Tarifários dos táxis nos Açores ficam mais caros a partir do dia 10 de Janeiro

TaxisO despacho normativo que procede à actualização dos tarifários dos táxis que operam na Região Autónoma dos Açores, os quais tiveram um aumento médio entre 3,09% e 4,98%, foi ontem publicado em Jornal Oficial.

Assim, o preço por quilómetro foi aumentado quatro cêntimos nos veículos com d stintivo e cor padrão e dois cêntimos nos veículos sem distintivo e cor padrão.

A bandeirada, ou mínimo de cobrança no primeiro quilómetro ou fracção, nos veículos com distintivo e cor padrão com mais de quatro lugares e nos veículos sem distintivo e cor padrão, passou de 3,20 euros para 3,40 euros, valor que já era praticado nos veículos com distintivo e cor padrão até quatro lugares.

Foram também actualizadas as tarifas à hora e o minuto de espera, respectivamente, em 50 cêntimos e em 1 cêntimo.

Segundo o executivo, a actualização de preços visa “contribuir para a sustentabilidade da actividade de aluguer de veículos ligeiros de passageiros na modalidade com condutor, tanto mais que a última actualização tarifária ocorreu em Maio de 2011, portanto há cerca de oito anos”.

Os novos preços entram em vigor a 10 de Janeiro.

Açores produziram mais energia eléctrica este ano

electricidade 3Os Açores deverão fechar o ano com mais energia eléctrica produzida do que no ano passado.

Ainda não são conhecidos os valores de Dezembro, mas o SREA já divulgou o valor de Novembro e constata-se mais um aumento na produção, à semelhança do resto do ano.

Assim, de Janeiro a Novembro foram produzidos 745.072.622 KWh, quando em igual período do ano passado tinham sido 735.889.887 KWh.

 

Menor dependência do fuel

 

A elevada produção de energia geotérmica, a crescente produção de energia eólica e outras fontes têm contribuído para uma cada vez menor dependência do fuel, que está a diminuir ao longo do ano, e apenas com uma pequena subida do gasóleo.

As produções de indústrias também têm crescido ao longo de todo o ano, contribuindo igualmente para o crescimento da produção de energia em todas as ilhas.

Ténicos de Diagnóstico e Terapêutica passam a trabalhar 35 horas nos Açores

acordo técnicos de diagnóstico e terapeutica O Secretário Regional da Saúde afirmou ontem, em Angra do Heroísmo, que o acordo alcançado entre o Governo dos Açores e o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores de Saúde das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica constitui mais uma etapa numa garantia de equidade entre os trabalhadores com contrato individual de trabalho e os trabalhadores em funções públicas.

“Este é um marco importante que, além de contemplar a passagem das 40 para as 35 horas semanais, atribui aos trabalhadores com contrato individual outros benefícios, como o direito a uma carreira e melhores garantias de acesso à profissão” sublinhou Rui Luís.

O titular da pasta da Saúde, que falava na cerimónia de assinatura do Acordo Colectivo de Trabalho entre os Hospitais, EPER e o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica, referiu que o entendimento a que se chegou, depois de um processo negocial amadurecido, corresponde às aspirações dos trabalhadores, tendo a ele aderido outros sindicatos, como o Sindicato dos Técnicos Superiores de Diagnóstico e Terapêutica e o Sindicato dos Fisioterapeutas Portugueses. 

Deste acordo colectivo agora assinado resulta uma equiparação do regime laboral dos técnicos superiores das áreas de diagnóstico e terapêutica com contrato individual de trabalho aos colegas da mesma área vinculados por contrato de trabalho em funções públicas em matéria de recrutamento, remuneração, período normal de trabalho, avaliação de desempenho, progressão na carreira e regime de férias.

O Acordo Colectivo de Trabalho celebrado entre os Hospitais EPER e o Sindicato Nacional dos Técnicos Superiores das Áreas de Diagnóstico e Terapêutica entra em vigor no dia seguinte à sua publicação no Jornal Oficial.

Este é o quarto acordo alcançado no setor da Saúde, depois da formalização com o Sindicato dos Enfermeiros Portugueses, o Sindicato dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais do Sul e Regiões Autónomas e o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública.

Divulgadas datas de abertura dos concursos de apoio à ciência nos Açores

Gui Menezes111 A Secretaria Regional do Mar, Ciência e Tecnologia divulgou ontem as datas de abertura dos concursos de apoio à ciência nos Açores, no âmbito do PRO-SCIENTIA, durante o primeiro semestre de 2019, num total de financiamento superior a 400 mil euros.

O objectivo do Governo dos Açores, segundo Gui Menezes, é “estabilizar” o calendário de financiamento agora proposto, ou seja, pretende-se que a informação sobre os prazos dos concursos passe a ser divulgada duas vezes por ano, no início de cada semestre.

“Com esta medida, pretende-se garantir uma maior estabilidade no que respeita às fontes de financiamento, bem como uma maior previsibilidade no lançamento dos concursos de apoio à ciência”, frisou o Secretário Regional.

Neste sentido, entre 15 de Janeiro e 30 Junho de 2019 vão decorrer seis concursos que visam a organização de reuniões científicas, a participação em eventos científicos, a implementação de iniciativas e projectos de difusão da cultura científica e tecnológica, a realização de feiras escolares de ciência e a publicação de edições científicas.

De 15 de Março a 15 de Maio, estará aberto um concurso, no valor de 100 mil euros, que visa incentivar a realização de projectos de investigação científica e tecnológica relevantes para a Região em áreas das ciências sociais, com vista ao conhecimento de problemáticas sociais e tomadas de decisão pública, podendo candidatar-se os centros de investigação regionais e a Universidade dos Açores.

De 15 de Maio a 30 de Julho, vão estar abertos dois concursos de financiamento, um para apoiar o desenvolvimento de projectos de investigação com envolvimento directo dos cidadãos açorianos e outro que visa a implementação de iniciativas e projectos de difusão da cultura científica e tecnológica, nomeadamente a criação de conteúdos de ciência e tecnologia, em suporte multimédia, para difusão nos meios de comunicação social.

Conselho Administrativo do Fundopesca convocado para amanhã

pescaA Direcção Regional das Pescas convocou para amanhã, 14 de Dezembro, na Horta, uma reunião do Conselho Administrativo do Fundopesca para analisar os critérios de accionamento deste fundo, considerando a monitorização que tem vindo a ser realizada das descargas de pescado em lota.

O Conselho Administrativo do Fundopesca é um órgão consultivo em que têm assento representantes dos pescadores, dos armadores, da Lotaçor e das Secretarias Regionais da Solidariedade Social e do Mar, Ciência e Tecnologia.

O Fundo de Compensação Salarial dos Profissionais da Pesca dos Açores, vulgarmente designado por Fundopesca, foi criado em 2002 com o objectivo de atribuir uma compensação salarial aos pescadores açorianos quando, em determinadas situações previstas na lei, estejam condicionados no exercício da sua actividade.

O diploma que regulamenta o Fundopesca foi alterado em Janeiro de 2016, prevendo que a quebra de rendimentos seja um critério para a activação deste mecanismo de apoio financeiro aos profissionais do sector.

O novo quadro legal veio permitir também reduzir o período de tempo entre a perda de rendimento e o efectivo pagamento da compensação salarial.

É da competência do Conselho Administrativo avaliar o cumprimento dos critérios a observar para a activação deste fundo.