Delta anuncia que vai produzir muito café nos Açores e lançar uma nova marca

rui nabeiroA Delta trouxe aos Açores uma equipa de brasileiros especialistas em café e chegou à conclusão de que é possível produzir café em massa no arquipélago e lançar uma marca 100% portuguesa, única na Europa.

Actualmente, há cerca de 30 cafeicultores nos Açores, com maior incidência na ilha Terceira. 

O compromisso da marca do grupo Nabeiro passa por estar a apoiar cerca de 500 agricultores em 15 anos.

“Não sabemos quando é que o café açoriano vai chegar às lojas. Há muito trabalho ainda a fazer. Trouxemos uma equipa do Brasil que está nos Açores a fazer um levantamento das necessidades. Esta equipa já percebeu que é possível fazer produção em massa de café nos Açores”, contou Rui Nabeiro, presidente do conselho de administração do Grupo Nabeiro, que esteve em Lisboa, ontem, para apresentar a estratégia global de sustentabilidade da Delta Cafés.

Actualmente, são produzidas nos Açores cerca de nove toneladas de café.

 “O que é muito pouco e, basicamente, serve o consumo local. Esta equipa vai dar formação aos agricultores. E o nosso compromisso é investir no desenvolvimento da produção, garantindo a compra de toda a produção”, acrescentou.

“Estamos muito satisfeitos com esta parceria que vai permitir aumentar a produção de café nos Açores e o rendimento dos agricultores, juntando o conhecimento local e a tecnologia e a experiência da Delta”, disse, por sua vez, José Bernardo, presidente da Associação de Produtores Açorianos de Café (APAC). 

“Vai ser certamente um grande compromisso para a sustentabilidade futura da região dos Açores”, que não pode assentar exclusivamente na monocultura da vaca leiteira. 

A aposta do Grupo Nabeiro surgiu depois de duas missões no terreno para averiguar da capacidade de produção de café no arquipélago.

 “Nós sózinhos não íamos a lado nenhum”, diz José Bernardo, presidente da APAC. 

O compromisso fechado com a Delta vai ajudar a aumentar os rendimentos das famílias, “algumas delas só produtoras de café a tempo parcial”. 

“Não queremos acabar com a produção da vaca leiteira, mas complementar”, frisa. 

A Delta Cafés irá apoiar os associados da APAC em todas as fases de produção de café: desde a introdução de novas variedades de café competitivas e economicamente viáveis, passando pelo aconselhamento técnico e pelo apoio na comercialização, até à elaboração de um plano estratégico para toda a cadeia produtiva do café, promovendo um sector socioeconómico rentável. 

Rui Miguel Nabeiro não arrisca valores de produção, mas garante que a companhia tem o compromisso para a compra deste café. 

O administrador não adianta uma data para a produção dos Açores começar a ser comercializada na oferta da Delta. 

Mais Lidas nos últimos 3 dias