Solenidade do Corpo de Deus assinalada amanhã em toda a igreja diocesana

  • Imprimir

Corpo de Deus - povoaçãoOs açorianos, a par de toda a igreja, celebram amanhã a solenidade litúrgica do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, conhecida popularmente como Corpo de Deus. Uma celebração com raízes medievais, que é feriado nacional, e que convoca crentes de muitas localidades para a celebração da festa do Corpo de Deus, invocadora do “triunfo do amor de Cristo pelo Santíssimo Sacramento da Eucaristia”.

Na sede diocesana, em Angra, a catedral veste-se de festa para uma celebração às 18h00, presidida pelo bispo D. João Lavrador, seguida de procissão pelas principais ruas do centro histórico até à igreja de Santa Luzia. Integrar-se-ão na procissão todas as cruzes paroquiais da ouvidoria. Em Santa Luzia haverá a bênção do Santíssimo.

Também em Ponta Delgada, pelas 18h00 será celebrada uma eucaristia, presidida pelo ouvidor cónego José Medeiros  Constância. A procissão solene pelas principais ruas de Ponta Delgada será presidida pelo cÒnego Adriano Borges, Vigário Episcopal.

Os 18 estandartes e cruzes paroquiais das paróquias da ouvidoria estão convidadas a incorporar-se na procissão.

Em São Miguel, na ouvidoria da Povoação, o Dia de Corpo de Deus, feriado religioso reposto no calendário nacional há três anos depois de uma suspensão durante o período em que Portugal foi intervencionado por instâncias externas, coincide com o feriado municipal do concelho. Na Povoação, este é um dos dias mais importantes com as ruas a encherem-se de fiéis para uma das festas principais do concelho, com as varandas engalanadas e os inúmeros tapetes de flores que cobrem as ruas deste concelho micaelense que recebe neste dia as várias comunidades paroquiais que se incorporam na procissão, com a participação de todas as filarmónicas.

A celebração do Dia do Corpo de Deus tem um profundo enraizamento popular, desde logo porque está associada ao feriado municipal. Por isso, ao contrário de outros lugares o sermão é feito junto ao edifício da Câmara Municipal e aí é feita a bênção do Santíssimo.

Também na Horta, na Igreja do Santíssimo Salvador, às 18h00, será celebrada Missa Solene do Santíssimo Corpo e Sangue de Cristo, com a presença do Clero, das Irmandades, Confrarias e Ordens Terceiras. Este ano a festa ganha um novo colorido com a celebração das bodas de prata da ordenação de um filho da terra: Monsenhor António Manuel Saldanha. Assim, o tríduo preparatório da festa iniciou-se a 17 de Junho. A Missa solene do Corpo de Deus, que integra também a homenagem ao sacerdote que vive em Roma e serve na Congregação da Causa dos Santos, começa às 17h30, seguida de procissão pelas principais ruas da cidade. Às 20h30 realiza-se um Jantar de Homenagem ao Mons. Saldanha no Centro Pastoral do Carmo.

Na Ouvidoria do Pico realizam-se seis procissões no dia da Solenidade do Corpo de Deus: na Zona Pastoral da Madalena há procissão na Matriz da Vila Madalenense, no Santuário do Senhor Bom Jesus, em São Mateus e na Paróquia da Candelária, este ano no Curato de Santo António do Monte. Na Zona Pastoral das Lajes haverá procissão na Matriz da Vila Lajense e em Santa Bárbara das Ribeiras. Na Zona Pastoral de São Roque na Matriz da Vila nortenha. Realce-se a tradição da feitura de tapetes de flores e verduras nos percursos das procissões, que saem à rua acompanhadas pelas filarmónicas locais.

Na ouvidoria da Graciosa, a festa é na Praia, com uma procissão única. Na Solenidade do Corpo de Deus quase todas as paróquias realizam a festa da primeira comunhão com as suas crianças da catequese.

A Solenidade Litúrgica do Corpo e Sangue de Cristo começou a ser celebrada há mais de sete séculos, em 1246, na cidade de Liège, na actual Bélgica, tendo sido alargada à Igreja latina pelo Papa Urbano IV através da bula ‘Transiturus’, em 1264, dotando-a de missa e ofício próprios.

Na origem, a solenidade constituía uma resposta a heresias que colocavam em causa a presença real de Cristo na Eucaristia, tendo-se afirmado também como o coroamento de um movimento de devoção ao Santíssimo Sacramento; terá chegado a Portugal provavelmente nos finais do século XIII e tomou a denominação de Festa de Corpo de Deus.

A “comemoração mais célebre e solene do Sacramento memorial da Missa” (Urbano IV) recebeu várias denominações ao longo dos séculos: festa do Santíssimo Corpo de Nosso Senhor Jesus Cristo; festa da Eucaristia; festa do Corpo de Cristo.

Esta solenidade “enraiza-se no Mistério Pascal de Cristo” e pretende oferecer a “valorização” da Ceia Pascal, continuada na Eucaristia, que por vontade de Jesus Cristo O tornaria presente junto dos seus discípulos.