Câmara de Ponta Delgada cede casa na rua dos Manaias para os sem abrigo tomarem refeições

casa sem abrigoA Câmara Municipal de Ponta Delgada já resolveu o problema para os sem abrigo tomarem as refeições, designadamente, os jantares, que lhes são entregues por diferentes grupos de voluntários da cidade e do concelho.
Segundo nota de imprensa divulgada pela autarquia, trata-se de uma casa do Município, com os números 8/10, na rua dos Manaias, que, ao ser disponibilizada pela Câmara de Ponta Delgada vem mudar a vida das pessoas que vivem na rua, por pobreza ou indigência.
A casa foi alvo de obras de beneficiação por parte da autarquia que criou, assim, as condições para que os sem abrigo tomem a sua refeição com maior dignidade.
Recorde-se que até agora os sem abrigo e indigentes juntavam-se no Jardim Sena Freitas, mais conhecido por Jardim da Zenite, entre as 18h00 e as 20h00 para jantarem ao ar livre, sujeitando-se ao vento, à chuva, sem higiene, apenas à mercê da vontade de grupos voluntários.
A partir de hoje, por acção da Câmara Municipal de Ponta Delgada, os sem abrigo passam a fazê-lo debaixo de um tecto, das 19h00 às 20h00, numa casa onde podem comer o seu jantar sentados à mesa entre 40 a 60 pessoas, acedendo a instalações sanitárias e lava mãos para respectiva higienização antes das refeições.
Refira-se que o presidente da Câmara Municipal de Ponta Delgada, José Manuel Bolieiro, tomou a iniciativa de coordenar com os grupos de voluntários, que promovem a entrega das refeições, no sentido destes passarem a deslocar a sua intervenção do Jardim Sena Freitas e, mesmo, do Campo de São Francisco, para a rua dos Manaias. Entre os coordenadores dos grupos voluntários foram contactados o Monsenhor Weber Machado (antigo coordenador da Cáritas de São Miguel) e Filipe Cordeiro, entre outros.
A distribuição de refeições na rua dos Manaias é a primeira acção de intervenção imediata da autarquia junto dos indigentes e sem abrigo de Ponta Delgada que serão, ainda integrados, no trabalho a desenvolver pela comissão para a inclusão social, que está a ser criada pela Câmara Municipal para acompanhar e encontrar soluções para situações de indigência no centro histórico.

Universidade dos Açores quer disponibilizar conhecimento às empresas para promover desenvolvimento

univerirsidade aoresA Universidade dos Açores possui um património de conhecimentos que podem ser úteis para promover a competitividade do tecido empresarial regional, mas a sua utilização exige uma maior aproximação com as empresas, defendeu ontem o vice-reitor, Cabral Vieira.
“A Universidade dos Açores possui actualmente um conjunto de conhecimentos que podem ser úteis para potenciar o tecido produtivo regional. É importante que as empresas e a universidade se aproximem e se conheçam melhor”, afirmou Cabral Vieira, na abertura do I Fórum ‘Empresas e Universidade: uma parceria com futuro’.
A reunião, que decorreu ontem de manhã em Ponta Delgada, pretendeu promover uma maior aproximação entre a universidade e as empresas, contando com intervenções de responsáveis de diversos departamentos universitários e de empresários.
“As empresas podem captar conhecimento na relação com a universidade que lhes permitirá obter vantagens competitivas”, frisou o vice-reitor, acrescentando que “não há desenvolvimento económico sem ciência, nem sem empresas”.
Por seu lado, José Contente, secretário regional da Ciência, Tecnologia e Equipamentos, salientou que o executivo açoriano deposita “grande confiança” no papel que os parques tecnológicos para que a universidade aposte na investigação em contexto empresarial e as empresas “sintam que vale a pena” utilizar esses conhecimentos.
“É importante exigir a todos esta nova postura para que os desafios tenham uma resposta nos Açores que permita um emprego mais qualificado e mais retorno para as empresas”, afirmou.
Para José Contente, esta é uma “aposta fundamental”, frisando que “a abertura da universidade à investigação em contexto empresarial deve ser seguida pelas empresas, integrando esse conhecimento científico”
O secretário regional reafirmou a importância que o executivo atribui à Universidade dos Açores, que se traduziu num investimento superior a 53 milhões de euros entre 2006 e 2011.
“É uma aposta do governo na universidade enquanto alavanca fundamental para o desenvolvimento”, frisou José Contente.

Berta Cabral promete concursos anuais para professores

berta-congressoA candidata do PSD/Açores à presidência do Governo Regional, Berta Cabral, defendeu ontem a realização de concursos anuais para professores, frisando que pretende “aproximar” os docentes das suas residências e “devolver-lhes autoridade”.
“Nós temos este projecto de concursos anuais, valorização, formação, promoção, apoio ao corpo docente para que os professores consigam desempenhar as suas funções com autoridade dentro da escola”, afirmou Berta Cabral, em declarações aos jornalistas no final de uma visita à Escola Básica Integrada de Rabo de Peixe.
Berta Cabral frisou que os concursos anuais permitirão que os professores possam “ter todos os anos uma nova oportunidade para se aproximar das suas residências e famílias”, destacando a importância de “acarinhar e apoiar as famílias, especialmente em alturas difíceis”.
“Quero dizer aos professores que podem contar connosco para lhes devolver a autoridade, para os apoiar e valorizar. Para contarem connosco como parceiros”, afirmou, acrescentando que também pretende “aumentar o quadro de auxiliares de educação”.
A candidata social-democrata, que é também presidente do PSD/Açores, salientou que o projecto educativo do seu partido pretende “apoiar toda a comunidade educativa”, defendendo que o combate ao insucesso escolar deve passar por “motivar professores, alunos, pais, colaboradores da escola e auxiliares de educação”.
“Esta motivação tem que ser dada e isto faz-se através da valorização, da promoção e de um acompanhamento muito próximo da comunidade educativa e das escolas. Isto será da nossa parte uma questão essencial, que vai merecer toda a nossa atenção”, afirmou, acrescentando que defende “uma escola de grande proximidade para o 1.º ciclo do ensino básico”.
Para Berta Cabral, não é uma boa prática “tirar crianças com três anos da sua freguesia, de junto da sua família e residência, para as deslocar logo de manhã em autocarros para grandes escolas onde ficam um pouco perdidas”.

