Desemprego inscrito em Setembro interrompe quebras de 5 meses...

desemprego2O número de desempregados inscritos nos Centros de Emprego aumentou em Setembro, invertendo uma série de descidas que se verificava desde Abril, quando atingiu o mais elevado valor de sempre, com mais de 13 mil inscritos. Em Setembro, o seu número aumentou 2,4% para 11.923, o que é quase 21% superior ao mês de Setembro de 2012.
No final do mês, o número de inscritos nos Centros de Emprego (que inclui desempregados, ocupados e indisponíveis) atingiu os 17.581, que é o maior valor de sempre – embora por uma curta margem em relação aos 17.577 verificados em Junho deste ano. O facto é que o total representa um aumento de 26% em relação ao ano passado e desde Março que o seu valor não baixa dos 17 mil.
E é possível que não desça tão cedo, uma vez que o número de “ocupados” não pára de crescer e parece ser a única medida oficial de combate ao desemprego que tem tido algum efeito. Neste mês, o número de ocupados aumentou 5,88% em relação a Agosto (mais 243 casos de pessoas canalizadas para algum tipo de programa). Os actuais 4.356, que constituem o maior valor de sempre, representam um aumento de 159,4% em relação a Setembro de 2012 (bastante mais do dobro).
É um valor enorme: representa 3,8% do total nacional, quando os Açores representam apenas 1,97% do número total de inscritos. Refira-se que os ocupados representam quase 25% do total de inscritos (quando no país o seu peso é de 12%), e 36% do número de desempregados inscritos.
Ao longo do mês, os Centros de Emprego registaram 2.089 novas inscrições em Setembro, dos quais 2004 eram de desempregados – e, destes, 422 pedidos de primeiro emprego, o que é um valor muito significativo: mais 112% que em Agosto, e mais 125% no período homólogo.
Neste mês, os Centros de Emprego colocaram apenas 46 pessoas em empregos (em Setembro apenas houve 47 ofertas de emprego, o que continua a ser um valor baixíssimo, que representa apenas 0,3% do total nacional). Uma vez que o aumento no final do mês dos inscritos foi de 478, mais de mil trabalhadores deixaram de estar inscritos, mas não foram nem colocados nos programas de ocupação nem colocados em postos de trabalho.