Açores voltam a ser a região com menor poder de compra

Pessoas na rua - PDLOs Açores voltaram a ocupar a última posição das regiões portuguesas em termos do poder de compra concelhio (PCC), de acordo com o último estudo do INE publicado esta semana. Em 2009 a Região tinha atingido 86,14% da média nacional, o que a colocava acima da região Centro, mas em 2011 esse indicador baixou para os 82,35%, ficando atrás de todas as regiões. Pior ainda só o facto desse indicador ficar ainda abaixo dos 83,62% que se verificavam em 2007. A quebra em relação a 2009, que foi de 4,4%, só não é a maior do país porque a Madeira dá um tombo de 10,23%.
Apenas um município ultrapassa os 100%: é Ponta Delgada, com 104,27%, embora registando fortíssimas quebras de 11,44% em relação a 2009 e de 7,7% em relação a 2007, ambas as maiores descidas registadas nos municípios açorianos. É, portanto, o pior valor de Ponta Delgada, que atingira 112,95% em 2007 e 117,7% em 2009.
O 2º melhor município é Angra do Heroísmo, mas com 91,22%. Os municípios açorianos com o menor poder de compra são o do Nordeste, com 55,86% da média nacional, a Povoação, com 57,8%, e Vila Franca do Campo, com 59,18%. A Ribeira Grande, com apenas 63,1%, é o 5ª município mais pobre. Por outras palavras: S. Miguel tem o município com maior poder de compra dos Açores, e os municípios com o menor poder de compra! Destes 4 municípios, apenas o da Ribeira Grande revelou descidas em relação a 2009 (-7,2%) e 2007 (-5,8%)
Os Açores detêm apenas 1,931% do poder de compra do país, o que representa um aumento de 0,47% em relação a 2007, mas um recuo de 2,8% em relação a 2009.