66,3% dos novos empregos nos Açores foram criados na administração pública

palacio conceiçãoQuase um terço do crescimento do número de empregos registado nos 2º e 3º trimestres  do ano nos Açores foi conseguido através de entradas para a Adminsitração Pública, de acordo com os dados sobre o desemprego do INE.  No conjunto dos 2 trimestres, a administração pública regional criou 1.696 empregos, o que representa cerca de 66,3% do total de 2.559 empregos criados.
Aliás, parece que terá sido uma espécie de “trunfo” que foi usado: entre o 1º e o 2º trimestre, o aumento foi de apenas 203 empregos, mas entre o 3º e o 2º aumentou 1493, o que é o maior aumento verificado em todos os sectores. No conjunto dos 2 trimestres, foi igualmente o maior aumento por sectores.
O resultado é que neste momento os empregos na “Administração Pública, Defesa e Segurança Social Obrigatória” representam 12,88% do total de empregos, o que é o maior peso desde pelo menos 2009.
O 1º trimestre de 2013, que é tomado como referência, apresentava o mais baixo número de empregos desde o 2º trimestre de 2001.
O aumento de empregos foi obtido através de um claro reforço no peso so sector terciário e uma redução clara no sector secundário. Aliás, o sector secundário (que engloba as indústrias transformadoras e a construção civil) tem vindo a baixar o seu peso desde pelo menos o 4º trimestre de 2009 e encontra-se neste momento no seu mais baixo valor desse período. Em 2009, o sector secundário representava quase 25% do emprego, quando no 3º trimestre de 2013 já está nos 13,4%.
O problema é maior do lado da construção civil, mas mesmo as indústrias transformadoras não estão bem. Na construção as quebras são praticamente consecutivas, havendo neste momento apenas 5.634 trabalhadores, que é o mais baixo valor desde pelo menos 2009, quando chegaram a ser mais de 17 mil, ou seja, mais do triplo. Mas nas indústrias transformadoras, que registaram um aumento no 2º trimestre do ano, mas um ligeiro recuo no 3º trimestre, e apesar de um aumento de 14% em relação ao 3º trimestre de 2012, tem um dos valores mais baixos desde 2009.
Nos serviços, o “Alojamento, restauração e similares” também mostrou um aumento significativo no 3º trimestre, o que parece confirmar a tendência de haver mais emprego no Verão neste sector. Houve um aumento de 13,5% entre o 3º e o 2º trimestre, mas se se confirmar essa tendência, é provável que se verifique uma descida no próximo boletim trimestral. No 3º trimestre, no entanto, este sector regista o maior valor desde pelo menos 2009.