Ponta Delgada nos 150 anos do Diário dos Açores

1. Largo da Graça na década de 1880

 

O Diário dos Açores completa agora 150 anos de publicação. É o mais antigo quotidiano do arquipélago. Conta mais de 42.000 edições. Pelas suas páginas, passa também a própria história de Ponta Delgada.

A câmara municipal reconhece e enaltece o seu contributo para a divulgação da nossa atualidade e para o arquivo da nossa memória. Foi assim em 1914, com a atribuição do nome do seu fundador, Tavares de Resende, para designação toponímica da antiga Rua da Canada. Foi assim em 1970, com a atribuição do topónimo “Rua Diário dos Açores” para comemorar o seu centenário, ainda sublinhado pela entrega de uma medalha de prata municipal.

De facto, reler o jornal Diário dos Açores é reviver a história de Ponta Delgada. Mesmo em cada quarto de século vamos encontrar curiosas memórias. 

Por exemplo, há 150 anos, é instituído o Asilo de Mendicidade de Ponta Delgada e inaugurada a Igreja Paroquial da Fajã de Cima. Há 125 anos, é publicado o Decreto Autonomista de 2 de Março e eleita a primeira Junta Geral do Distrito Autónomo de Ponta Delgada. Há 100 anos, é criada a Companhia de Navegação Carregadores Açorianos, fundado o jornal Correio dos Açores, empreendida a iluminação elétrica da cidade, constituída a Junta Autónoma do Porto de Ponta Delgada. Há 75 anos, é inaugurado o farol de Santa Clara. Há 50 anos, realiza-se a primeira Cimeira Insular em Ponta Delgada e no Funchal. Há 25 anos, é inaugurada a nova aerogare do Aeroporto João Paulo II e  Mota Amaral é substituído por Madruga da Costa na presidência do Governo Regional dos Açores.

Vale a pena recordar tantos outros episódios, mais ou menos marcantes, da nossa história coletiva comum nos seis quartéis consecutivos do percurso editorial do Diário dos Açores, que aqui celebramos.

 

Há 150 anos

Em 1870, no dia 5 de fevereiro, é fundado o jornal “Diário dos Açores”, por iniciativa de Manuel Augusto Tavares de Resende.

Mas há outros acontecimentos ocorridos nesse ano em Ponta Delgada:

A 18 de janeiro, é concedido o segundo título de barão de Fonte Bela a Amâncio Gago da Câmara, de Ponta Delgada.

A 31 de janeiro, é inaugurado o teatrinho da Sociedade “Recreio Dramático”, na Rua de Santa Luzia, em Ponta Delgada.

A 1 de fevereiro, morre o conselheiro e comendador Eusébio Dias Poças Falcão, governador civil do distrito de Ponta Delgada.

A 7 de abril, António José da Rocha e Lucas da Trindade Leitão são nomeados para juízes da Relação dos Açores, em Ponta Delgada.

A 11 de abril, nasce, em Ponta Delgada, o coronel António Teixeira de Miranda, comandante militar e grande oficial da Ordem Militar de Avis, homenageado pela câmara municipal com a atribuição designação toponímica “Rua Coronel Miranda” à antiga “Rua do Saco”.

A 13 de abril, morre, em Ponta Delgada, Joaquim Manuel Fernandes Braga, professor do liceu, pai de Teófilo Braga.

2. Largo da Misericórdia na década de 1890

Largo da Misericórdia na década de 1890

A 3 de junho, José de Mello Giraldes Sampaio de Bourbon é nomeado presidente da Relação dos Açores, em Ponta Delgada.

A 4 de junho, é constituída uma comissão de micaelenses encarregue de instituir o Asilo de Mendicidade de Ponta Delgada, por alvará do governador civil, visconde Bruges, depois conde da Praia da Vitória.

A 10 de junho, é decretada a concessão do título de 1º visconde das Laranjeiras ao 2º barão das Laranjeiras, António Manuel de Medeiros da Costa Canto Albuquerque, de Ponta Delgada.

A 18 de junho, é concedido o título de 2º visconde das Laranjeiras a Manuel de Medeiros da Costa Araújo e Albuquerque, natural de São Pedro de Ponta Delgada.

A 19 de junho, nasce, na ilha da Madeira, o médico Carlos Abel Bettencourt Leça, benemérito da freguesia dos Ginetes.

A 16 de julho, é inaugurada a igreja de Nossa Senhora da Oliveira, na freguesia da Fajã de Cima, construída desde 1856.

A 23 de julho, é fundado, em Ponta Delgada, o jornal “Ecco Michaelense”.

A 28 de julho, morre, em Angra, o bispo D. Frei Estavam de Jesus Maria da Costa, que viveu em Ponta Delgada de 1840 a 1859.

A 2 de agosto, é concedido o título de barão de Nossa Senhora da Oliveira a Manuel Inácio da Silveira, de Ponta Delgada.

A 12 de outubro, é concedido o título de condessa de Fonte Bela à 1ª baronesa de Fonte Bela, Mariana Isabel de Menezes Amorim, de Ponta Delgada.

3. Largo da Câmara na década de 1900

Largo da Câmara na década de 1900

Há 125 anos

 

Em 1895, a 1 de fevereiro, o vapor inglês “Ituni” naufraga defronte das alcaçarias de São Pedro, em Ponta Delgada.

A 6 de fevereiro, é fundado, em Ponta Delgada, o bissemanário “O Comércio Micaelense”, dirigido por Manuel Jacinto da Câmara, impresso na tipografia do Campeão Popular, Rua da Graça, nº15. 

A 28 de fevereiro, nasce, em Loures, António Borges Coutinho de Medeiros Sousa Dias da Câmara, 3º marquês da Praia e Monforte por autorização de el-rei D. Manuel II, neto de António Borges de Medeiros Dias da Câmara e Sousa, natural de São José de Ponta Delgada.

A 2 de março, é publicado o decreto legislativo que concede a autonomia administrativa aos distritos dos Açores e da Madeira, assinado pelo rei D. Carlos, sendo presidente do conselho de ministros Ernesto Rodolfo Hintze Ribeiro, natural de Ponta Delgada, definindo a constituição, modo de funcionamento, competências e atribuições das juntas gerais, fazenda, orçamento distrital, contabilidade distrital, comissão distrital e câmaras municipais.

Também a 2 de março, inicia-se o funcionamento do novo farol de Ponta Delgada, substituindo o anterior destruído pelo temporal de 1894.

A 8 de março, realiza-se uma sessão solene da Câmara Municipal de Ponta Delgada, presidida por José Maria Raposo do Amaral, para celebrar a chegada do “Diário do Governo”, a bordo do paquete “Açor”, que publica o decreto autonomista de 2 de março.

A 14 de março, são atribuídas as toponímias “Largo Conselheiro João Franco” (antigo Largo do Município) e “Rua Hintze Ribeiro” (antiga Rua do Frade e Rua do Garcia), na freguesia da Matriz, em sessão extraordinária da Câmara Municipal de Ponta Delgada, como “reconhecimento pela autonomia administrativa consignada pelo Decreto de 2 de Março”.

A 18 de março, é inaugurada a Exposição Distrital de Artes e Indústrias de Ponta Delgada, realizada no Relvão.

A 28 de março, morre, em Ponta Delgada, a madre Teodora Isabel do Coração de Maria, com 100 anos de idade, a última religiosa que faleceu no convento de Santo André.

A 18 de maio, chega a Ponta Delgada o terceirense Francisco de Paula Moniz Barreto Corte Real, vindo de Angra do Heroísmo num barco feito de jornais, denominado “Autonomia”, para comemorar o decreto autonomista de 2 de Março.

A 17 de junho, são colocados o padre Manuel Furtado Fontes como cura-coadjutor da paróquia da Faã de Cima, o padre João Borges de Medeiros Amorim como cura-coadjutor da paróquia dos Mosteiros e o padre José Furtado maia como cura da paróquia de São José de Ponta Delgada.

A 4 de julho, é redigido o testamento de Maria Isabel Gago da Câmara da Silveira, baronesa de Nossa Senhora da Oliveira, fazendo doação para a construção de dois edifícios escolares na freguesia de Nossa Senhora dos Anjos, Fajã de Baixo, para meninas, e na freguesia de Nossa Senhora da Oliveira, Fajã de Cima, para o sexo masculino.

A 13 de julho, é registado um tremor de terra em Ponta Delgada.

A 15 de setembro, é decretado o estabelecimento de uma escola de pilotagem em Ponta Delgada.

A 17 de setembro, nasce, em Ponta Delgada, o industrial e benemérito António de Medeiros e Almeida, presidente da antiga “União das Fábricas Açorianas de Álcool”  atual “Sinaga” durante cerca de 50 anos, reorganizador da SATA e da Fábrica de Santa Clara, presidente da “Fundação Salazar” e patrono da “Fundação António de Medeiros e Almeida”, que adquiriu e ofereceu à Junta geral a península das Sete Cidades.

A 27 de setembro - Morre, em Ponta Delgada, Tomás de Sousa Estrela, o último frade franciscano da cidade.

A 22 de outubro - Nasce, na vila da Lagoa, Herculano de Amorim Ferreira, deputado autonomista pelo círculo de Ponta Delgada, presidente da Academia das Ciências, vice-presidente da Organização Meteorológica Mundial e subsecretário de Estado da Educação Nacional.

A 19 de novembro, é publicado o decretado que aplicou ao distrito de Ponta Delgada a organização administrativa criada pelo decreto de 2 de Março, sendo eleitos oito procuradores pelo concelho de Ponta Delgada, cinco pelo concelho da Ribeira Grande, três por cada um dos concelhos de Povoação e Vila Franca do Campo e dois por cada um dos concelhos de Lagoa, Nordeste e Vila do Porto.

A 8 de dezembro, é eleita a primeira Junta Geral Autónoma do distrito, presidida por Ernesto do Canto e integrando seis procuradores pelo concelho de Ponta Delgada, nomeadamente, Francisco Pereira Ataíde, Caetano de Andrade Albuquerque, Duarte Manuel de Andrade Albuquerque, Vitoriano Sequeira, Manuel Jacinto da Ponte e António Feliciano Sousa Mariz de Andrade Albuquerque. 

 

5. Largo de Camões na década de 1920

Largo de Camões na década de 1920

Há 100 anos

 

Em 1920, a 5 de fevereiro, é fundado, em Ponta Delgada, o semanário “A Actualidade”, dirigido por Ernesto Ferreira.

A 14 de fevereiro, é fundado, no Liceu de Ponta Delgada, o quinzenário “Voz Académica”, dirigido por José Machado Raposo de Medeiros.

A 15 de março, é criada, em Ponta Delgada, a empresa armadora “Companhia de Navegação Carregadores Açorianos”, acabando por ser englobada na “Empresa Insulada de Navegação” que, por sua vez, constituiu a “CTM - Companhia Portuguesa de Transportes Marítimos”.

A 21 de abril, morre, na ilha Terceira, o padre Eugénio Augusto de Oliveira, reitor do liceu de Angra e prefeito do seminário diocesano, natural de Ponta Delgada.

A 30 de abril, é emitida uma portaria concedendo à companhia portuguesa “Tagus Oil Cª” licença por cinco anos renováveis para estabelecer três tanques para depósito de óleos combustíveis no terreno denominado “Pedreira do Meio” das Obras Públicas de Ponta Delgada.

A 1 de maio, é fundado, em Ponta Delgada, o jornal “Correio dos Açores”, por José Bruno Carreiro e Francisco Luís Tavares.

