Edit Template

Câmara procede ao “levantamento exaustivo” dos prejuízos causados por inundações em dez freguesias de Ponta Delgada

O Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Pedro Nascimento Cabral, indicou que os serviços da autarquia estão no terreno “a apoiar a população” e a proceder ao “levantamento exaustivo dos prejuízos” causados pelas inundações que ocorreram na Segunda-feira que afectaram 10 freguesias do concelho, nomeadamente as dos Arrifes, Ginetes, Feteiras, Mosteiros, Sete Cidades, Pilar da Bretanha, Remédios, Santa Bárbara, Santo António e Capelas.
“A nossa prioridade máxima é proteger estas pessoas e salvaguardar os seus bens. As nossas equipas estão, desde ontem, a trabalhar ininterruptamente para apoiar a população, a proceder ao levantamento exaustivo de prejuízos, e em trabalhos intensos para repor a normalidade nas ruas obstruídas”, sinalizou o autarca.
Pedro Nascimento Cabral falava, na Terça-feira, após uma visita às freguesias que registaram ocorrências devido à chuva forte que se fez sentir esta segunda-feira, sendo acompanhado pelo vereador com o pelouro da Gestão e Ordenamento do Território, Marco Resendes, e pela Directora do Departamento de Obras, Mobilidade e Equipamentos Municipais, Isabel Juromito.
Na sequência da visita, o autarca deu também nota de que, fruto das inundações, a Divisão de Desenvolvimento Social “realojou uma família de Santa Bárbara numa habitação do município, localizada na Relva”, tendo enaltecido a forma como “agiu prontamente sobre o sucedido”.
O Presidente do município indicou ainda que os serviços da autarquia têm estado em permanente contacto com as famílias que registaram danos nas suas moradias e que já as informaram dos “procedimentos a adoptar para apresentar o pedido de apoio junto da Câmara Municipal de Ponta Delgada”.
“Recordo que aprovámos um novo regulamento municipal de Apoio à Habitação Degradada no ano passado para que passasse a contemplar uma nova tipologia de apoio destinada à habitação degradada por danos resultantes de situações de intempérie, calamidade, catástrofe natural ou incêndio”, indicou.
“O regulamento, detalhou o autarca, “prevê o apoio para a execução de obras, mas também para a aquisição de mobiliário e electrodomésticos, na sequência de prejuízos provocados por fenómenos meteorológicos extremos como aquele com que nos confrontamos ontem”.
“Lamentavelmente, temo-nos vindo a deparar com um índice de precipitação anormal neste mês de Janeiro que tem concorrido para a ocorrência destes episódios”, constatou.
Lembrando que a autarquia tem “procedido à limpeza regular dos sumidouros e da rede municipal de recolha de águas pluviais”, Pedro Nascimento Cabral fez questão de elogiar “a dedicação e o profissionalismo que as equipas do Serviço de Protecção Civil e do Departamento de Obras, Mobilidade e Equipamentos Municipais têm demonstrado no terreno, desde a primeira hora”.
“Estes trabalhadores atenderam a dezenas de ocorrências nas últimas 24 horas e merecem todo o nosso apreço. Durante a noite, repuseram a normalidade em pontos críticos como a rua do Outeiro, nos Arrifes, e continuam com trabalhos de limpeza e desobstrução de vias”, sinalizou.
Segundo o Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, as inundações decorrem da passagem de uma depressão com um sistema frontal associado que provocou um agravamento do estado do tempo no arquipélago, tendo sido registadas 25 ocorrências em Ponta Delgada.
Recorde-se que o Instituto Português do Mar e da Atmosfera havia também emitido um aviso amarelo para precipitação por vezes forte para o Grupo Oriental.

Edit Template
Notícias Recentes
17 Marchas de S. João desfilam Hoje em Vila Franca do Campo
Comunidade Açoriana une-se para ajudar famílias no Rio Grande do Sul, Brasil
Duarte Carreiro condecorado com a medalha de mérito das comunidades
Detido indivíduo por suspeita da prática do crime de posse de arma proibida em Ponta Delgada
Azores Pride 2024 arranca na próxima semana na Terceira e em São Miguel
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores