Artigos

Atraso na correcção não prejudica contribuintes, defende o Executivo açoriano

sergio avila1O vice-presidente do Governo dos Açores, Sérgio Ávila, acusou ontem o líder do PSD na região de tentar “confundir os açorianos” em relação ao IRS, negando ainda que haja contribuintes prejudicados com o atraso na correcção das tabelas.
“É uma grave tentativa de faltar à verdade e de confundir os açorianos”, frisou, em declarações à Lusa, referindo-se às acusações do líder social-democrata, Duarte Freitas, de que uma parte da classe média foi prejudicada pela alteração do diferencial fiscal em sede de IRS de 25 para 20%.
Segundo Sérgio Ávila, a redução do número de escalões do IRS, a nível nacional, levou a que fosse necessário ajustar o diferencial fiscal na região, mas houve mais quem beneficiasse do que quem fosse prejudicado.
O vice-presidente do Governo Regional salientou que quem ganha entre 4.900 e 7.000 euros beneficiava de um diferencial fiscal de 25%, que passou a 30%, enquanto quem ganha entre 7.000 e 20.000 euros mantém um diferencial fiscal de 20%. Apenas quem ganha entre 7.000 e 7.410 vê o seu diferencial fiscal reduzido de 25 para 20%.
Por outro lado, segundo Sérgio Ávila, os açorianos não são prejudicados pelo atraso na correcção das tabelas de retenção na fonte de IRS, como afirmou o líder social-democrata.
“Há uma confusão entre a taxa de imposto e o adiantamento ao pagamento”, salientou, acrescentando que “é no apuramento final que se aplica a taxa real”.
O governante rejeita, no entanto, a acusação de que o executivo açoriano não pediu ao Governo da República a correcção das tabelas.
“Não é verdade que o Governo Regional não tenha solicitado essa actualização, porque o fez logo a seguir à publicação em Diário da República do orçamento da região”, frisou, adiantando que esse pedido foi feito a 08 de Maio.