A 31 de maio, é emitida uma portaria determinando que a estação telegrafo-postal da Ferraria, nos Ginetes, passe a estação telefone postal.

A 5 de junho, é emitido um telegrama ao “Diário dos Açores” comunicando ter sido aprovado o projeto de lei que isenta de direitos os materiais para a iluminação elétrica da cidade de Ponta Delgada.

A 19 de junho, é emitido o edital da Câmara Municipal de Ponta Delgada fazendo a primeira chamada obrigatória do empréstimo de 400 contos destinado às obras de iluminação elétrica da cidade.

A 24 de junho, é aberto o primeiro concurso para professor de canto coral no Liceu Central Antero de Quental, em Ponta Delgada.

A 28 de junho, é emitido o edital da Câmara Municipal de Ponta Delgada abrindo concurso, por noventa dias, para o fornecimento de luz e energia elétrica na cidade.

A 21 de julho, é emitida uma representação da Associação Comercial de Ponta Delgada à Câmara Municipal, protestando contra a construção de um hangar no Cais da Alfândega.

A 24 de julho, é encerrada a estação inglesa de telegrafia sem fios do Pico do Vigário, na freguesia das Feteiras, suspendendo o serviço de receção e expedição de radiogramas.

A 2 de agosto, é apresentada uma reclamação ao Ministro da Marinha, pelos pilotos do porto de Ponta Delgada, pedindo os ordenados mensais de categoria de 180 escudos fortes para piloto-mor e 170 escudos para pilotos.

A 5 de agosto, é emitido o edital da Junta geral do distrito de Ponta Delgada dando por arrematação as obras necessárias no “manicómio do Egipto”.

A 13 de agosto, é aprovada, pelo Congresso da República Portuguesa, a prorrogação, por mais 20 anos, do regime para o fabrico do açúcar em Ponta Delgada, a contar de 1921.

A 22 de setembro, nasce, em Ponta Delgada, o professor e jornalista Luciano Mota Vieira, cavaleiro da Ordem do Rei Leopoldo da Bélgica e comendador da Ordem de Mérito.

A 25 de setembro, é emitido um telegrama ao “Diário dos Açores”, comunicando ter sido autorizada a compra dos aparelhos destinados ao Observatório Meteorológico de Ponta Delgada.

A 30 de setembro, é determinada a prisão dos pilotos do porto de Ponta Delgada por terem feito greve devido à escassez dos seus ordenados, sendo libertados a 3 de outubro.

A 1 de outubro, é emitido o edital do Governo Civil de Ponta Delgada convidando as praças de reserva e reformadas da Armada para servirem nos navios dos Transportes Marítimos do Estado.

Também a 1 de outubro, é emitida uma portaria atribuindo à Escola Primária Superior de Ponta Delgada o nome de “Teófilo Braga”.

A 12 de outubro, é atribuído, solenemente, o nome do padre João Baptista de Valles, natural de Ponta Delgada, à escola “John B. de Valles School”, na cidade de New Bedford, Estados Unidos da América.

A 13 de outubro, é emitido um telegrama ao “Diário dos Açores”, comunicando que segue pelo transatlântico “Brittania” a verba destinada a “habilitar a Delegação de Saúde de Ponta Delgada à extinção da doença suspeita que tem aparecido nas freguesias de Relva e Arrifes”.

A 27 de outubro, realiza-se, em Ponta Delgada, a primeira sessão da comissão do 4º centenário do nascimento de Gaspar Frutuoso.

A 1 de novembro, é lavrada a escritura de constituição da sociedade cooperativa “Auxílio Doméstico de Ponta Delgada”, pelo notário Alípio Correia Lobo.

A 6 de novembro, é emitido um telegrama ao “Diário dos Açores”, comunicando que o Ministro do Trabalho concedeu um subsídio de 50 mil escudos para o combate da epidemia pestosa na ilha de São Miguel.

