Taxas de retenção nas escolas dos Açores mantêm-se como as mais altas do país

exame nacional matemáticaO Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou ontem, na Lagoa, que os resultados agora conhecidos da avaliação externa das provas finais do 9º ano e do ensino secundário “certificam” o trajecto “relativamente positivo” das políticas de promoção do sucesso escolar nos Açores.

Avelino Meneses, que falava na abertura da II Conferência Compromisso para o Sucesso Escolar, no âmbito da Parceria Intervenção Comunitária (PIC) – Escola, Família, Comunidade, que envolve as secretarias regionais da Educação e Cultura e da Solidariedade Social, referiu que esses resultados apontam para o aumento das classificações em aproximação às médias nacionais.

No entanto, advertiu o titular da SREC, na obtenção de melhores resultados que “atestam o sucesso escolar” ainda existe pela frente “um longo e sinuoso caminho” a percorrer. As taxas de retenção ainda existentes de 21,6% nos Açores, contra 17,4 no continente e de 16,6 na Madeira, comprovam essa dificuldade, adiantou.

Nessa medida, o PIC – Escola, Família, Comunidade tem contribuído de “modo relevante” para o abaixamento “histórico” da taxa de retenção, sobretudo no 1º ciclo, frisou Avelino Meneses que destacou, neste ano, como “um bom exemplo” o da Escola da Povoação que, pela primeira vez, evidenciou uma taxa de retenção inferior a 10% em todo o ensino básico.

Igualmente, adiantou o Secretário Regional da Educação e Cultura, em todas as escolas envolvidas, no corrente ano, no denominado PIC, designadamente dos concelhos da Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação e Nordeste, é “relevante” a transição de cerca de 78% dos alunos.

Na sua intervenção, Avelino Meneses reafirmou o empenhamento do Governo dos Açores, através das secretarias regionais da Educação e Cultura, da Solidariedade Social e da Saúde, no desenvolvimento do ProSucesso – Açores pela Educação, programa de promoção do sucesso escolar, e da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social.

Estas estratégias, enfatizou, têm em vista a construção de uma sociedade “de justiça e de prosperidade”.

Projecto “Atelier do Código” vai chegar a todas as escolas da Região

Vasco Cordeiro - alunos Lagoa

O Presidente do Governo Regional anunciou ontem a criação do novo projecto “Atelier do Código”, que vai permitir, a partir do próximo ano lectivo, que cerca de 15 mil alunos do primeiro e segundo ciclos se familiarizem com as linguagens de programação informática e da computação.

“Durante o próximo ano lectivo, este projecto, que representa um investimento de cerca de um milhão de euros do Governo dos Açores, estender-se-á praticamente a todas as escolas da nossa Região, abrangendo cerca de 15 mil alunos”, adiantou Vasco Cordeiro.

O Presidente do Governo falava após ter visitado o Clube de Programação e Robótica da Escola Secundária da Lagoa, um dos 22 clubes do género criados, desde o ano passado, em escolas da Região, no âmbito do Plano de Acção para a Cultura Científica e Tecnológica.

Segundo disse, na última Sexta-feira, foi já publicado o concurso público para aquisição de cerca de 2.000 computadores, estando para breve a abertura de um segundo concurso que tem a ver com as licenças e a formação dos professores que estarão envolvidos no “Atelier do Código”.

Na sequência deste investimento, as escolas do primeiro e segundo ciclos terão os seus parques informáticos modernizados e reforçados com novos computadores, e, nos casos necessários, com aumento da cobertura das redes wireless existentes, para que se possam dispor de todas as condições técnicas para este projecto.

“Nós acreditamos que a importância deste projecto, naquilo que tem a ver com familiarização dos alunos, dos seis aos doze anos, com as linguagens da computação e da programação, reforçando, assim, a componente da cidadania digital, tem todas as condições para dar um salto na capacitação das crianças e jovens dos Açores para esta área que se assume de importância fundamental para o futuro”, sublinhou o Presidente do Governo.

Em declarações aos jornalistas, Vasco Cordeiro salientou ainda que o “Atelier do Código” não representa mais carga horária para os alunos, mas sim uma forma de redirecionar e enriquecer os conteúdos das aulas Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC) para estas matérias.

O lançamento deste projecto torna a Região Autónoma dos Açores na primeira, ou numa das primeiras regiões do país que, com esta abrangência, leva a formação nestas áreas a crianças dos 6 aos 12 anos.

Durante a visita ao Clube de Programação e Robótica da Escola Secundária da Lagoa, Vasco Cordeiro teve a oportunidade de inteirar-se do trabalho desenvolvido pelos alunos, como é caso da criação de aplicações para telemóveis, a programação de um robot e a programação, modelação e animação do videojogo “A Descoberta e o Povoamento dos Açores”.

My Great Europe na Escola Profissional da Ribeira Grande

jovens europaNo âmbito do programa Erasmus+, a Escola Profissional da Ribeira Grande (EPRG) em parceria com a Associação Sensational Opportunity recebeu nos passados dias 25, 26, 27 e 28 do corrente mês um grupo de 15 romenos e 12 turcos, acompanhados dos seus professores, desenvolvendo-se, deste modo o projecto “My Great Europe”, na base do qual esteve um conjunto de actividades interculturais e muito enriquecedoras para os formandos romenos, turcos e açorianos.

Da parte da EPRG participaram 9 formandos acompanhados pelo formador Nuno Gaudêncio e pela Directora Pedagógica, Mónica Pacheco. Entre as demais actividades é de destacar o trabalho sobre tolerância em geral e em particular nas três religiões presentes no encontro, a palestra sobre “Youth Voting”, abordando a importância do voto junto da juventude e a participação eleitoral dos jovens nas eleições europeias, proferida pela docente no Mestrado em Relações Internacionais na Universidade dos Açores, Carmen Gaudêncio.

Além disso, realizou-se, ainda, a noite cultural portuguesa, a noite cultural turca e romena, bem como o passeio pela costa norte e sul da ilha e, ainda, a formulação do “Youth Pass”, documento cada vez mais importante para a integração dos jovens na Europa.

No que diz respeito à noite cultural portuguesa, foi possível degustar alguns dos muitos sabores típicos portugueses e açorianos, como o queijo da ilha, o bacalhau, a carne guisada e os inigualáveis suspiros, biscoitos e as queijadas de feijão da Ribeira Grande. Para acompanhar a refeição não poderia faltar a tradicional Laranjada e a Kima, bem como o chá da Gorreana e do Porto Formoso.

Já na noite Romena e Turca, foi possível provar alguns produtos típicos de ambos os países europeus. Da Turquia destacaram-se as “delícias turcas”, o chá e o café turco. Em relação aos produtos romenos foram apresentados diversos tipos de queijo, enchidos e, ainda, um bolo típico utilizado nas cerimónias de casamento. Refira-se a propósito, a título de curiosidade, que alguns produtos se aproximam dos açorianos, como é o caso do queijo de cabra, os enchidos e o bolo que  em muito se assemelha à massa sovada.

Nessa noite, foi, ainda, possível aprender algumas danças turcas e romenas, havendo também lugar a um pézinho de dança portuguesa. É de salientar os trajes romenos, nos quais predominam os bordados a vermelho e branco.

Relativamente ao Sábado, 27 de Outubro, os elementos do grupo desfrutaram dos encantos paisagísticos da ilha de São Miguel.

O Domingo, dia 28, foi dedicado, durante a manhã, à elaboração do YOUTH PASS e, de tarde, ao convívio entre todos os membros.

Como se pode ler na nota enviada à nossa redacção, Trataram-se de quatro dias “intensos de muita aprendizagem, convívio, e de amizade que, pouco a pouco, se foi cimentando e a interculturalidade aconteceu. Desde a partilha de conhecimentos à troca de palavras quer nos idiomas de origem quer em inglês, idioma predominante ao longo do desenvolvimento do projecto”.

A mesma nota dá conta que “este tipo de projecto é muito importante, na medida em que aproxima o nosso arquipélago e os nossos jovens da Europa, encurtando distâncias e incutindo, cada vez mais, o sentido de que todos somos europeus e quer sejamos portugueses, franceses, romenos, italianos ou turcos temos algo em comum: a cidadania europeia! A meu ver, os nossos jovens ainda não se sentem muito europeus. Não obstante, degrau a degrau, lá chegaremos! Neste sentido, este pequeno passo dado pela EPRG é fundamental e será cimentado no futuro próximo, nomeadamente com a ida de 7 dos nossos formandos à Roménia, já no dia 29 de Novembro”.

