Empresas do sector agrícola dos Açores têm 28% do volume de negócios

vacas pastosO sector agrícola assumia em 2017 maior relevância no Alentejo e na Região Autónoma dos Açores, ao agregar 36% e 28%, respectivamente, do volume de negócios das empresas sediadas nestas regiões, revela um estudo do Banco de Portugal divulgado ontem. 

A área metropolitana de Lisboa era responsável por 30% do volume de negócios do sector, seguindo-se as regiões Centro e Norte (27% e 26%, respectivamente). 

O sector agrícola representava, em 2017, 9% das empresas em Portugal (37 mil empresas), 9% das pessoas ao serviço das empresas não financeiras (266 mil pessoas) e 14% do volume de negócios (49 mil milhões de euros). 

O número de empresas em actividade no sector aumentou 1,8% face a 2016, subida em linha com o aumento de 1,7% registado para o total das empresas. 

O peso do sector no total das empresas diminuiu 0,3 pp ao nível do volume de negócios e 0,2 pp no que respeita ao número de pessoas ao serviço. 

Em 2017, por cada empresa que encerrou atividade foram criadas 1,3 empresas, valor próximo do observado para o total das empresas. 

O crescimento do número de empresas em actividade no sector esteve associado ao aumento do número de microempresas (rácio natalidade/mortalidade de 1,3 em 2017) e de empresas ligadas à agricultura (rácio natalidade/mortalidade de 2,0, e de 0,9 nos restantes segmentos). 

O volume de negócios do sector agrícola aumentou 7% em 2017, crescimento inferior ao verificado no total das empresas (9%), mas superior ao registado pelo sector em 2016 (3%).

Todos os segmentos de actividade registaram subidas do volume de negócios em 2017: 10% na agricultura, 8% no comércio de produtos agrícolas e 6% na indústria de produtos agrícolas. 

Os dois últimos segmentos contribuíram com 3 pp, cada um, para a variação registada no sector como um todo.