5ª redução consecutiva no RSI

Pessoas na rua - PDLOs Açores registaram em Outubro a 5ª redução sucessiva no número de beneficiários do Rensimento Social de Inserção, que passou de 19.534 em Junho para 18.655, acompanhando a tendência nacional de decréscimo. No entanto, em relação a Junho, a redução nos Açores ficou-se pelos -4,5%, enquanto que no país atingiu os -8,8%.
Os Açores mantêm-se como a 4ª região em número total de subsídios, com 7,55% do total. Já não são os valores que se verificavam em 2004 e 2005, quando a Região chegou a ser responsável por mais de 13% do total de beneficiários nacionais (13,2% em Novembro de 2004), mas continuamos a ser a primeira do país em termos do subsídio per capita. Em Outubro, 7,4% da população açoriana recebia o RSI, o que não tem qualquer paralelo no país. A média nacional fica-se pelos 2,35% da população, e o distrito mais próximo é o do Porto, com 3,87% - praticamente metade da taxa regional.
O valor médio da prestação é neste momento de 66 euros, o que representa uma redução em relação aos mais de 83 euros de média verificados no país.Essa é, no entanto, uma diferença quie se tem mentendo ao longo dos anos.
Esse baixo valor faz com que o peso deste programa nos Açores seja inferior ao peso do número de beneficiários. E, Outubro, o programa custou 1,233 milão de euros nos Açores, o que representa 5,95% do total nacional, que foi de 20,7 milhões de euros. Em 2013, o programa fez entrar nos Açores 12,36 milhões de euros.
Nos Açores existem 5.561 famílias a receber o RSI, o que dá uma média de 3,35 beneficiários por agregado familiar. Esse valor revela um agregado familiar típico, pelo menos ao nível dos mais desfavorecidos, muito maior que a média nacional. No país, a média é de apenas 2,46 beneficiários por agregado, e não há mais distrito nenhum que atinja os 3.
A média de prestação por família é nos Açores de 225 euros por mês, enquanto que a média nacional é de 208 euros.