Feira AgroComercial para mostrar potencialidades da Terceira

praia-da-vitria-2_141_120A Feira AgroComercial da Terceira, que decorre na Praia da Vitória entre hoje  e domingo, contará com cerca de 70 empresas e mais de 150 animais, numa mostra das potencialidades económicas desta ilha dos Açores. O certame, organizado pela Câmara do Comércio de Angra do Heroísmo e pela Associação Agrícola da Ilha Terceira, ocupa uma área superior a 8.900 metros quadrados, com vários espaços distintos mas interligados, com diferentes atividades e propostas de animação.
A Zona Comercial, localizada na Marina da Praia da Vitória, terá em exposição mais de seis dezenas de empresas do comércio, serviços, construção civil, artesanato e agroalimentares, incluindo ainda uma área para automóveis novos e usados e um espaço destinado ao restaurante oficial, denominado ‘Açores à Mesa’. Por outro lado, na Zona Verde, estarão expostos veículos, máquinas agrícolas e tractores, sendo também o espaço onde vão decorrer os espetáculos de música ao longo dos quatro dias do certame.
Na área situada junto ao Clube Naval estará o espaço para os mais novos, com insufláveis, pinturas faciais, passeios de pónei, jogos tradicionais e modelagem de balões, entre outras atividades de animação infantil. A feira inclui ainda uma Zona Agrícola, com 2.750m quadrados, numa tenda coberta que albergará exposições, concursos e espectáculos relacionados com a temática agrícola.

1º Centro de Convívio dos Açores reabre as portas renovado

O Centro de Convívio de idosos de São José, o primeiro do género nos Açores, completa hoje, dia 13 de Outubro de 2011, 30 anos de existência. E é no dia do aniversário que o Centro reabre as portas, depois de ter sido submetido a obras de renovação, que resultaram da conjugação de esforços de colaboradores e voluntários.
Com capacidade para cinquenta pessoas, o Centro acolhe homens e mulheres aposentados, que ali partilham histórias e experiências de vida, num ambiente de solidariedade, inter-ajuda e boa disposição.
A par de actividades que promovem a socialização e o enriquecimento cultural, de que são exemplos trabalhos de expressão artística, sessões de ginástica, informática ou passeios, o Centro dispõe ainda, desde o início deste ano, de um serviço de coordenação e de psicologia, de apoio e acompanhamento a consultas hospitalares, bem como da visita mensal de um enfermeiro que presta alguns cuidados de saúde, como o controlo e vigilância da glicemia ou tensão arterial.
O Centro de Convívio de idosos de São José, agora rejuvenescido, reabre as portas aos idosos que já o frequentavam, mas também a todos aqueles que se encontrem em situação de isolamento social ou que pretendam ter uma vida mais activa.

Tribunal de Contas multa administradores do Centro de Saúde de Vila do Porto

_MONEY-use-for-allO Tribunal de Contas multou os três administradores do Centro de Saúde de Vila do Porto, em Santa Maria, devido a irregularidades detetadas na prestação de contas desta unidade de saúde.
O relatório da auditoria do Tribunal de Contas descobriu 27 falhas na conta de gerência de 2009, entre as quais a realização de despesas sem que tenha sido verificado previamente o seu cabimento orçamental e despesas feitas “sem autorização prévia”.
Carlos Alberto Pinto, João Paulo Melo e Antonieta Santos Braga, os três administradores do centro de saúde, foram multados em 1.530 euros cada por “infração financeira sancionatória”.
Uma parte das irregularidades detetadas pela auditoria poderá residir numa falha do sistema informático da unidade de saúde, que terá fornecido informações erradas sobre o cabimento orçamental de algumas despesas.
O relatório agora tornado público admite que esta falha possa ter “iludido” os gestores do centro de saúde em matéria de cabimento orçamental, mas as irregularidades encontradas abrangeram também outras áreas.
Segundo o relatório, a conta de gerência de 2009 apresentava várias despesas mal inscritas, documentos em falta e outros que nunca foram assinados pelos membros do conselho de administração, como determina a lei.
Apesar de terem pagado voluntariamente as multas, no valor mínimo legal, os três administradores contestaram, em carta anexa ao relatório, a decisão do Tribunal de Contas.
Em sede de contraditório, recordaram que os processos administrativos naquela unidade de saúde eram idênticos aos que se faziam desde sempre e que o Tribunal de Contas nunca antes tinha alertado para qualquer problema.
O conselho de administração do Centro de Saúde de Vila do Porto deu ainda conta de que pretende regularizar todos os casos detetados, adiantando que não o fez ainda por falta de recursos humanos

Campanha de arborização na Ribeira Grande prevê plantação de 6.000 árvores

ribeira-grande_129_120A Câmara da Ribeira Grande inicia na segunda-feira uma campanha de arborização que prevê a plantação de 6.000 árvores e arbustos de varias espécies em vias, espaços verdes e urbanizações até ao final do mês.
A campanha de arborização deste concelho da costa norte de S. Miguel, que resulta de uma parceria com a Secretaria Regional da Agricultura e Florestas, começa com a plantação de árvores e arbustos no Passeio Atlântico.
Ao longo do mês serão plantadas espécies como a Faia, Folhado, Plátano, Bétula, Medronheiro, Olaia, Sanguinho e Tuia, oriundas dos viveiros florestais do município e da região.
No total, serão plantadas seis mil árvores de pequeno e médio porte e arbustos nas 14 freguesias do concelho da Ribeira Grande, revelou hoje a autarquia.
Esta iniciativa, inserida no Ano Internacional das Florestas, vai abranger urbanizações, espaços verdes, largos, avenidas e áreas envolventes dos reservatórios de água.
A Câmara da Ribeira Grande salientou ainda que a campanha pretende ser “mais um passo na defesa e promoção de um desenvolvimento sustentável, melhorando a qualidade de vida dos munícipes”.

Governo quer encontros no âmbito da divulgação científica e tecnológica

A Secretaria Regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos vai promover a realização de reuniões no âmbito da divulgação científica e tecnológica, no âmbito das actividades comemorativas Dia Nacional da Cultura Científica.
O concurso, aberto até ao dia 31 de Outubro, destina-se a comparticipar a organização, nos Açores, de reuniões no âmbito da divulgação científica e tecnológica, nomeadamente congressos, seminários, encontros e palestras, essencialmente destinadas ao público em geral e abertas à participação da comunidade.
Promover a Sociedade do Conhecimento, contribuir para a generalização da cultura científica e tecnológica e fomentar a reflexão e a discussão sobre Ciência e Tecnologia entre os jovens e o público em geral, são alguns dos objectivos desta iniciativa.
As entidades que poderão beneficiar desta medida são várias, desde instituições de ensino superior ou Unidades orgânicas de I&D ou de ID&I, passando por unidades orgânicas do sistema educativo que integrem a rede pública de ensino da Região Autónoma dos Açores ou os seus fundos escolares, até hospitais, laboratórios, fundações, associações de I&D ou de ID&I sem fins lucrativos, e entidades regionais públicas ou privadas sem fins lucrativos. São também entidades beneficiárias as entidades ou organizações, sem fins lucrativos, externas à Região Autónoma dos Açores, que organizem eventos no âmbito da divulgação científica e tecnológica.