Governo cria ‘Solidariedade em Movimento’ para apoiar instituições sociais

  • Imprimir

Vasco Cordeiro faial

O Governo dos Açores iniciou ontem a visita à ilha do Faial com a inauguração do Centro de Dia dos Flamengos, onde Vasco Cordeiro anunciou a criação do novo programa ‘Solidariedade em Movimento’ para apoiar as instituições que trabalham na área social na renovação das suas frotas.

“Trata-se de um investimento de cerca de um milhão de euros, ao longo dos próximos três anos, que se destina a renovar a frota automóvel dessas instituições, porque isso é uma necessidade para permitir que a sua acção, desde logo, através dos cuidados domiciliários, chegue mais longe”, afirmou Vasco Cordeiro.

Segundo o Presidente do Governo, a implementação deste novo programa de apoio terá ainda um “cuidado especial com as novas exigências” que se colocam actualmente, no que tem a ver com veículos eléctricos e de menor consumo de combustível poluente.

Na inauguração do Centro de Dia dos Flamengos, que representou um investimento de cerca de 1,1 milhões de euros, Vasco Cordeiro assegurou que esta nova infra-estrutura “não é um acto isolado” na estratégia regional de apoio aos idosos dos Açores.

“No próximo ano, e desde 2013, nós concluiremos essa aposta que se vai traduzir em cerca de mais meio milhar de vagas no que tem a ver com cuidados para idosos” em todas as ilhas da Região, salientou o Presidente do Governo.

Mais importante do que os cerca 31 milhões de euros investidos desde 2013 nesta área “são os cerca de meio milhar de idosos de toda a Região, e as suas famílias, que passam a ter a tranquilidade e a qualidade de acolhimento” com estas novas respostas, sublinhou Vasco Cordeiro, ao destacar a “parceria e a aliança virtuosa de boas vontades” que se estabelece com as instituições desta área e que “produz resultados todos os dias”.

Segundo disse, este investimento nos Flamengos, à semelhança dos restantes efectuados em toda a Região, tem um significado de reforço da coesão social, uma vez que garante condições de conforto, de acolhimento e de dignidade a quem deles beneficia.

Mas tem também um significado de coesão territorial, assegurou Vasco Cordeiro, ao destacar que o Governo dos Açores tem a posição “clara e inequívoca” de implementar este tipo de resposta social, não apenas nos centros urbanos, mas também junto das comunidades onde se inserem os idosos.

É, na prática, um sentido de humanização que está ligado a “esta ideia de coesão territorial, uma vez que estes investimentos de proximidade permitem às pessoas continuar a viver e a ter como referência a sua comunidade e o seu meio”, destacou Vasco Cordeiro.