Furnas considerado Segundo Melhor campo de Golfe do país, mas o que é feito do "sonho açoriano"?

golfeA revista norte-americana Golf Digest considerou o Campo de Golfe das Furnas como o 2º melhor de Portugal, num ranking mundial que para o país contempla 10 campos (http://www.golfdigest.com/golf-courses/2014-02/best-golf-courses-in-205-countries). A revista é global: tem 28 edições em 17 línguas, com uma tiragem de 1,65 milhão nos EUA e outros 1,75 milhão no resto do mundo. 
O 1º lugar nacional foi atribuído ao campo de Monte Rei, em Tavira, Algarve, o que não surpreende, pois esse campo tem sido invariavelmente considerado o melhor do país em praticamente todos os rankings que são realizados envolvendo Portugal. Já o 2º lugar das Furnas constitui uma surpresa...
Não que as Furnas não apareça nos rankings internacionais e nacionais, mas apenas porque parece ser a primeira vez que ele atinge uma posição tão elevada nos últimos anos. No site “Top 40 Golf Courses of Portugal 2014”, as Furnas aparecem em 7º lugar. Nos 100 Mais da Europa, publicado pela “Golf World”, que contém 13 campos portugueses, os Açores nem constam.
E se bem que os açorianos só possam ficar agradados com esta distinção, ela acontece num momento de fortíssima indefinição no sector do golfe, onde foram investidos milhões de euros públicos e foi até considerado pelo Governo como crucial para o turismo.
Sérgio Ávila, vice-presidente, no ano de 2006 chegou mesmo a afirmar que o Governo Regional tinha “ambição de transformar os Açores no melhor destino de golfe do mundo”. Era outro tempo, e a frase foi proferida quando o Governo assinou um auto de cessão à Verdegolf, entregando 191 mil metros quadrados de terreno destinados à construção de um campo de golfe do Faial. Nunca chegou a ser construído!
Em 2007 ainda havia essa febre e tinha mesmo sido criada uma marca: a “AZORES GOLF ISLANDS”, depois da Região ter sido considerada, a seu pedido, pelo Conselho Estratégico de Promoção Turística Nacional, como “um dos principais destinos de golfe do País”. Nesse ano, o investimento oficial tinha sido a adjudicação, pela sociedade “Ilhas de Valor”, do projecto para a construção do Campo de Golfe de Santa Maria, atribuído ao arquitecto de campos de golfe Nick Faldo. Dizia então Sérgio Ávila em relação ao futuro campo: “temos também grandes expectativas enquanto novo pólo dinamizador da economia local e do circuito açoriano”. Também nunca chegou a ser construído.
Aliás, em 2010, a empresa Grupo SIRAM/OCEÂNICO (da Madeira), que tinha comprado ao Governo a Verdegolf num processo de privatização, por um valor que rondou os 9 milhões de euros, deixou de acreditar nas virtudes do negócio. Na altura, o Governo concluíu que “as dificuldades económicas que a empresa tem registado, têm-se traduzido na incapacidade momentânea de cumprir as suas obrigações financeiras para com os trabalhadores e fornecedores, inviabilizando assim a exploração dos campos de Golf da Batalha e Furnas com os níveis de qualidade exigíveis no âmbito da qualificação da oferta turística regional”.
O Governo considerou que as dificuldades da Verdegolf eram de natureza “conjuntural e não estrutural” e decidiu-se por uma saída no mínimo original: um contrato de “cedência da exploração comercial dos campos de Golf da Batalha e Furnas e estruturas adjacentes, por um período de 1 ano, eventualmente renovável, a partir de 1 de Março de 2010”. No âmbito desse contrato, a Verdegolf cedia à Região, “sem qualquer contrapartida financeira, a exploração dos campos de Golf das Furnas e Batalha, estruturas adjacentes e respectivos equipamentos; o resultado operacional de exploração de cada período contratual, na parte suportada pela Região, constituirá um débito da Verdegolf à empresa Ilhas de Valor, S.A., a liquidar no prazo máximo de um ano, não resultando assim, desta intervenção qualquer encargo económico ou patrimonial para a Região, ficando totalmente salvaguardado o retorno do investimento a efectuar”.
Nunca mais se ouviu falar no assunto e o Governo continua a suportar os dois campos, sem que tenha recuperado a sua propriedade.
O sonho dos Açores virem a ser “o maior destino de golf do mundo”, parece, pelo menos por enquanto, destituído de qualquer sentido prático. Aliás, os números não parecem ir a favor dos Açores. Portugal é considerado como o melhor destino de golf da Europa, em grande parte devido ao seu clima e número de campos por metro quadrado. Ou seja, mesmo que as Furnas conseguissem cimentar o seu 2º lugar nacional, o país detém 90 campos de golfe, e pelo menos 10 deles conseguindo grande destaque a nível da Europa. Ou seja, para conquistar o mundo, o Governo Regional teria de conquistar primeiro Portugal – e essa é uma tarefa gigantesca, para não dizer completamente utópica: no topo do seu sonho, os Açores iriam ter 5 campos de golfe...
No mundo existem 33.636 campos de golfe. Os Estados Unidos da América têm 15.620, o que representa cerca de 46% do total, e o seu número tem vindo a cair. Portugal, com os seus 90 campos, está em 33º lugar dos países com mais estruturas para o golfe. Segundo a revista, “ é provável que ocorram reduções em mercados maduros, como os dos EUA, onde já há menos 500 campos do que em 2005, enquanto que poderão haver aumentos noutros locais, potenciados por prosperidade económica, turismo e, dentro de dois anos, o facto do golfe voltar a ser um desporto olímpico. O número de campos na China triplicou em menos de uma década, e aquele mercado irá inevitavelmente ser o maior do mundo”.
Para os Açores, o golfe continua adiado.

 

Rank da Golf Digest

Portugal (90 campos)
1. Monte Rei, Tavira, Algarve
2. Furnas, São Miguel, Açores
3. San Lorenzo, Almancil, Algarve
4. Quinta do Lago (South), Almancil, Algarve
5. Vilamoura, (Oceânico Old), Vilamoura, Algarve
6. Santo da Serra, Santa Cruz, Madeira
7. Tróia, Setúbal, Lisbon
8. Estela, Póvoa de Varzim, Oporto
9. Quinta da Ria, Vila Nova de Cacela, Algarve
10. Oitavos, Cascais, Lisboa

Campos de Golfe no mundo
América do Norte e Central    18.424
América do Sul    659
Europa    6.899
Médio Oriente    64
Ásia    4.775
Australásia e Oceânia    1.982
África    833
Total    33.636

CAIXA:

O Golf Islands na internet

Uma das reminiscências do conceito do “Azores Golf Islands” foi um site na internet, patrocinado em 2009 pelo Proconvergência e produzido pela “Acoresxtreme - design & eventos lda”.
As últimas notícias do site “azoresgolfislands.com” são do ano de 2012, anunciando, entre outros, a 3º edição do Açores Ladies Open, do Campo de Golfe da Terceira, realizado em 2013. O site convida a um “gosto” no Facebook, mas o conceito foi claramente assimilado pelo Campo de Golf da Batalha, que é para onde a ligação encaminha. No Facebook, a última notícia sobre o campo das Furnas é de Março de 2013: uma exposição de Taxiodermia…