Edit Template

Município de P. Delgada atribui “Chave de Honra”a Carlos César e Manuel Arruda

A Câmara de Ponta Delgada, presidida por Pedro Nascimento Cabral, vai atribuir a “Chave de Honra do Município”, a mais alta distinção honorífica municipal, a Carlos César e Manuel Arruda, numa cerimónia solene a realizar-se a 2 de Abril, Dia da Cidade, no Coliseu Micaelense.
As propostas para a atribuição da “Chave de Honra do Município de Ponta Delgada” a Carlos César, Presidente do Governo da Região Autónoma dos Açores, entre 1996 e 2012, e a Manuel Arruda, antigo Secretário Regional do Governo dos Açores e Presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, entre 1993 e 2001, partiram do actual executivo camarário, tendo sido aprovadas, por unanimidade, na reunião ordinária de ontem.
Na mesma reunião, foram aprovadas propostas para a atribuição de outras distinções honoríficas municipais, reconhecendo entidades e personalidades que contribuíram ou contribuem para o progresso e bem-estar social do concelho de Ponta Delgada.
A autarquia decidiu, assim, atribuir a distinção de “Medalha de Ouro do Município” aos Grupos Bensaude e Finançor, e, a título póstumo, ao apresentador, locutor e empreendedor Victor do Carmo Cruz, bem como aos médicos Carlos Pereira Duarte e Jaime Pereira Forjaz Sampaio.
A Câmara Municipal de Ponta Delgada vai entregar o “Diploma de Cidadão Honorário” ao antigo reitor da Universidade dos Açores João Luís Gaspar e aprovou a atribuição da “Medalha de Mérito do Município” ao Rancho Folclórico de Santa Cecília da Fajã de Cima, ao Judo Clube de Ponta Delgada, à Presidente da Associação Gímnica dos Açores e treinadora de aeróbica, Alexandra Barroso, e, a título póstumo, à empresária Fátima Pacheco de Medeiros.
Por seu turno, o “Diploma de Reconhecimento Municipal” vai ser atribuído aos Tunídeos – Tuna Masculina da Universidade dos Açores e à Fundação Gaspar Frutuoso, assim como aos jornalistas Sidónio Bettencourt e José Manuel dos Santos Narciso.
A mesma distinção honorífica será também entregue ao padre Nemésio Medeiros, ao antigo Chefe Coordenador da Esquadra de Investigação Criminal da Polícia de Segurança Pública de Ponta Delgada, Humberto Bettencourt, à académica e escritora Margarida Lalanda, ao empresário e proprietário da Loja Londrina, Carlos Sá, assim como ao casal Liberto e Nélia Furnas, que salvou uma família de Santo António na sequência de uma tempestade ocorrida em agosto de 2023.
A título póstumo, o “Diploma de Reconhecimento Municipal” vai ser ainda atribuído ao antigo Presidente da Junta de Freguesia da Candelária, João Alberto Pereira, ao antigo automobilista e empresário, Horácio Franco, e a António Ferreira Pacheco, que foi representante da Fundação dos Botelhos de Nossa Senhora da Vida, na Cinaçor, e um dos grandes impulsionadores da venda do Coliseu Micaelense à Câmara Municipal de Ponta Delgada, em 2005.

Edit Template
Notícias Recentes
Produtores e Industriais das pescas criticam Lotaçor por praticar preços superiores à congénere madeirense
Menos pescado e menos valor descarregados em Maio nos portos dos Açores
Insolvências subiram 117% em Ponta Delgada nos primeiros 5 meses deste ano
O melhor do nacional de surf é já depois de amanhã na Ribeira Grande
Bolieiro diz que incêndio deve ser encarado como oportunidade para tornar HDES numa “referência”no país
Notícia Anterior
Proxima Notícia

Copyright 2023 Diário dos Açores