Calendários venatórios de ilha publicados ontem no Jornal Oficial

caçadorA época venatória 2019/2020 nos Açores teve ontem início, de acordo com os calendários venatórios de ilha, publicados ontem em Jornal Oficial e  que irão vigorar até 30 de Junho de 2020. 

Os calendários indicam aos caçadores quais as espécies que se podem caçar, o período em que a caça pode ser exercida, o número de peças que podem ser capturadas, os locais onde a caça é permitida e os processos de caça que podem ser utilizados.

Nas ilhas de São Miguel, Santa Maria, Terceira, São Jorge, Pico, Faial e Flores, por exemplo, é proibido caçar pombo-da-rocha nos locais de nidificação da espécie, nomeadamente junto às barrocas do mar, e com utilização de barco. 

O Secretário Regional da Agricultura e Florestas destacou o consenso alcançado, nos Açores, entre organizações de caçadores, agricultores, ambientalistas e florestais na definição destes calendários venatórios, que considerou ser “essencial” para continuar a existir uma gestão cinegética sustentável no arquipélago.

“Os calendários venatórios para as diferentes ilhas resultam da auscultação realizada aos parceiros do sector, reflectindo o consenso que foi alcançado entre todas as partes envolvidas neste processo”, afirmou ontem João Ponte, citado em comunicado.

No mesmo texto, o executivo refere que “tem como principal objectivo garantir que a gestão dos recursos cinegéticos seja feita de uma forma sustentável, no respeito pelos princípios da conservação da natureza e do equilíbrio biológico e em articulação com as restantes formas de exploração da terra”. 

Segundo destaca ainda o governo açoriano, “a gestão dos recursos, além de se basear em estudos sobre a biologia e ecologia das espécies cinegéticas da Região e nos resultados de programas de monitorização de longa duração, que têm permitido perceber as variações na abundância das suas populações, também tem em consideração a consulta das organizações de caçadores, agricultores, produtores florestais e de defesa do ambiente, assim como o resultado de inquéritos de opinião realizados aos caçadores durante as jornadas de caça”.