Alexandre Gaudêncio quer esclarecimentos sobre obras na Escola Rui Galvão de Carvalho

Alexandre Gaudêncio - 2016O Presidente da Câmara da Ribeira Grande, Alexandre Gaudêncio, deu nota das preocupações discutidas no decorrer da última reunião do Conselho Local de Educação, sobressaindo o impasse em relação às necessárias obras na escola Rui Galvão de Carvalho, na vila de Rabo de Peixe.

“O Conselho Local de Educação voltou a demonstrar bastante preocupação em relação ao impasse nas obras que são necessárias realizar na escola Rui Galvão de Carvalho e vai solicitar esclarecimentos ao Governo Regional dos Açores a propósito desta empreitada”, avançou.

Alexandre Gaudêncio esclareceu que “o Conselho Local de Educação manifestou alguma surpresa e desagrado pelo facto da obra estar inscrita no orçamento do Governo Regional para o ano em curso e já estarmos em Novembro e não se vislumbrar qualquer andamento em relação à empreitada.”

“As obras na escola Rui Galvão de Carvalho são uma reivindicação antiga dos conselheiros e embora estejam inscritas no orçamento da região para 2020, ainda não se concretizaram”, acrescentou o edil ribeiragrandense que presidiu à reunião.

Em cima da mesa também esteve o investimento camarário para 2020 em matéria de educação e os projectos a desenvolver. “A Câmara da Ribeira Grande tem previsto um investimento de 600 mil euros para apoiar projectos e intervenções nas escolas, destacando-se o investimento de 100 mil euros na escola António Tavares Torres, em Rabo de Peixe”, apontou.

“Também vamos dar continuidade aos projectos extracurriculares, como são os casos do orçamento participativo jovem e o escolar, hipoterapia, ciência divertida, expressão dramática, mini-empreendedorismo e cidadania activa, projectos que têm tido bastante aceitação junto das crianças e contribuído para a melhoria do sucesso escolar”, acrescentou o edil.

 

Comissão formada por docentes universitários vai avaliar o programa ProSucesso

aluno escolaA Comissão de Acompanhamento e Avaliação Externa do ProSucesso inicia hoje formalmente as suas funções, de acordo com o despacho do Secretário Regional da Educação e Cultura publicado ontem em Jornal Oficial.

Constituída por três elementos da área das Ciências da Educação da Universidade dos Açores, esta comissão para o ano escolar de 2019-2020 deve elaborar “um relatório relativamente aos eixos de intervenção e à concretização das metas definidas no ProSucesso”.

Este relatório, de acordo com o despacho assinado por Avelino Meneses, deve “integrar, para além de uma análise estatística, uma análise qualitativa e articulada das variáveis de contexto que interprete os resultados obtidos”.

A comissão é constituída pelos docentes universitários Jorge Lima, Ana Diogo e Francisco Sousa, a quem compete ainda emitir recomendações sobre o modo como “a implementação do ProSucesso pode ser aperfeiçoada a nível dos diferentes eixos”.

O Plano Integrado de Promoção do Sucesso Escolar – ProSucesso, Açores pela Educação, que teve início no ano lectivo 2015-2016, possui ainda na sua estrutura um Conselho Científico e uma Comissão Coordenadora, em devido tempo constituídas. 

O ProSucesso tem como principais objectivos a redução da taxa de abandono e insucesso escolar em todos os níveis e ciclos de ensino, em sintonia com a Estratégia Europeia para a Educação e Formação, Europa 2020. Este Plano, para além de incluir medidas “já em execução e que têm demonstrado resultados promissores”, designadamente a superação com razoável antecipação das metas estabelecidas para 2020-2021, deve “definir áreas e estratégias de intervenção prioritária” que permitam “não só o cumprimento das metas definidas para a educação e formação, mas também “a promoção eficaz, porque verdadeiramente estrutural, do sucesso escolar”.

