BE propõe reavaliação e redução do projecto da central de incineração

BlocoO Bloco de Esquerda quer que a autarquia de Ponta Delgada proponha, no seio da Associação de Municípios da Ilha de São Miguel (AMISM), a reavaliação e o redimensionamento do projecto da central de incineração. A proposta será votada na reunião da Assembleia Municipal de amanhã.

“Se o PS quiser ser responsável e coerente com o que o seu candidato [Vítor Fraga] prometeu durante a campanha, esta proposta para reavaliar e redimensionar o projecto de construção da central de incineração de São Miguel será aprovada, porque o PS tem maioria na Assembleia Municipal. Caso contrário, se o PS impedir a aprovação desta proposta do Bloco, ficará claro que o PS é a favor deste crime ambiental e económico, e que, em campanha, prometeu aquilo que não tinha intenção de cumprir”, explicou ontem a deputada do Bloco de Esquerda na Assembleia Municipal de Ponta Delgada, Vera Pires, em conferência de imprensa.

Na defesa de princípios como a economia circular e o desperdício zero – assumidos pelo PS durante a campanha – com os quais o Bloco concorda, e perante o aumento significativo da reciclagem que resultará da introdução do processo de tratamento mecânico e biológico (TMB) – que não estava previsto quando o atual projecto foi concebido – é fundamental, no mínimo, reduzir a dimensão da central de incineração. Isto porque “uma central de menor dimensão, adequada ao agora menor volume de Resíduos Sólidos Urbanos previstos para incinerar, trará ganhos não apenas ambientais mas também económicos – o investimento necessário quer para a construção quer para a posterior manutenção será obviamente menor”, explicou Vera Pires, salientando que o Bloco “está contra a incineração”, e continua a defender “soluções alternativas à queima, soluções que funcionam e dão provas de ser viáveis, quer económica quer ambientalmente”.

No entanto, tendo em conta que “uma incineradora sobredimensionada constituirá um esbanjamento inaceitável de recursos financeiros públicos e um desnecessário aumento do esforço financeiro futuro para as autarquias”, e que isto irá “potenciar a queima de resíduos que podem, e devem, ser reciclados”, o Bloco pretende, pelo menos, garantir uma redução substancial da dimensão do atual projecto.