Edit Template

Tribunal de Contas lança recomendações ao novo Governo Regional

O Tribunal de Contas divulgou ontem o documento “No início de uma nova Legislatura.: Contributo para a melhoria da gestão pública e da sustentabilidade das finanças públicas da Região Autónoma dos Açores”.
É a primeira vez que, no início de uma nova Legislatura na Região Autónoma dos Açores, o Tribunal de Contas dá o seu Contributo à Assembleia Legislativa e ao Governo Regional, “num documento atual, útil e construtivo para a boa gestão e a sustentabilidade das finanças públicas”, lê-se no documento.
​Esta iniciativa teve início com a eleição para Assembleia da República, em janeiro de 2022, tendo sido também aplicada na Região Autónoma da Madeira, na eleição de 2023.
Neste ‘Contributo’, o Tribunal reúne as principais recomendações, em áreas fundamentais, como o enquadramento financeiro e orçamental,​ a ​prestação de contas e a contratação pública.
A definição e fundamentação destas temáticas resultam da actividade recente do Tribunal, em especial, das conclusões e recomendações contidas nos seus pareceres, relatórios, acórdãos e decisões, que ainda se encontram por acolher.
O Tribunal lança 4 recomendações essenciais, apontando para a necessidade de:

  • Assegurar uma governação pautada por princípios de boa gestão, no respeito das leis e na adopção de critérios de economia, eficiência e eficácia;
  • Garantir o cumprimento rigoroso de princípios e regras legais respeitantes, designadamente, à execução e ao controlo orçamental e à contratação pública;
  • Prosseguir os esforços de adequada aplicação dos referenciais contabilísticos aprovados, designadamente o Sistema de Normalização Contabilística para as Administrações Públicas (SNC-AP):
  • Melhorar os procedimentos de controlo interno das entidades sujeitas aos poderes de controlo financeiro e à jurisdição do Tribunal.
    Dentro destas recomendações, o Tribunal recomenda ainda a necessidade de “inverter a trajectória de crescimento contínuo da dívida pública regional e tomar medidas que garantem a sustentabilidade das finanças públicas regionais”.

Alerta ainda para a necessidade de “implementação de mecanismos de controlo adequados á fiscalização rigorosa de empreitadas de obras públicas”.
Recomenda ainda a necessidade de “definir as orientações estratégicas para as empresas do Grupo SATA, necessariamente alinhadas com o respectivo Plano de Reestruturação, aprovado pela Comissão Europeia, em 07-06-2022, consubstanciando as metas e objectivos para as empresas, com carácter plurianual” e “cumprimento pontual dos contratos de concessão”.

Edit Template
Notícias Recentes
Câmara de Ponta Delgada investe 250 mil euros na requalificação de ruas nas Capelas
Padre açoriano ordenado no Canadá celebra missa nova nas Feteiras
Trabalhadores de terra da SATA decretam greve em Agosto e Setembro
“Tarifa Açores” mantém-se em 2024 e já beneficiou cerca de 1 milhão de passageiros
Oferta de casas para arrendar desceu 12% em Ponta Delgada no último ano
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores