Açores tiveram 264 casos de violência doméstica no 1º trimestre

Violência-Doméstica

O Ministério Público (MP) recebeu das cinco comarcas do distrito judicial de Lisboa 3.487 processos por violência doméstica entre Janeiro e Março, segundo dados da Procuradoria-geral Distrital de Lisboa (PGDL).

 No mesmo período em 2018 tinham dado entrada quase 2.700 processos.

As comarcas de Lisboa e de Lisboa Oeste são as que mais casos receberam, com 1.260 e 1.100 processos, respectivamente.

Na comarca de Lisboa Norte entraram 548 processos, na comarca da Madeira 315 e nos Açores 264. 

As comarcas da Madeira e dos Açores integram o distrito judicial de Lisboa.

No total, entre 1 de Janeiro e 31 de Março, foram movimentados pelo MP 8.224 processos, dos quais 4.737 transitados do período anterior e 3.487 entrados.

No total houve acusação em 443 inquéritos.

Os dados ontem divulgados revelam ainda que foram arquivados 1.958 processos, dos quais 568 na comarca de Lisboa e 695 na comarca de Lisboa Oeste. 

Recorde-se que os Açores e a Madeira são as regiões do país com maior incidência de casos de violência doméstica. 

A conclusão está no Relatório Anual de Segurança Interna de 2018 que revela uma muito ligeira diminuição deste tipo de crime, em todo o país, em 2018.

No último ano as polícias abriram um total de 26.483 inquéritos por violência doméstica, menos 0,9% que em 2017.

As taxas de incidência mais elevadas atingem a Região Autónoma dos Açores (3,9), seguida da Madeira (3,4). 

No Continente a taxa é bastante mais baixa (2,5), estando acima da média nos distritos de Faro (3,2), Portalegre (3,0), Setúbal (2,9), Lisboa (2,6) e Porto (2,6).

Na divisão por sexos, 79% das vítimas são mulheres e um pouco mais de metade dos casos (53,1%) envolvem vítimas que são cônjuges, namoradas e namorados ou companheiras e companheiros.

 

Há menos estrangeiros a desembarcar nos Açores

Aeroporto PDLNo passado mês de Março, desembarcaram nos aeroportos dos Açores, 109.510 passageiros, um aumento de 1,0% face ao mesmo mês de 2018.

No primeiro trimestre de 2019, desembarcaram nos aeroportos dos Açores, mais 3,9% de passageiros que em igual período de 2018, segundo revela o SREA.

Com efeito, o mês de Março de 2019 desembarcaram nos aeroportos dos Açores 109.510 passageiros, um aumento de 1,0% face ao mesmo mês de 2018. 

Os passageiros desembarcados com origem no estrangeiro foram 7.899, originando um decréscimo homólogo de 28,0%, e os com origem noutras regiões do território nacional atingiram 58.153, apresentando uma variação homóloga positiva de 7,3%.

No primeiro trimestre de 2019, desembarcaram nos aeroportos dos Açores, mais 3,9% de passageiros que em igual período de 2018, enquanto que nos últimos 6 meses, verificou-se, igualmente, uma variação homóloga positiva de 4,6%. 

A ilha com maior número de passageiros desembarcados no mês de Março foi a de São Miguel com 65.270, seguida da Terceira com 24.535 e Faial 6.796. 

A ilha que apresentou maior crescimento homólogo mensal foi a do Corvo com 27,9%, seguindo-se a das Flores com 9,5%, e Faial com 6,0%. 

Em sentido inverso, as ilhas do Pico e Graciosa registaram decréscimos mensais homólogos no desembarque de passageiros de 11,2% e 1,3%, respectivamente.

A ilha que apresentou maior variação homóloga positiva no primeiro trimestre foi igualmente a do Corvo (14,5%), seguida do Faial com 9,7%. 

Quanto ao acumulado dos últimos 6 meses, a ilha que verificou maior variação homóloga positiva foi novamente a do Corvo com 17,1%, seguida do Faial (9,6%), Santa Maria (7,4%), Flores (6,2%) e São Miguel com 5,1%.

 

Custo de um utente no Lar da Levada é de 1.357 euros e no Lar de S. Francisco 1.589 euros

hospital antigo pdl

O custo de um utente no Lar da levada, em Ponta Delgada, era, em 2017, de 1.357 euros (1.417 euros em 2015 e 1.397 euros em 2016) e no Lar de S. Francisco (no antigo hospital) é de 1.589 euros (2.158 em 2015 e 1.693 em 2016), quando o valor médio de referência do custo de um utente referenciado é de 845,48 euros.

Estes valores fazem parte do relatório da auditoria mandada efectuar pelo Governo regional à Santa Casa da Misericórdia de Ponta Delgada (SCMPD), proprietária dos dois lares, e que foi divulgado na passada sexta-feira.

O relatório, de 14 páginas, da autoria da APPM, uma sociedade de revisores oficiais de contas, não aponta nenhuma irregularidade nas duas estruturas alvo de auditoria, as valências Lar de Idosos e Serviço de Apoio ao Domicílio.

Limita-se a fazer algumas recomendações e descreve a actividade das respectivas valências.

Confirma que a mensalidade dos utentes é calculada com base em 80% do valor da sua pensão líquida.

“Por opção do utente, pode ser maior o valor a entregar à SCMPD, ou pode apresentar declaração de doação de bens. Aquando da entrada do utente são recolhidas informações financeiras, que contemplam o valor actualizado da Pensão e do Complemento Regional de Pensão, bem como da última declaração de rendimento disponível, para identificação de outras categorias de rendimentos”, lê-se no documento.

Descreve ainda que, após a entrada do processo, este é avaliado pela Assistente Social e, quando existem vagas no lar, são sujeitos à aprovação do Provedor (através de delegação de competências) sob critérios previamente estabelecidos, nomeadamente a nível de urgência na admissão, avaliação da autonomia do utente e sua situação de habitação, condições financeiras, familiares, entre outras.

A ocupação, em média, é sempre de 100% e a lista de espera é considerável, apresentando um total de 83 camas (69 camas no Lar da Levada e 14 camas no Lar de S. Francisco), todas elas comparticipadas pelo Instituto de Segurança Social dos Açores.

Taxa de inflação baixa nos Açores para 0,29%

ipc março

A taxa de inflação média nos Açores desceu para 0,29%. 

A nível nacional situou-se nos 0,99%.

A taxa de variação homóloga do mês de Março, nos Açores, situou-se nos -0,05%, sendo a nacional de 0,85%.

Com efeito, segundo divulgou ontem o SREA, a taxa de variação mensal foi de 1,40% nos Açores e 1,77% no país. 

A taxa de variação média dos últimos doze meses, terminados em Março, do Índice de Preços no Consumidor, “Total”, desceu para 0,29%. 

As maiores variações médias verificaram-se nas classes “Bebidas alcoólicas e tabaco”, “Transportes”, “Acessórios, equipamentos doméstico e manutenção corrente da habitação”, “Hotéis, cafés e restaurantes”, “Educação” e “Bens e serviços diversos” com taxas positivas, respectivamente, de 2.58%, 1,89%, 1,89%, 1,84%, 1,27% e 0,89%.

A taxa de inflação nacional é de 0,99%.

A taxa de variação homóloga do Índice de Preços no Consumidor, “Total” de Março, situou-se nos -0,05%, subindo 0,61 pontos percentuais em relação à taxa divulgada no mês anterior.

A taxa homóloga a nível nacional é de 0,85%. 

A taxa mensal do índice de Fevereiro, “Total”, é de 1,40%, subindo 2,15 pontos percentuais em relação ao mês de fevereiro. 

A classe “Vestuário e calçado” com 15,76%, é a que mais se realça no sentido da alta, enquanto no sentido da baixa temos a classe “Acessórios, equipamentos doméstico e manutenção corrente da habitação” com -0,21%.

A taxa mensal a nível nacional é de 1,77%.

‘Serenissima’ inicia amanhã cruzeiro de 9 noites com escalas em todas as ilhas

serenissima 2O Terminal de Cruzeiros das Portas do Mar, em Ponta Delgada, vai receber  amanhã o  SERENISSIMA, da operadora Noble Caledónia, empresa vocacionada para cruzeiros temáticos por muitos locais inacessíveis aos grandes navios. 

Em Ponta Delgada o navio deverá embarcar cerca de uma centena de passageiros, que iniciarão nesta ilha um cruzeiro de 9 noites que contempla escalas em todas as ilhas do arquipélago.   

Construído em 1960, nos estaleiros de Trondheims Mekaniske, na Noruega, o SERENISSIMA possui 87,1 metros de comprimento e 13,3 metros de largura. 

Desloca 2.621 toneladas de arqueação bruta, tendo capacidade de alojar 110 passageiros e 50 tripulantes.

Muito embora seja um navio já com 57 anos, o mesmo apresenta-se em excelentes condições de navegabilidade, oferecendo aos seus hospedes excelentes comodidades num ambiente muito familiar e descontraído.

Depois de amanhã o terminal está reservado para o regresso do luxuoso paquete SILVER SPIRIT, da conceituada operadora Silversea, que em Ponta Delgada fará a segunda escala no arquipélago  incluídas num cruzeiro transatlântico de 13 noites e iniciado em Fort Laudardale, na Florida, no dia 2, e que irá terminar em Lisboa, no dia 15, e com paragens igualmente em Hamilton, nas Bermudas, e na cidade da Horta.

Inaugurado em Dezembro de 2009, foi construído nos estaleiros italianos Fincantieri, sendo o sexto  navio daquela operadora. 

É também um dos maiores e mais sofisticado, proporcionando aos seus hóspedes uma ambiência de grande requinte e elevadíssimos padrões de qualidade. 

Em 2018 foi aumentado com um novo bloco de perto de 16 metros que lhe conferiu 39.519 toneladas de arqueação bruta, passando a medir 210,7 metros de comprimento, 27 metros de boca e um calado de 6.5 metros. 

A sua capacidade actual é de  632 passageiros e 375 tripulantes. 

Possui um total de 318 cabines, todas elas suites, em 6 categorias diferentes, disponibilizadas em 6 dos 8 decks para passageiros.

Quanto a algumas comodidades, podemos salientar a decoração das suas áreas públicas que é pautada por padrões modernos com uma mistura de “art deco”,  proporcionando uma interessante mescla de formas e cores. É assinalável a qualidade geral deste paquete, com um serviço de excelência, acomodações verdadeiramente requintadas e uma experiência de cruzeiro muito além do normal.

Com o Azores Cruise Club