No ano passado houve 21 casamentos entre pessoas do mesmo sexo nos Açores

casamento gay

No ano passado realizaram-se nos Açores 21 casamentos entre pessoas do mesmo sexo (8 no masculino e 13 no feminino), revelou o SREA em publicação a que o nosso jornal teve acesso.  

Recorde-se que, com a Lei nº 9/2010 de 31 de Maio, passou a ser permitido o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo, pelo que, a partir de 2010, os valores divulgados pelo SREA também incluem esses casamentos. 

 Em 2017 foram celebrados, nos Açores, 921 casamentos (menos 1 que em 2016), um valor que relacionado com o efectivo populacional estimado para o meio do ano, revela uma taxa de nupcialidade de 3,8 casamentos por mil habitantes (valor igual ao do ano anterior). 

 

Casamentos de preferência no Verão

 

 As Ilhas de São Miguel, Terceira e São Jorge, são as ilhas que apresentam uma taxa de nupcialidade superior à média regional (3,9‰, 4,0‰ e 3,9‰ respectivamente). 

As restantes ilhas apresentam, para este ano, taxas inferiores à média da região. 

À semelhança do que vem acontecendo em anos anteriores os açorianos em 2017 continuaram a preferir casar nos meses de Verão, em especial em Julho (190 casamentos), Agosto (100 casamentos) e Setembro (140 casamentos). 

  Em 2017, cerca de 85,9% dos nubentes optaram pelo regime geral de bens – a comunhão de adquiridos. 

Do total de casamentos celebrados, cerca de 66,3% (611) dizem respeito a primeiros casamentos – casamentos de mulheres solteiras com homens solteiros – taxa inferior a 2016, que foi 69,6%. 

Observa-se que o fenómeno de nupcialidade de 2ª ordem (segundos casamentos e superiores) em 2017 foi mais significativo no caso do sexo masculino: do total de nubentes do sexo masculino, 1,2% eram viúvos e 21,8% divorciados; no caso do sexo feminino, 1,5% eram viúvas e 22,5% divorciadas. 

 

 623 divórcios no anos passado

 

  De acordo com os dados de casamentos dissolvidos por divórcio, agora divulgados, em 2017 ocorreram 623 divórcios, tendo sido registada uma diminuição de 1,9% relativamente a 2016, ano em que se registaram 635 casos. 

A taxa de divórcio foi de 2,5‰, tendo descido 1,0 p.p. comparativamente a 2016. 

  Um outro indicador – número de casamentos dissolvidos através de divórcio por 100 casamentos celebrados - reflecte a mesma realidade. 

Em 2017 por cada 100 casamentos celebrados registavam-se 67,4 divórcios enquanto que em 2016 o valor foi superior (68,9%).   

  Esta taxa apresenta valores elevados na maior parte das Ilhas. 

Apenas as Ilhas de Santa Maria (66,7%), São Miguel (65,2%), São Jorge (66,7%) e Pico (67,3%) obtiveram valores inferiores à média regional. 

De entre os valores mais elevados, destaca-se a Graciosa, em que houve mais divórcios que casamentos (133,3%) e o Corvo onde se celebrou um casamento e onde ocorreu 1 divórcio.