Artigos

Novo projecto LIFE+ “Terras do Priolo” com financiamento de 3,3 milhões de euros

priolo1O novo projecto LIFE+ “Terras do Priolo”, apresentado pela Secretaria Regional dos Recursos Naturais em parceria com a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA), arranca a 1 de Julho e vai permitir viabilizar o trabalho desenvolvido na zona nordeste de São Miguel, única região do mundo onde existe aquela pequena ave.
O projecto, com a duração de cinco anos, vai permitir a manutenção de 22 postos de trabalho e tem um financiamento de 3,3 milhões de euros, dos quais 75 por cento são assumidos por fundos comunitários e os restantes 25 por cento são assegurados pela região.
De acordo com o Gabinete de Apoio à Comunicação Social, a criação de trilhos pedestres com novas acessibilidades, a intervenção em gradiente de altitude, o teste de novas metodologias para controlo de exóticas, a recuperação de derrocadas e declives e um programa extenso de educação ambiental são algumas das medidas previstas no novo projecto, que também prevê uma carta de desporto de natureza, a monitorização de roedores, a visitação da Zona de Protecção Especial, a monitorização dos trilhos e a recuperação de floresta natural.
O Secretário Regional dos Recursos Naturais, numa visita que realizou terça-feira ao Centro Ambiental do Priolo e a várias áreas intervencionadas na Serra da Tronqueira no âmbito do anterior programa LIFE Laurissilva Sustentável, destacou o “trabalho excelente” que foi realizado durante a última década pela SPEA nos concelhos de Nordeste e Povoação.
Para Luís Netto Viveiros, este trabalho “tem retorno, tanto ao nível dos fundos comunitários que vêm para a Região, como ao nível da criação de emprego”, numa referência ao facto de ter sido possível, além da criação de empregos directos, permitir a formação de mais de 250 voluntários e estagiários.
Luís Netto Viveiros realçou ainda que estes projectos desenvolvidos em parceria pelo Governo dos Açores e pela SPEA potenciam a captação de turistas, gerando “um retorno económico significativo”, além da mais-valia científica e ambiental, que tem sido premiada por várias entidades internacionais.
As intervenções realizadas naquela zona da ilha de São Miguel permitiram retirar o Priolo da classificação de ave “Criticamente em Perigo”, recuperando 350 hectares de habitat natural desta pequena ave (laurissilva e turfeira), entre outras acções.