A 10 de novembro, é publicado, no Diário do Governo, a lei que classifica Ponta Delgada como concelho de 1ª ordem, aprovada em 1916.

A 18 de novembro, é emitido um telegrama ao “Correio dos Açores”, comunicando ter sido aprovado, na Câmara dos deputados em Lisboa, o projeto de lei que cria a Junta Autónoma do Porto de Ponta Delgada.

A 19 de novembro, é fundeado no porto de Ponta Delgada, para tomar carvão, o navio “Oltul”, o primeiro de nacionalidade romena a visitar a ilha de São Miguel. 

A 26 de novembro, é emitido o edital da Câmara Municipal de Ponta Delgada convidando os artistas da ilha a concorrerem aos prémios do legado do benemérito Manuel Inácio Correia.

A 28 de novembro, é destruído, por incêndio, o palco do Coliseu Avenida, em Ponta Delgada, sem provocar ferimento nos 1.300 espetadores presentes. 

A 16 de dezembro, o vapor americano “Yellowstone” naufraga na Calheta, Em São Pedro de Ponta Delgada.

A 22 de dezembro, é assinada, em Ponta Delgada, a escritura de venda do Paço (construído por Jacinto Inácio Rodrigues da Câmara e atual Escola Secundária Antero de Quental) à Junta Geral e aos municípios do distrito, com exceção do de Nordeste, pela quantia de 221.492,00 escudos, para ser paga em 25 anos.

A 27 de dezembro, é lavrada a escritura de constituição da sociedade anónima de responsabilidade limitada “Mutualista Açoreana”, com sede em Ponta Delgada, pelo notário Alípio Correia Lobo.

 

7. Cais da cidade na década de 1940

Cais da cidade na década de 1940

Há 75 anos 

 

 Em 1945, a 15 de janeiro, toma posse o novo presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, Duarte Manuel de Andrade Albuquerque.

A 19 de fevereiro, é benzida a capela de Nossa Senhora do Monte do Carmo, na freguesia dos Fenais da Luz, projetada pelo engenheiro Luís Gomes.

A 16 de março, morre o governador civil substituto do distrito autónomo de Ponta Delgada, comendador Jaime Hintze, na sua vivenda da Gorreana, no Porto Formoso.

A 25 de março, é transformado em jornal diário o bissemanário “Açores”, fundado por Cícero de Medeiros, em Ponta Delgada.

A 25 de abril, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera colocar uma lápide na casa onde nasceu Espínola de Mendonça.

A 15 de junho, é inaugurado o farol de Santa Clara, na freguesia de São José.

A 17 de junho, é ordenado presbítero Joaquim do Rego, natural da freguesia da Bretanha.

Também a 17 de junho, é inaugurada a igreja evangélica da freguesia dos Arrifes.

 

9. Avenida Infante D. Henrique na década de 1960

Avenida Infante D. Henrique na década de 1960

Há 50 anos

 

Em 1970, a 2 de janeiro, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera atribuir o nome de “Rua Diário dos Açores” para designação toponímica de um arruamento da freguesia de São José.

A 8 de janeiro, morre, em Ponta Delgada, a poetisa micaelense Maria Isabel da Câmara Quental.

A 15 de janeiro, a Câmara Municipal de Ponta Delgada emite um edital com vista a salvaguardar a integridade de alguns fontanários de interesse artístico existentes em diversos locais do concelho.

A 5 de março, a Câmara Municipal de Ponta Delgada autoriza a construção do cemitério israelita no terreno doado pelos herdeiros de Vasco Bensaúde.

A 12 de março, é celebrado o acordo de geminação das cidades de Ponta Delgada e San Leandro, Califórnia (EUA).

A 2 de abril, o vereador Dinis Agostinho Pimentel da Silva é designado para presidente da comissão de trânsito de Ponta Delgada e da comissão municipal de arte e arqueologia. 

Também a 2 de abril, a Câmara Municipal de Ponta Delgada aprova o projeto de construção do estádio municipal, da autoria do agente técnico Guilherme António Oliveira, a implantar nos terrenos da “Mata da Doca”.

Igualmente a 2 de abril, a câmara municipal proíbe a existência de enfermarias de animais, pocilgas, estábulos, currais ou cavalariças dentro da cidade de Ponta Delgada. Ainda a 2 de abril, José Maria Caetano de Matos é nomeado para médico municipal na cidade de Ponta Delgada.

A 23 de abril, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera encomendar duas medalhas de prata para comemoração do centenário do “Diário dos Açores”.

A 7 de maio, morre Jeremias da Costa, reitor do Liceu de Ponta Delgada, presidente da Junta Geral e governador civil do distrito autónomo.

A 29 de maio, o distrito de Ponta Delgada faz-se representar na I Cimeira Insular, realizada na cidade do Funchal, pelo governador em exercício Augusto Branco Camacho e os deputados João Bosco Mota Amaral e Deodato Magalhães de Sousa.

A 23 de julho , a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera colocar uma placa na casa onde nasceu D. Frei Estêvão de Jesus Maria, comemorando o centenário do seu nascimento.

Também a 23 de julho, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera autorizar os militares que tenham servido no ultramar a utilizarem gratuitamente os “Banhos das Alcaçarias” e o “Balneário Municipal”.

A 31 de julho, a Câmara Municipal de Ponta Delgada aprova um voto de pesar pela morte de António Oliveira Salazar.

A 19 de agosto, chega a Ponta Delgada o novo governador civil do distrito, coronel Basílio Seguro.

A 3 de setembro, Luís Gouveia é nomeado para médico municipal na freguesia da Fajã de Baixo.

A 8 de setembro, morre, em Ponta Delgada, Maria da Ascensão Botelho Soares de Albergaria, cantora micaelense com projeção em Itália e Brasil.

A 1 de outubro, a Câmara Municipal do Lobito comunica que deu o nome de “Rua da Cidade de Ponta Delgada” a uma artéria local, em homenagem à cidade micaelense. 

A 7 de outubro, é inaugurado o edifício escolar da freguesia de São Pedro, construído no âmbito do plano dos centenários.

Também a 7 de outubro, D. Humberto de Sousa Medeiros, natural da freguesia dos Arrifes, é elevado a arcebispo de Boston, a segunda diocese dos Estados Unidos da América.

A 8 de outubro, morre, em Ponta Delgada, o regente agrícola Luís Borges Bettencourt, presidente da câmara municipal.

A 14 de outubro, a árvore da borracha do jardim António Borges, em Ponta Delgada, é  declarada como monumento de interesse público.

A 15 de outubro, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera executar as obras de valorização da piscina de São Pedro.

A 23 de outubro, realiza-se no Palácio da Conceição, em Ponta Delgada, a segunda fase da I Cimeira Insular, iniciada na cidade do Funchal.

A 29 de outubro, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera a transferência da bomba de gasolina localizada frente ao Hotel do Infante para o passeio sul da Avenida Infante D. Henrique. 

A 5 de novembro, é concedido o título de “cidadão honorário de Ponta Delgada” ao tenente-coronel José Agostinho, por deliberação da câmara municipal.

A 15 de novembro, é inaugurado o salão paroquial da freguesia da Fajã de Baixo.

A 26 de novembro, é criado o ciclo complementar misto na escola de São Pedro, na Rua da Mãe de Deus.

Também a 26 de novembro, a Câmara Municipal de Ponta Delgada delibera a transferência da estátua de José Cordeiro, até então no cemitério de S. Joaquim, para a sua atual localização na zona ajardinada da Rua Engº José Cordeiro, no lugar da Calheta, freguesia de São Pedro.

A 17 de dezembro, é criado o ciclo complementar misto na escola dos Milagres, na freguesia dos Arrifes.

A 21 de dezembro, Jorge Palhinha Moura é substituído por Dinis Agostinho Pimentel da Silva na presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada.

 

Há 25 anos

 

Em 1995, a 2 de janeiro, Luísa Constantina, escultora natural de Ponta Delgada, é designada para patrona da escola do primeiro ciclo do ensino básico da freguesia de Rabo de Peixe, onde viveu.

A 23 de janeiro, morre, em Ponta Delgada, o jornalista João Silva Júnior, diretor do “Diário dos Açores” e da revista “Insulana”, fundador do grupo folclórico de S. Miguel, o primeiro do arquipélago, e da “Associação para a Defesa e Investigação do Património Açoriano”.

A 29 de janeiro, é inaugurada a ampliação do edifício escolar do primeiro ciclo do ensino básico da freguesia das Sete Cidades, com a nova designação de “Escola Padre José Cabral Lindo”.

A 5 de fevereiro, Manuel António de Vasconcelos, deputado e fundador do jornal “Açoriano Oriental”, é  constituído patrono da escola primária do Pilar da Bretanha.

A 2 de março, são emitidos os selos filatélicos alusivos aos paladinos da Autonomia dos Açores, Aristides Moreira da Mota e Gil Mont’Alverne de Sequeira, naturais de Ponta Delgada.

A 22 de abril, morre, em Ponta Delgada, João Bernardo de Oliveira Rodrigues, presidente do Instituto Cultural e impulsionador da Academia Musical.

A 24 de abril, é deliberada a toponímia “Rua Dr. Edmundo Machado de Oliveira”, na freguesia de São José.

A 11 de maio, é inaugurada a nova aerogare do aeroporto João Paulo II, em Ponta Delgada, pelo primeiro-ministro Aníbal Cavaco Silva.

Também a 11 de maio, realiza-se na Universidade dos Açores, em Ponta Delgada, a cerimónia de doutoramento “Honoris Causa” de João Bosco Mota Amaral, presidente do governo regional, apadrinhada por Aníbal Cavaco Silva, primeiro-ministro de Portugal.

A 1 de setembro, são emitido os selos filatélicos alusivos ao palácio Jácome Correia e ao edifício da Santa Casa da Misericórdia, em Ponta Delgada, inseridos na coleção “Arquitetura Civil Açoriana”.

A 18 de setembro, é lançada, em Ponta Delgada, a moeda comemorativa do primeiro centenário da Autonomia, da autoria de Álvaro França, por iniciativa do Banco Comercial dos Açores.

A 11 de outubro, João Bosco Mota Amaral anuncia, em Ponta Delgada, o seu pedido de exoneração dos cargos de presidente do governo regional dos Açores e de presidente do PSD/Açores.

A 20 de outubro, toma posse o VI Governo da Região Autónoma dos Açores, presidido por Alberto Romão Madruga da Costa e constituído pelos secretários regionais Berta Cabral (Finanças e Administração Pública), Bento Barcelos (Educação e Cultura), Gaspar da Silva (Juventude, Emprego, Comércio, Indústria e Energia), Adolfo Lima (Agricultura e Pescas), Manuel Azevedo (Turismo e Ambiente), António Meneses (Saúde e Segurança Social) e Jaime Medeiros (Habitação e Obras Públicas), em cerimónia presidida pelo Ministro da República para os Açores, Mário Pinto.

A 11 de dezembro, realiza-se, em Ponta Delgada, o X congresso regional do PSD/Açores, com a eleição de Álvaro Dâmaso para presidente da sua comissão política regional.

 

 

 

 Por José Andrade

Presidente da Comissão Municipal de Toponímia, Distinções Honoríficas e Património Cultural do Município de Ponta Delgada.

Baseado no seu livro Concelho de Ponta Delgada, 500 Anos de História - Cronologia de Figuras e Factos (1499-1999)