O ProSucesso concretiza-se através de um conjunto de medidas e projectos transversais e específicos distribuídos por três eixos de acção, com particular foco na qualidade das aprendizagens dos alunos, na promoção do desenvolvimento profissional dos docentes e na mobilização da comunidade educativa e parceiros sociais. Neste plano integrado procura-se que as medidas implementadas tenham coerência entre si, sejam capazes de provocar as mudanças internas necessárias tanto nas práticas dos docentes, das lideranças e dos assistentes e técnicos especializados, como na própria organização escolar e na forma como se relaciona com os encarregados de educação e comunidade educativa.

Avelino Meneses aponta “progressos” nas taxas de transição e retenção

aluno escolaO Secretário Regional da Educação e Cultura adiantou ontem, na Povoação, que os dados provisórios referentes ao ano lectivo 2018/2019 nos Açores “evidenciam, de novo”, progressos nas taxas  de transição e de retenção, agora “mais evidentes” no ensino secundário.

Avelino Meneses, que falava na cerimónia de entrega do prémio referente ao primeiro lugar no concurso nacional ‘Medea 10’ à equipa de alunos da Escola Básica e Secundária da Povoação, frisou, no entanto, que o progresso da educação “depende do empenhamento de todos nós”.

 Apontando o exemplo do trabalho da “Novelãos Team”, equipa vencedora daquele prémio nacional na disciplina de Física, o titular da pasta da Educação e Cultura referiu que o “somatório” dos contributos desse empenhamento “há-de necessariamente promover a almejada melhoria dos resultados”,  já que a educação é “um reino de melhorias, mas de melhorias lentas, mas seguras”.

Esses resultados serão ainda melhores se “coordenarmos iniciativas, agirmos em conjunto e se, inclusivamente, procurarmos a cooperação das demais instituições da sociedade civil”, afirmou Avelino Meneses.

O concurso Medea, uma iniciativa da Sociedade Portuguesa da Física com o patrocínio da REN que vai na 10.ª edição, resulta num projecto que incide na medição de campos eléctricos e magnéticos no meio ambiente para estudar eventuais efeitos desses campos na saúde humana.

Com a coordenação da professora Nídia Fidalgo, os alunos André Pereira, Lucas Sousa, Eduardo Raposo, Júlia Silva, João Rocha e Alexandre Sousa do curso de Ciências e Tecnologia pertencentes à Escola Básica e Secundária da Povoação, tiveram oportunidade de apresentar o seu projecto perante uma plateia de colegas e professores.

A equipa denominada “Novelãos Team “ realizou um trabalho científico, com o objectivo de identificar e medir os campos eletromagnéticos (CEM) de baixa frequência que nos rodeiam, e constataram que vivemos rodeados de campos eletromagnéticos no dia a dia: em casa com os nossos aparelhos domésticos, em instalações elétricas ou na proximidade de equipamento de transporte de energia elétrica. Segundo o site desta equipa de alunos, o trabalho permitiu concluir que os valores registados se encontram dentro dos limites-legais de exposição e, à medida que a distância aumenta em relação ao equipamento, o valor do campo magnético lido diminui.

 

Educação Empreendedora 2020 chega a 41 escolas

Educação empreendedora lúcio rodriguesO Director Regional da Juventude anunciou, em Ponta Delgada, que o programa ‘Educação Empreendedora: o Caminho do Sucesso!’ vai envolver este ano cerca de 1.650 jovens e terá lugar em todas as ilhas dos Açores.

Lúcio Rodrigues falava Terça-feira na apresentação da nova edição deste programa, que vai decorrer em 41 escolas do arquipélago e contará também com a participação de 70 professores.

O Director Regional destacou que, ao longo da existência deste programa, “já participaram mais de 20 mil jovens na Região”, um número possível graças ao “elevado empenhamento e participação dos conselhos executivos das escolas e dos professores, que abraçaram novamente este ano o projecto, com muito entusiasmo”.

O programa ‘Educação Empreendedora: o Caminho do Sucesso!’ desenvolve-se em duas fases, consistindo a primeira em formação nas escolas e na formulação de projectos por parte dos alunos, que, numa segunda fase, apresentam as suas ideias no Concurso Regional IdeiAçores.

