Edit Template

Tribunal de Contas lança recomendações ao novo Governo Regional

O Tribunal de Contas divulgou ontem o documento “No início de uma nova Legislatura.: Contributo para a melhoria da gestão pública e da sustentabilidade das finanças públicas da Região Autónoma dos Açores”.
É a primeira vez que, no início de uma nova Legislatura na Região Autónoma dos Açores, o Tribunal de Contas dá o seu Contributo à Assembleia Legislativa e ao Governo Regional, “num documento atual, útil e construtivo para a boa gestão e a sustentabilidade das finanças públicas”, lê-se no documento.
​Esta iniciativa teve início com a eleição para Assembleia da República, em janeiro de 2022, tendo sido também aplicada na Região Autónoma da Madeira, na eleição de 2023.
Neste ‘Contributo’, o Tribunal reúne as principais recomendações, em áreas fundamentais, como o enquadramento financeiro e orçamental,​ a ​prestação de contas e a contratação pública.
A definição e fundamentação destas temáticas resultam da actividade recente do Tribunal, em especial, das conclusões e recomendações contidas nos seus pareceres, relatórios, acórdãos e decisões, que ainda se encontram por acolher.
O Tribunal lança 4 recomendações essenciais, apontando para a necessidade de:

  • Assegurar uma governação pautada por princípios de boa gestão, no respeito das leis e na adopção de critérios de economia, eficiência e eficácia;
  • Garantir o cumprimento rigoroso de princípios e regras legais respeitantes, designadamente, à execução e ao controlo orçamental e à contratação pública;
  • Prosseguir os esforços de adequada aplicação dos referenciais contabilísticos aprovados, designadamente o Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas (SNC-AP):
  • Melhorar os procedimentos de controlo interno das entidades sujeitas aos poderes de controlo financeiro e à jurisdição do Tribunal.
    Dentro destas recomendações, o Tribunal recomenda ainda a necessidade de “inverter a trajectória de crescimento contínuo da dívida pública regional e tomar medidas que garantem a sustentabilidade das finanças públicas regionais”.

Alerta ainda para a necessidade de “implementação de mecanismos de controlo adequados á fiscalização rigorosa de empreitadas de obras públicas”.
Recomenda ainda a necessidade de “definir as orientações estratégicas para as empresas do Grupo SATA, necessariamente alinhadas com o respectivo Plano de Reestruturação, aprovado pela Comissão Europeia, em 07-06-2022, consubstanciando as metas e objectivos para as empresas, com carácter plurianual” e “cumprimento pontual dos contratos de concessão”.

Edit Template
Notícias Recentes
há 4 médicos por mil habitantes nos açores, abaixo da média nacional
Venda de carros novos dispara nos dois primeiros meses
Câmara de P. Delgada reforça em 60% verbas para as Juntas de Freguesia
Livro reúne testemunhos sobre os 50 anos do 25 de Abril nos Açores
Câmara Municipal de Ponta Delgada e Greenvolt entregam Bolsas de Mérito a alunos do ensino secundário
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores