Edit Template

Romeiras vão sair em Fevereiro e Março na ilha Terceira

O Rancho de Romeiras de Nossa Senhora da Conceição, na ilha Terceira, e o Grupo de Caminhantes de Nossa Senhora da Conceição, vão sair em romaria quaresmal durante dois dias em Fevereiro e em Março, na ilha Terceira, informa uma nota enviada ao Sítio Igreja Açores.
O primeiro grupo a sair, nos dias 24 e 25 de Fevereiro, segunda semana da quaresma, é o Rancho de Romeiras de Nossa Senhora da Conceição; realizará a sua V Romaria quaresmal.
Já o grupo Caminhantes de Nossa Senhora da Conceição, também ligado ao santuário e já com cerca de 70 mulheres inscritas , realizará a sua X Caminhada Quaresmal nos dias 16 e 17 de março.
Os dois grupos mobilizam sempre muitas participantes e seguem o esquema dos romeiros, já pernoitando fora uma noite, na volta que realizam.
As romarias quaresmais são expressão de uma religiosidade popular muito arreigada no povo açoriano.
Habitualmente são feitas por homens.
Os Romeiros de São Miguel são, de facto, o grande movimento protagonista das Romarias Quaresmais, mas nas ilhas Terceira, Graciosa e São Jorge também já há grupos de Romeiros que seguem o regulamento das romarias de São Miguel.
Nos últimos anos, à semelhança do que acontece também na maior ilha do arquipélago, grupos de mulheres organizam-se na mesma dinâmica penitencial e realizaram a sua romaria.

Romeiros nos EUA poderão ter de pagar
escolta à polícia

Pela primeira vez, os romeiros, uma tradição açoriana que remonta ao século XVI, poderão ter de pagar para visitar Fall River.
Graças às comunidades açorianas do sudeste de Massachusetts, os romeiros são também uma tradição nesta região.
Cada rancho percorre 15 cidades e vilas, coberto de xailes e lenços, carregando bastões de madeira e rosários, parando em mais de 50 igrejas ao longo de vários dias e atraindo milhares de pessoas.
Para que cada grupo circule com segurança, há décadas que a Polícia de Fall River escolta os romeiros e este serviço tem sido assegurado sem custos.
No ano passado, segundo alguns integrantes, houve problemas com detalhes e autorizações do evento, que exigiram uma ajuda de última hora da deputada estadual Carole Fiola e foi nessa altura que o grupo foi informado de que não havia garantias de que a cidade conseguiria fornecer assistência em 2024.
Não querendo correr o risco do evento ser cancelado, os organizadores resolveram o problema por conta própria.
Há algumas semanas, em parceria com a Igreja do Espírito Santo, o grupo realizou uma campanha de arrecadação de fundos para arrecadar dinheiro para cobrir os custos dos destacamentos policiais.
Bruno Pimental, um dos organizadores do evento e membro dos romeiros, disse que um jantar de angariação de fundos foi realizado no dia 13 de janeiro e foram vendidas mais de mil refeições.
Pimental estima que o custo da cobertura policial, incluindo seis policiais das 6h às 18h do dia do evento, ficará entre 8.000 e 10.000 dólares.
O mayor Paul Coogan também participou na arrecadação de fundos, comprou uma refeição e fez uma doação.
Pimental disse que vai reunir-se com Coogan para discutir se Fall River continuará a dar assistência aos romeiros, mas, adiantou estar confiante de que, se for exigido pagamento, o grupo possa pagar.

Exclusivo Portuguese Times/
Diário dos Açores

Edit Template
Notícias Recentes
União Desportiva do Nordeste comemora os 50 anos do clube
2ª edição da formação “Cidadania Digital: Riscos e Oportunidades da Internet”
Bolieiro manifesta oposição à criação de uma taxa turística regional
Actividade ambulatória de Pediatria regressa amanhã ao HDES
Há 5 municípiosnos Açores com mais procura de casas para viver no campo
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores