HDES regista 200 teleconsultas de urgência pediátrica durante a pandemia

Hospital PDL2

A teleconsulta de apoio ao serviço de Urgência Pediátrica, no Hospital do Divino Espírito Santo, já registou mais de 200 consultas desde que foi criada, revelou ontem a unidade hospitalar.

A medida, disponível através da linha 296 203 779, foi criada para dar resposta às necessidades em tempo de pandemia e está em funcionamento desde o dia 23 de Março. Ficará operacional até ao final de Junho, com possibilidade de voltar a ficar activa se o evolução do surto assim o justificar.

“A funcionar em meio período, das 09 às 13h00 e de segunda a sexta-feira, a teleconsulta de Urgência Pediátrica registou até à data mais de 200 consultas por telefone e pela página Facebook (teleconsulta urgência pediátrica)”, lê-se numa nota enviada às redacções.

No contexto da pandemia, a medida é “uma nova forma de apoio não presencial para as dúvidas que surjam aos cuidadores das crianças, no que diz respeito às situações que os levam ao Serviço de Urgência”, refere o hospital.

Segundo a mesma fonte, o objectivo principal da teleconsulta passa por “proporcionar aos pais/cuidadores das crianças apoio para as situações não relacionadas com a doença Covid-19, rastrear patologias com sinais de alarme que devem vir ao Serviço de Urgência, mas também, por outro lado, evitar o atendimento presencial de ocorrências não urgentes oferecendo aos cuidadores informação, aconselhamento e indicação terapêutica para as mesmas”. 

A teleconsulta permite ainda “esclarecimento de dúvidas de rotina quando os pais/cuidadores das crianças não  conseguem contactar com o seu médico assistente”. Em casos seleccionados, de suspeita de infecção pelo novo coronavírus, é dada indicação para contacto da Linha Açores 24h.

Segundo é explicado na nota, com a reabertura das creches e jardins-de-infância, a teleconsulta de urgência pediátrica será estendida “até final do mês de Junho, de modo a permitir aos pais/cuidadores das crianças o atendimento em consulta telefónica para as situações que podem surgir com a entrada na escolaridade”. 

A consulta poderá ser reactivada “no futuro e se justificável, perante a emergência de novo surto por covid-19”, acrescenta ainda o hospital.