Artigos

Governo Regional de visita ao grupo ocidental até sexta-feira

  • Imprimir

Executivo regional nas floresO Governo Regional iniciou ontem as visitas impostas pelo Estatuto Político-Administrativo da região às ilhas das Flores e do Corvo, durante as quais se reunirá em conselho, fará diversas visitas e inaugurações e receberá a população.
Segundo a agência Lusa, a chamada “visita estatutária” às ilhas do grupo ocidental dos Açores começa nas Flores e termina na sexta-feira, no Corvo, reunindo o Conselho do Governo em cada uma delas.
Ao longo destes dois dias, o Governo Regional assinará um contrato com a Resiaçores–Gestão de Resíduos dos Açores, para a exploração dos centros de processamento de resíduos e de valorização orgânica por compostagem das duas ilhas.
Tanto nas Flores como no Corvo, os membros do executivo regional voltam a receber todos os habitantes das ilhas que manifestem essa vontade.
Entre visitas a obras, equipamentos e instituições, haverá também a inauguração, no Corvo, do Caminho da Várzea e do Polidesportivo, “um equipamento que vem colmatar a falta de uma instalação desportiva coberta na ilha e dispõe de condições para receber também iniciativas de natureza sócio-cultural”, segundo uma nota do Governo açoriano.
Ainda no Corvo, Vasco Cordeiro inaugurará também a “primeira fase do projecto ‘Corvo Sustentável’, que visa dotar a ilha com painéis solares que permitam reduzir a dependência do consumo de gás, cujo abastecimento é dificultado no Inverno pelas condições meteorológicas adversas”.
No artigo 87.º, o Estatuto Político-Administrativo dos Açores define as “visitas obrigatórias do Governo Regional”, estabelecendo que o executivo “visita cada uma das ilhas da Região pelo menos uma vez por ano” e que “o Conselho do Governo Regional reúne na ilha visitada”.
Durante estas visitas, e tal como é habitual, o executivo reunirá com o Conselho de Ilha das Flores e do Corvo.
Os conselhos de ilha são órgãos consultivos que integram os presidentes das câmaras e das assembleias municipais, deputados das assembleias municipais e representantes de associações e movimentos sindicais, empresariais e agrícolas de cada ilha dos Açores.