 

Universidade dos Açores acolhe I Jornadas do Risco

uaç - alunosO Núcleo de Estudantes de Proteção Civil da Universidade dos Açores (NEPCaç) promove hoje as I Jornadas do Risco, subordinadas do tema “Risco Suscetibilidade e Sociedade”, a decorrer na academia açoriana.

O evento, refere a oganização, surge  no sentido do núcleo estudantil iniciar a sua componente formativa, “alertando para a necessidade de implementar uma ‘Cultura de Segurança’ junto da sociedade açoriana”.

As jornadas irão reunir estudantes da licenciatura de Protecção Civil e Gestão de Risco, professores, investigadores, associações humanitárias de bombeiros voluntários, serviços municipais de protecção civil e toda a comunidade académica e civil com o intuito de “debater, pensar e reflectir as questões que nos são tão caras”.

O encontro, que conta com 54 participantes inscritos, de diversas áreas de formação, será dividido em três painéis. O primeiro terá início pelas 15h00, subordinado ao tema “Educação para o risco, consciência do risco, percepção do perigo e cultura de segurança”. Serão oradores Diana Linhares e o comandante dos Bombeiros Voluntários da Ribeira Grande, José Moniz. 

Às 16h30 de hoje, as jornadas continuam com o segundo painel, que contará com a presença de Rita Carmo e do coordenador do Serviço Municipal de Protecção Civil de Ponta Delgada, Pedro Azevedo, que falarão sobre o tema “Análise e gestão de riscos: processos potencialmente perigosos e vulnerabilidades”. 

A finalizar o encontro, pelas 18h30, terá início o terceiro painel focando-se na “Previsão, prevenção e mitigação das consequências de catástrofes”, sendo oradores Rui Coutinho e o Vice-presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores, Osório Silva. A sessão de abertura está marcada para as 14h00, no Anfiteatro VIII da academia açoriana.

Projecto “Os Super Saudáveis” implementado nas escolas do arquipélago

frutas e legumes maioO Núcleo Regional dos Açores (NRA) da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC), em parceria com o Governo Regional dos Açores, deu início à implementação do projecto de promoção da alimentação saudável “Os Super Saudáveis”.

Dirigido aos alunos do 4.º ano de escolaridade de toda a região, a iniciativa foi apresentada na Escola Básica Integrada da Praia da Vitória, ilha Terceira, no passado dia 11 de Outubro, e contou com a presença da presidente do NRA, Mónica Martins, e dos secretários regional da Educação, Avelino Meneses, e da Saúde, Rui Luís.

“Os Super Saudáveis”, desenvolvido pela LPCC, tem por base uma dinâmica de jogo, com uma duração e cinco semanas, em que, através de 15 cartas coleccionáveis - que representam 15 alimentos saudáveis, escolhidos com base nos grupos da roda dos alimentos, numa alusão aos superpoderes dos alimentos -, cada criança joga e aprende com colegas, pais e professores.

Segundo a LPCC, “o principal objectivo deste projecto é fomentar hábitos alimentares mais saudáveis nas crianças e apostar na diversidade alimentar dos mais novos, diminuindo o consumo de produtos processados e incentivando e capacitando pais e encarregados de educação para escolhas alimentares mais adequadas do ponto de vista nutricional”.

O projecto teve uma fase piloto na Escola Básica e Integrada da Carreirinha, em Angra do Heroísmo, no ano lectivo de 2017/18, tendo o Governo dos Açores decidido implementá-lo, em parceria com o NRA da LPCC, em toda a região no ano lectivo 2018/19, incluindo-o, para o efeito, no Programa Regional para a Promoção de Alimentação Saudável.

A actividade foi ainda premiada pela Food & Nutrition Awards (FNA), galardão atribuído pelas associações e empresas do sector agroalimentar, assim como pelas organizações não lucrativas, que distinguem, todos os anos, negócios e projectos inovadores que contribuem para uma alimentação equilibrada.