Edit Template

Empresários de turismo dizem que época baixa está pior do que no ano passado

As empresas ligadas ao turismo em S. Miguel declararam que a época baixa está a ser pior do que no ano passado.
É o resultado de um inquérito mandado efectuar pela Câmara do Comércio e Indústria de Ponta Delgada às empresas associadas em S. Miguel e Santa Maria.
O resultado do inquérito indica que, em Janeiro de 2024, 46,15% das empresas declaram que o seu volume de negócios foi pior, face ao mês homólogo do ano anterior, enquanto que em Novembro de 2023 o valor foi de 35,16%, o que denota um acréscimo relevante no n.º de empresas com um volume de negócios pior;
Em média, 62,64% das empresas declaram que, no período em análise, as reservas estão inferiores ao período homólogo e 68,13% das empresas considera que a redução de número de lugares nas ligações aéreas de/para o exterior da Ryanair teve impacto no seu volume de vendas.
Em relação às ações de promoção do destino, 67% das empresas considera que não têm sido adequadas e com a intensidade necessária para as necessidades de procura do destino Açores no Inverno IATA 2023/24.
As acessibilidades aéreas e a procura insuficiente são as preocupações elencadas por 42,86% e cerca de 10% das empresas está preocupada com a rentabilidade e 11,43% não tem nada adicional a comentar ao inquérito.
No que diz respeito às reservas futuras, à data do inquérito (meados de janeiro de 2024), a situação “é preocupante”, com mais de 60% das empresas a declararem que as reservas de janeiro a abril de 2024 estão inferiores às do período homólogo.
Em termos médios, no período em análise, constata-se para as reservas: Inferiores com quebras superiores a 20%: 26,10%; Inferiores com quebras entre 20% e 5%: 16,76%; Inferiores com quebras entre 5% e 0% : 19,78%.
Em média, 62,64% das empresas declaram que, no período em, análise as reservas estão inferiores ao período homólogo.
À pergunta sobre se “considera que a redução de número de lugares nas ligações aéreas de/para o exterior da Ryanair teve impacto no seu volume de vendas?”, 68,13% das empresas considera que SIM; 31,87% das empresas considera que não.
A redução de capacidade efetuada pela Ryanair no Inverno IATA 2023/24 em Ponta Delgada é a apresentada na tabela que se publica abaixo, traduzindo-se num decréscimo de cerca de 88.500 lugares (ida e volta).
Sobre se “As ações de promoção do destino têm sido adequadas e com a intensidade necessária para as necessidades de procura do destino Açores no Inverno IATA 2023/24”:
67% das empresas considera que não; 33% das empresas considera que sim.
Quanto às acessibilidades aéreas e a procura insuficiente, são preocupações elencadas por 42,86%; Cerca de 10% das empresas está preocupada com a rentabilidade e 11,43% não tem nada adicional a comentar ao inquérito.

Edit Template
Notícias Recentes
Produtores e Industriais das pescas criticam Lotaçor por praticar preços superiores à congénere madeirense
Menos pescado e menos valor descarregados em Maio nos portos dos Açores
Insolvências subiram 117% em Ponta Delgada nos primeiros 5 meses deste ano
O melhor do nacional de surf é já depois de amanhã na Ribeira Grande
Bolieiro diz que incêndio deve ser encarado como oportunidade para tornar HDES numa “referência”no país
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores