Associação presidida por José Andrade.

Açoriana entre os melhores a nível mundial no exame de Cambridge

exameMariana Coelho, de Angra do Heroísmo, obteve 222 pontos, em 230 possíveis, no Cambridge Profiency Exam (CPE),  considerado o exame de inglês mais difícil do mundo.
O resultado alcançado pela aluna do Bristol School Instituto de Línguas de Angra (ILA) foi o mais alto alguma vez obtido por alunos dos Açores e das melhores notas deste ano, a nível mundial, segundo avançou a instituição em comunicado.
Mariana Coelho obteve ainda a nota máxima na parte de leitura e uso do inglês.
“Para além de comprovar um excelente nível de inglês, o Cambridge CPE é o exame de línguas mais velho do mundo. Iniciou-se em 1913 e originalmente era composto por 12 horas de avaliações variadas. O exame foi entretanto aprimorado e hoje em dia é aceite internacionalmente como um comprovativo de fluência em inglês próxima da de um nativo, sendo frequentemente considerado como essencial em profissões de topo”, considera o ILA.
Mariana Coelho estudou no ILA durante um ano antes de realizar o exame de CPE no passado mês de Maio. Formada em nutrição, está actualmente desempregada, sendo que o resultado no CPE permite-lhe candidatar-se a um mestrado numa universidade em Londres, por exemplo.
“Desde que concluí a licenciatura em Ciências da Nutrição que penso prosseguir os meus estudos no estrangeiro. Decidi fazer o Cambridge Proficiency Exam para ter uma certificação que comprove os meus conhecimentos de inglês junto das universidades do Reino Unido. Tenho agora condições para avançar com os meus planos e continuar a crescer profissionalmente”, salientou a aluna.

Requalificação da Escola das Capelas vai custar 7,4 milhões

Escola das CapelasA requalificação da Escola Básica e Integrada das Capelas vai custar cerca de 7,4 milhões de euros, avançou o Secretário Regional da Educação e Cultura. O projecto de execução da requalificação deverá estar concluído até ao final do mês de Julho e ainda no decurso desta semana deverá ser aprovada a autorização para o lançamento do concurso público.
Avelino Meneses, que falava Segunda-feira na apresentação do projecto à comunidade educativa, afirmou que a Secretaria Regional que tutela procederá, após a realização da “necessária revisão” por uma entidade externa, ao lançamento do concurso público para a empreitada.
“Neste momento não é possível fazer uma previsão exacta de todos os timings em falta, mas trilharemos sempre o mesmo caminho. Este projecto das Capelas continuará dependente de prazos exclusivamente técnicos, jamais políticos”, afirmou, citado em nota do gabinete de imprensa do Executivo açoriano.
O Secretário Regional salientou que o projecto apresentado “não contempla a construção de uma escola de raiz”, já que a utilização “mais responsável dos recursos públicos aconselhou uma outra solução”, que corresponde “a uma escola nova, digna, cómoda e segura”.
Trata-se, frisou Avelino Meneses, de “um programa funcional como se de uma nova escola se tratasse, contendo todas as necessidades e valências de um moderno estabelecimento escolar”, sendo, por isso, “a melhor solução possível”.
Com esta obra de remodelação e ampliação, a Escola Básica e Integrada de Capelas passará a ter 46 salas de aula e duas salas de pequenos grupos. Estas 46 salas de aula incluem dois laboratórios de ciências, um laboratório de físico-química, duas salas de EVT, duas salas de EV, uma sala de ET, três salas de informática e duas salas de música.
A escola terá ainda um núcleo para a Educação Especial, com salas próprias e instalações adaptadas.
Para a disciplina de Educação Física, além do espaço exterior e do pavilhão, a Escola Básica e Integrada de Capelas passará a contar também com uma nova sala de ginástica.
O acesso às instalações desportivas e ao auditório poderá ser feito pela comunidade educativa no período pós-lectivo directamente sem circular pelo espaço escolar.
Segundo o Governo, a intervenção na escola permitirá, ainda, circular por todo o espaço escolar sem necessidade de atravessar o pátio exterior, salvaguardando-se, assim, o conforto na mobilidade entre os espaços em períodos de chuva. No que diz respeito às áreas sociais e administrativas, será criado um novo núcleo, com uma nova cozinha e refeitório, nova sala de convívio para alunos e professores, nova biblioteca e novas áreas para a secretaria, para o Conselho Executivo e departamentos disciplinares, gabinetes para directores de turma, sala de professores e salas de reuniões.

Governo anuncia contratação de cerca de 80 funcionários para as escolas

Avelino MenesesO Governo Regional dos Açores anunciou ontem que vai contratar 82 novos assistentes técnicos e operacionais para as escolas da região, no decorrer deste ano lectivo, para suprir as necessidades criadas pela aposentação de funcionários.
“Estou em crer que uma vez colocados estes novos assistentes técnicos e assistentes operacionais, o quotidiano das escolas melhorará ainda mais. De resto e, nesta fase, enquanto os concursos não concluem, temos utilizado no dia-a-dia, para suprir as necessidades existentes, os programas de promoção do emprego, que o Governo coloca à nossa disposição”, disse ontem o secretário Regional da Educação e Cultura.
De acordo com a agência Lusa, Avelino Meneses falava aos jornalistas no final de uma reunião com representantes do Sintap/Açores, ontem, em Angra do Heroísmo.
O sindicato alertou para a falta de pessoal não docente nas escolas da região, alegando que o problema, que já é sentido há algum tempo, se agravou no último ano lectivo. “Os trabalhadores queixam-se, porque houve muito pessoal que, por via da aposentação, saiu dos seus lugares de trabalho, o que fez com que esses funcionários ficassem sobrecarregados de serviço”, frisou Orivaldo Chaves, do Sintap.
Segundo o sindicato, o problema afeta “quase todas as escolas”, porque uma grande parte do pessoal não docente optou por se aposentar “mesmo tendo cortes nas pensões”.
Orivaldo Chaves mostrou-se satisfeito com a abertura de 82 postos de trabalho, considerando que isso demonstra a atenção da tutela para o problema, mas disse que “só o tempo dirá” se o número de contratações será suficiente, já que o pessoal não docente das escolas da região “tem alguma idade”.
Por sua vez, o secretário Regional da Educação e Cultura sublinhou que a tutela está atenta ao envelhecimento do pessoal não docente e à necessidade de renovação, por isso estão em curso 82 procedimentos concursais que deverão estar concluídos “no decurso deste ano lectivo”.
“Na nossa opinião, estes 82 suprirão o essencial das necessidades existentes nas escolas”, frisou.
Avelino Meneses acrescentou, ainda, que em comparação com o ano lectivo anterior, as escolas da região têm mais 58 funcionários neste ano, “numa altura em que inclusivamente o número de estudantes diminui tenuemente”.