O programa destina-se a alunos do 1.º Ciclo ao ensino secundário e profissional.

Lúcio Rodrigues salientou que os Açores “dão cartas” na área da Educação Empreendedora, tendo mesmo “liderado um projecto internacional, que envolveu vários países da União Europeia”.

Uma das novidades anunciadas é que a fase regional do Concurso IdeiAçores introduzirá “uma vertente muito prática”, com os jovens a ter a “oportunidade de ir ao terreno, de visitar e participar em processos com as empresas, com as cooperativas”, adiantou.

Outra inovação, segundo Lúcio Rodrigues, é o lançamento da ideia de que os projectos deverão estar “centrados nos materiais endógenos dos Açores”, mas também “despertar nos jovens a vontade de se envolverem no empreendedorismo social e na área da inclusão”.

Na ocasião, a jovem Paula Rego apresentou a Queijaria Furnense, uma empresa originada no programa ‘Educação Empreendedora’ e um projecto criado numa situação dificuldade, em lógica familiar, em que uma exploração agrícola apostou na transformação do seu produto, criando os queijos furnenses.

Lúcio Rodrigues destacou este bom exemplo, que “exporta e vende toda a sua produção”, mas considerou que o “empreendedorismo não tem que acabar numa ideia de negócio, temos de ser empreendedores para a vida”.

“Naturalmente que a ideia é lançar sementes para o futuro. Depois da escolaridade obrigatória há outros apoios governamentais no sentido de criar empresas, mas temos que qualificar os nossos jovens numa lógica de empreendedorismo para a vida”, frisou o Director Regional.

Taxas de retenção nas escolas dos Açores mantêm-se como as mais altas do país

exame nacional matemáticaO Secretário Regional da Educação e Cultura afirmou ontem, na Lagoa, que os resultados agora conhecidos da avaliação externa das provas finais do 9º ano e do ensino secundário “certificam” o trajecto “relativamente positivo” das políticas de promoção do sucesso escolar nos Açores.

Avelino Meneses, que falava na abertura da II Conferência Compromisso para o Sucesso Escolar, no âmbito da Parceria Intervenção Comunitária (PIC) – Escola, Família, Comunidade, que envolve as secretarias regionais da Educação e Cultura e da Solidariedade Social, referiu que esses resultados apontam para o aumento das classificações em aproximação às médias nacionais.

No entanto, advertiu o titular da SREC, na obtenção de melhores resultados que “atestam o sucesso escolar” ainda existe pela frente “um longo e sinuoso caminho” a percorrer. As taxas de retenção ainda existentes de 21,6% nos Açores, contra 17,4 no continente e de 16,6 na Madeira, comprovam essa dificuldade, adiantou.

Nessa medida, o PIC – Escola, Família, Comunidade tem contribuído de “modo relevante” para o abaixamento “histórico” da taxa de retenção, sobretudo no 1º ciclo, frisou Avelino Meneses que destacou, neste ano, como “um bom exemplo” o da Escola da Povoação que, pela primeira vez, evidenciou uma taxa de retenção inferior a 10% em todo o ensino básico.

Igualmente, adiantou o Secretário Regional da Educação e Cultura, em todas as escolas envolvidas, no corrente ano, no denominado PIC, designadamente dos concelhos da Lagoa, Vila Franca do Campo, Povoação e Nordeste, é “relevante” a transição de cerca de 78% dos alunos.

Na sua intervenção, Avelino Meneses reafirmou o empenhamento do Governo dos Açores, através das secretarias regionais da Educação e Cultura, da Solidariedade Social e da Saúde, no desenvolvimento do ProSucesso – Açores pela Educação, programa de promoção do sucesso escolar, e da Estratégia Regional de Combate à Pobreza e à Exclusão Social.

Estas estratégias, enfatizou, têm em vista a construção de uma sociedade “de justiça e de prosperidade”.