Paulo Estêvão acusa Governo de faltar à promessa das refeições escolares no Corvo e ameaça com vigília

paulo estevãoO deputado do PPM, da ilha do Corvo, Paulo Estêvão, acusou ontem o Governo Regional de estar “a adiar e a tentar impedir, por todos os meios, a resolução do processo de fornecimento de refeições escolares aos alunos, docentes e não docentes da Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira”.

O deputado tinha realizado uma greve de fome em protesto contra este caso, terminando depois de um acordo a que chegou com “a obrigatoriedade de o Governo Regional accionar outros mecanismos de fornecimento de refeições escolares se a Santa Casa da Misericórdia não estiver em condições de o fazer”.

O deputado diz agora que o Governo Regional não está a cumprir a sua palavra.

Paulo Estêvão explica que a Escola Básica e Secundária Mouzinho da Silveira “remeteu para a Direcção Regional de Educação, há mais de 40 dias, o Caderno de Encargos referente ao fornecimento de refeições escolares que pretende remeter para diversas entidades. A Escola solicitou que a Direcção Regional de Educação se pronunciasse sobre o mesmo, nomeadamente em relação a questões de carácter jurídico e administrativo”.

E acrescenta: “Estou em condições de afirmar que por ordem directa do Secretário Regional de Educação, Avelino Meneses, os serviços da Direcção Regional de Educação estão impedidos de responder ou prestar qualquer apoio à Escola. Trata-se de um acto cínico e cobarde, que torna reféns as crianças do Corvo de uma estratégia política que pretende esmagar toda a discordância política e reivindicação política. É de actos e de políticos cínicos e desprezíveis que estamos a falar”.

Face a esta situação, Paulo Estêvão diz que, “nas circunstâncias actuais comprometo-me a financiar inteiramente, através do meu património pessoal, a aquisição dos equipamentos necessários para a sala que será utilizada como cantina escolar. Nunca desisto de uma causa que considero justa”.

Anunciou ainda que está disposto a fazer uma vigília permanente às portas do Palácio de Santana, sede da Presidência do Governo Regional.