Proteção Civil alerta para mau tempo no Grupo Ocidental com aproximação da tempestade tropical NADINE

mau tempoO Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores informa que, segundo o Instituto de Meteorologia, a tempestade tropical NADINE deverá atingir a zona marítima dos Açores sendo que a partir das 03h00 UTC de hoje, deverá afectar as ilhas Flores e Corvo com ventos médios do quadrante leste até 60km/h com rajadas até 90 km/h, ondas leste até 06 metros e períodos de chuva forte.
Nestas condições prevê-se:
Para o Grupo Ocidental:
Precipitação por vezes FORTE, no período entre as 03h00UTC de 19/SET/2012 e as 15h00UTC de 20/SET/2012;
Vento LESTE rodando para NORDESTE, no período entre as 03h00UTC de 19/SET/2012 e as 15h00UTC de 20/SET/2012;
Ondas de quadrante leste, no período entre 03h00UTC de 19/SET/2012 e as 15h00UTC de 20/SET/2012.
O Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores  recomenda que sejam tomadas as precauções habituais em situações desta natureza.
Recomenda-se particularmente aos pescadores e aos automobilistas, que redobrem os cuidados na atividade diária. Mais informação em, www.azores.gov.pt/Portal/pt/entidades/srcte-srpcba.

Artur Lima acredita que CDS-PP pode ganhar as regionais de Outubro

artur-lima-O presidente do CDS-PP nos Açores, Artur Lima, assegurou ontem que não está “obcecado” em chegar ao poder, mas frisou acreditar que o seu partido pode vencer as eleições regionais marcadas para 14 de Outubro.
“Não queremos ir para o poder pelo poder e para distribuir benesses e tachos”, afirmou Artur Lima, em entrevista à agência Lusa, acrescentando que o seu partido “não tem lobbies na saúde, nem na construção civil, nem nas empresas públicas”, enquanto “o PSD tem”.
Artur Lima considerou que o CDS-PP tem condições para vencer as eleições de outubro porque os seus deputados regionais na actual legislatura produziram mais trabalho e o partido apresenta propostas “inovadoras e diferentes”.
“É legítimo um partido que tem 10 por cento chegar aos 25 ou aos 30 por cento e discutir com os outros a liderança”, frisou, salientando esperar reforçar o número de deputados eleitos pelos círculos da Terceira e de S. Miguel e eleger deputados nos círculos do Pico, do Faial e do Corvo.
Na Terceira, onde lidera a lista de candidatos do CDS-PP, Artur Lima afirmou que o CDS “tem que ganhar as eleições”, já que foi o “único partido” a defender a manutenção da SATA e a abertura dos serviços da radioterapia e de medicina nuclear nesta ilha.
Artur Lima defendeu que “a sociedade só muda quando as pessoas deixarem de ver a política como um clube de futebol” e acusou o PSD de apostar “apenas no desgaste do poder”.
“É de uma demagogia inaceitável prometer portos, aeroportos, pavilhões e escolas, porque não há dinheiro”, frisou, acrescentando que “os fundos comunitários vão ser reduzidos em quase todas as áreas” e os que forem atribuídos “devem ser canalizados para a agricultura e pescas”.
Questionado sobre o papel do CDS-PP em caso de maioria relativa do PSD ou do PS, Artur Lima afirmou que só tomará decisões “com todos os dados em cima da mesa”, acrescentando que “pode ser possível um cenário de coligação, um cenário de acordo parlamentar ou não ser possível nenhum”.
O presidente do CDS-PP nos Açores assumiu como compromisso eleitoral a equiparação da diária dos doentes deslocados à diária dos membros do Governo, deputados e funcionários públicos em serviço, defendendo também o pagamento de propinas a estudantes carenciados e a introdução do combustível GPL nos Açores.
A criação de uma tarifa aérea única nos Açores mais acessível e a equiparação da tarifa de estudante à tarifa promocional mais baixa em vigor na região são outras propostas do partido, que pretende dinamizar o mercado interno regional “de uma forma estruturada e economicamente rentável e eficiente”, através da aquisição de dois aviões cargueiros, um para o circuito interno e outro para a exportação.
Artur Lima pretende ainda melhorar a aplicação do apoio regional para aquisição de medicamentos para idosos e alargá-lo aos cidadãos portadores de deficiência, bem como a utilização do Vale Saúde, criado para reduzir a lista de espera para cirurgias.
Por outro lado, defendeu um plano geotérmico que abranja, pelo menos, cinco ilhas, para diminuir a importação de combustível e reduzir o preço da eletricidade, propondo ainda a criação de um instituto para valorizar os ativos geoestratégicos e geopolíticos do arquipélago.