Edit Template

“Candinhes” contaminados

Em maio de 2017, no âmbito de debate de duas propostas do BE e do PSD, na Assembleia da República, que versavam acerca da necessidade de se atuar para a descontaminação de aquíferos, solos e subsolos, na Terceira, sendo que o do PSD incidia sobre a importância da manutenção do domínio norte-americano sob o espaço relativo à Base das Lajes, António Ventura, à altura deputado eleito pelos Açores à Assembleia da República, interveio alertando para o facto de estar a morrer um povo na ilha Terceira, por via da contaminação deixada pela presença de militares norte americanos.
“Sras e Srs. Deputados, tudo indica que há um povo a morrer por causa da contaminação dos solos e aquíferos com hidrocarbonetos e metais pesados. Por isso, basta de inércia! É tempo de atuar e o PSD está, como sempre esteve, disponível para trabalhar.”. Foram estas algumas das suas palavras.
Passados 6 anos sob estas palavras e 3 anos de governação PSD/CDS/PPM na região, pouco, muito pouco ou nada se sabe acerca de desenvolvimentos reais na resolução deste grave problema ambiental.
Não é de esquecer que Artur Lima, enquanto deputado no parlamento açoriano, era um dos rostos a criticar, em viva-voz, a falta de soluções para este problema e, ainda, a passividade dos governos nacional e regional da altura.
Reivindicava-se a descontaminação de forma a assegurar a saúde das e dos terceirenses e a saúde ambiental.
É importante relembrar que o governo norte-americano tem noção do rasto de poluição que deixa após a instalação de uma base e, por isso mesmo, tem um “superfund”, o qual serve para pagar a limpeza da contaminação que deixa em solo norte-americano
O governo norte-americano, sabendo da submissão de Portugal e dos Açores, fez o que quis e como bem entendeu.
E agora, como estamos? Com o governo de direita, nos Açores, o que foi reivindicado? Será que Artur Lima, vice-presidente desta Região, que tomou essa pasta e passou a ter presença na Comissão Permanente Bilateral, ousou confrontar e exigir ao governo norte americano da mesma forma que o fazia enquanto deputado ao governo regional anterior?
O que podemos ver é que das Declarações Conjuntas das reuniões da Comissão Bilateral permanente entre Portugal e os Estados Unidos da América (CBP), o mesmo parágrafo repete-se, sem que haja novidades objetivas. Na verdade, numa agenda com mais de vinte assuntos, a questão que diz respeito à Base das Lajes, que engloba a questão ambiental (sem que se leia a palavra contaminação) e as questões laborais, é a última. Leu bem, a última!
E mesmo quando a 50.ª reunião de CBP se realizou na Terceira, esta questão não foi prioridade, aparecendo no penúltimo ponto da agenda de trabalhos, já que o último dizia respeito ao local da próxima reunião.
“A nível ambiental, o governante realçou que há o “interesse da parte americana em dar passos significativos na resolução e mitigação desta questão” e “A delegação dos EUA realçou que vão ser instalados mais sondas de monitorização da contaminação dos solos e aquíferos e comprometeram-se a continuar a remover poluentes do aquífero”, o que há de novo nisto?!
Fica bem claro que a governação de direita (PSD/CDS/PPM) não trouxe nada de novo para a Terceira em matéria de descontaminação, percebendo-se que este problema foi utilizado pelo PSD e CDS para fazer oposição ao PS, mas como estão todos submissos aos interesses norte-americanos, quando chega a “hora h”, nada fazem, apesar de estarem no poder.
O Bloco de Esquerda foi o primeiro partido a levar este problema à Assembleia da República, após a vinda de Catarina Martins à Terceira, mostrando preocupação e entendendo este como um problema grave que tem de ser resolvido e não camuflado com a troca de “candinhes”.
O BE está aqui para levar o ambiente e a saúde a sério!

Alexandra Manes*

*Deputada BE/Açores

Edit Template
Notícias Recentes
Turistas gostam da paisagem e da segurança e não gostam dos serviços de restauração e dos transportes de táxis e de autocarros
Desaparecido turista belga que se encontrava a realizar um trilho pedestre na Lagoa do Fogo
Sismo de magnitude 2.6 na escala de Richter sentido na ilha Terceira
Programa para a prevenção do cancro gástrico arranca na Terceira
Detido indivíduo fortemente indiciado da prática do crime de detenção de arma proibida na Ribeira Grande
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores