GNR apreende peças de vestuário e bijuteria por “uso ilegal de marca”

GNRA Guarda Nacional Republicana (GNR) apreendeu nos Açores mais de oito dezenas de peças de vestuário e bijuteria “por contrafação e uso ilegal de marca”.

A informação foi avançada pela GNR no comunicado de actividade operacional semanal, que adianta que as 84 peças apreendidas tinham o “valor presumível de 7.220 euros”.

A apreensão ocorreu no âmbito de um conjunto de operações realizadas entre 26 de Novembro e 2 de Dezembro, “que visaram a prevenção, fiscalização e investigação de infracções tributárias e aduaneiras, a vigilância da costa e do mar territorial, a fiscalização das pescas e a protecção da natureza e do ambiente, entre outras”. 

Neste período, foi ainda detida uma pessoa por “prática de acto venatório em terrenos de caça condicionada” e realizados 131 autos de contraordenação, no âmbito da fiscalização geral. Quanto ao trânsito, a GNR registou 47 autos de contraordenação, destacando-se 16 no âmbito da legislação sobre aluguer de veículos sem condutor.

Nesta semana foi ainda realizada uma acção de sensibilização, a propósito do “Dia Internacional pela Eliminação da Violência contra as Mulheres”, que contou com a presença de 60 participantes.

Açores excluídos dos prémios World Travel

world travelOs Açores ficaram excluídos dos prémios mundiais do turismo, World Travel Awards, que decorreram este ano em Portugal, com uma cerimónia onde foram atribuídos 16 prémios ao nosso país.

Portugal estava numa lista com 55 nomeações, entre as quais a região Açores, nomeada como Melhor Destino de Mergulho, mas não foi eleita.

Pela segunda vez consecutiva, Portugal foi eleito o melhor destino a visitar em todo o mundo. 

Portugal deixou para trás concorrentes como África do Sul, Brasil, EUA, Índia, Indonésia, Jamaica, Maldivas, Sri Lanka, Malásia, Vietname, Nova Zelândia ou a vizinha Espanha. 

Além de melhor destino turístico, Portugal obteve outro prémio: Lisboa foi nomeada como a melhor cidade no mundo para ser visitada e para uma escapadinha citadina. Lisboa concorria com Londres, Nova Iorque, Paris, Rio de Janeiro, Sydney e São Petersburgo. 

A vizinha Madeira ganhou na liderança dos destinos insulares e os Passadiços do Paiva a atracção de aventura número um entre todas.

Além dos destinos, também os serviços foram considerados nestes prémios.

Os Parques de Sintra valeram à Monte Lua o prémio de melhor empresa de conservação. 

Ao Turismo de Portugal foi concedido o topo entre os organismos oficiais de turismo e à VisitPortugal o melhor website de um organismo no sector.

Amazing Evolution Management foi considerado o melhor operador de boutique de hotéis. 

Já no que diz respeito aos locais onde pernoitar, a lista é vasta: o Corinthia (Lisboa) ganhou na categoria de melhor hotel citadino, o Olissippo Lapa Palace (Lisboa) recebeu o primeiro prémio entre os clássicos, o Vine (Madeira) distinguiu-se pelo design, o Vila Joya (Albufeira) foi premiado pela alta gastronomia, e o Conrad (Loulé) foi considerado o melhor no segmento resort de luxo. 

A TAP foi distinguida como a melhor companhia para destinos em África e na América do Sul e a revista de bordo, «Up Magazine», foi a melhor entre todas.

 “Este é, acima de tudo, um prémio para os portugueses”, afirma Ana Mendes Godinho, Secretária de Estado do Turismo.

 “Sermos os campeões do mundo no turismo pelo segundo ano consecutivo é sinal da capacidade de afirmação internacional de Portugal, graças ao trabalho de todos os portugueses. Portugal é de facto um destino imperdível”, acrescenta.

No próximo ano, no início de Junho, a Madeira será o palco para mais um evento dos ‘óscares’ do turismo. 

A ilha vai acolher pela primeira vez a gala europeia dos World Travel Awards.

Lançada campanha de divulgação da Linha de Saúde Açores

gripe outonoO Secretário Regional da Saúde lançou ontem, em Angra do Heroísmo, uma campanha de divulgação da Linha de Saúde Açores e de sensibilização para a vacinação antigripal.

“Esta campanha de prevenção contra a gripe sazonal tem por objectivo fazer com que os utentes tomem consciência de que a gripe se trata em casa e há várias soluções para isso”, afirmou Rui Luís, apontando que se devem “seguir os conselhos do médico de família, seguir os conselhos da Linha de Saúde Açores e vacinar-se”.

Rui Luís realçou o aumento de 110%, entre 2017 e 2018, nas chamadas realizadas para a Linha de Saúde Açores.

“O investimento em 2018 de mais quatro enfermeiros e a introdução do acompanhamento dos utentes para constatar a evolução do seu estado de saúde fez mais que duplicar o recurso a esta linha”, frisou.

A Linha de Saúde Açores, com o número 808 24 60 24, está disponível 24 horas por dia e disponibiliza triagem e encaminhamento, assistência em saúde pública e aconselhamento terapêutico, prestado por profissionais de saúde.

Na ocasião, foi também apresentada pelo Presidente do Serviço Regional de Protecção Civil e Bombeiros dos Açores a evolução estatística do número de chamadas e os resultados de um inquérito de satisfação realizado, entre Julho e Setembro, aos utilizadores da Linha de Saúde Açores e da Linha de Emergência Médica.

De acordo com o relatório que resultou dos inquéritos de satisfação realizados aos utentes que telefonaram para as duas linhas, a classificação média atribuída ao atendimento foi de “muito satisfeito”.

O relatório demonstra que 85% dos açorianos inquiridos seguiram as instruções fornecidas pelo enfermeiro e que 70% dos utentes não procurou mais nenhum tipo de ajuda ou cuidados diferenciados após a avaliação efectuada pela Linha de Emergência Médica.

Depois de terem utilizado o serviço de triagem telefónica e aconselhamento, 90% dos utentes considerariam no futuro, e numa situação semelhante, ligar primeiro para o 808 24 60 24, a dirigir-se primeiro a uma Unidade de Saúde.

Carlos Neves salientou que estes resultados “são fruto do trabalho de informação e sensibilização realizado ao longo do ano, que fez com que as pessoas tivessem mais confiança no serviço e o utilizassem com mais frequência”.

Para potenciar ainda mais a utilização deste serviço, foi lançada uma campanha de divulgação com recurso a um ‘spot’ a divulgar na RTP/Açores e com cartazes distribuídos nas unidades de saúde, casas do povo e autarquias.

Durante esta apresentação, foram também revelados os dados da taxa de vacinação da época gripal pelo Director Regional da Saúde.

A Região tem disponível 25.500 vacinas gratuitas para grupos alvo prioritários, constituídos por idosos com 65 ou mais anos, doentes crónicos, cidadãos institucionalizados em lares, casas de saúde ou estabelecimentos prisionais, e profissionais de saúde e bombeiros.

Tiago Lopes referiu que a taxa de cobertura vacinal tem vindo a crescer de ano para a ano.

Até ao final de Novembro, já aderiram à vacinação 43,8% da população alvo, sendo aconselhável a administração até  ao final de Dezembro.

“Temos uma taxa de cobertura bastante satisfatória, até ao momento, este segundo momento da campanha será também importante para continuarmos a trabalhar preventivamente, o que não invalida tomarmos outras medidas adicionais”, afirmou o Director Regional.

No mesmo sentido, o Secretário Regional da Saúde adiantou que há “consultas abertas em todos os centros de saúde para atender aqueles utentes que não têm médico de família”, assegurando que existem condições para “reforçar essas consultas caso seja necessário”.

Venda de carros novos continua a subir nos Açores

Carro - chaveOs açorianos continuam a comprar mais carros novos este ano, em comparação com o ano anterior.

De Janeiro a Outubro já foram vendidos na região 4.045 novas viaturas, mais 479 do que em igual período do ano passado.

No mês de Outubro as vendas voltaram a subir, passando de 336 para 357.

Em Setembro tinha-se registado uma quebra, de 325 para 289.

De resto, apenas no mês de maio se registou também uma quebra, enquanto nos restantes foi sempre a subir.

 

Continente cai pelo terceiro mês consecutivo

 

Os portugueses compraram menos carros pelo terceiro mês consecutivo. 

As vendas de automóveis ligeiros caíram 12,3% em Novembro, face ao período homólogo de 2018. 

Foram registados 15.466 veículos ligeiros no último mês, segundo a informação adiantada esta segunda-feira pela ACAP – Associação Automóvel de Portugal. 

No total, o mercado automóvel recuou 9,4% em Novembro. 

Renault, Peugeot e Mercedes foram as três marcas que mais venderam carros em Novembro. 

A Renault liderou o mercado mesmo tendo registado uma quebra de 25,1% no último mês; a Peugeot também registou uma diminuição de 2,5%; a Mercedes registou uma melhoria de 2,3% em novembro. 

A contar desde Janeiro, a Renault é a marca mais vendida em Portugal, seguida da Peugeot e da Mercedes. 

Enquanto as duas marcas francesas têm aumentado as suas vendas desde o início do ano, os alemães registam uma quebra de 1,1%. 

 

Marcas de luxo também caem

 

As quebras do mercado estendem-se às marcas de luxo: só a Ferrari e a Bentley venderam um veículo cada em novembro; Aston Martin e Lamborghini e Maserati ficaram a zero. 

A Jaguar registou 47 carros em Novembro, o mesmo número do mesmo mês de 2017. 

O mercado automóvel português continua a corrigir dos fortes aumentos de vendas registados em Julho e Agosto e que anteciparam a entrada em vigor, em Setembro, na nova norma de medição de emissões (WLTP). 

Setembro marcou a entrada da nova norma de emissões WLTP, que prevê consumos e valores de emissões mais realistas. 

As marcas temiam um aumento generalizado do preço dos automóveis novos a partir de 1 de setembro, mas tal não aconteceu porque o secretário de Estado dos Assuntos Fiscais, António Mendonça Mendes, deu instruções à Autoridade Tributária (AT) para alterar as tabelas de impostos aplicadas aos automóveis e neutralizar o efeito da entrada da nova norma de emissões (WLTP). 

O Orçamento do Estado para 2019 contempla esta situação.

Aumenta número de famílias incapazes de pagar o crédito à habitação

Ponta Delgada vista aereaO número de famílias incapazes de pagar o seu crédito à habitação subiu ligeiramente em Outubro, no país, face ao mês anterior, o mesmo acontecendo com o crédito ao consumo, evidenciado uma inversão da tendência de descida do incumprimento que se vinha a registar. 

O total das famílias com empréstimos, 11,3% estava em situação de incumprimento em Outubro, face a 11% no mês de Setembro, segundo dados divulgados esta terça-feira pelo Banco de Portugal. 

Das famílias com crédito à habitação, 4,7% não conseguem cumprir o pagamento do empréstimo, um aumento de 0,1 pontos percentuais face ao mês de Setembro. 

Também no crédito ao consumo se regista um agravamento do malparado nas famílias. 

Em Outubro, 12,1% das famílias estão em falta com o pagamento do crédito, mais 0,3 pontos percentuais do que em Setembro. 

Os valores são, contudo, inferiores ao nível de incumprimento registado um ano antes.

Em termos de saldo em dívida, o rácio de crédito vencido manteve-se em 3,8% em Outubro. 

Quanto aos empréstimos concedidos pelos bancos a famílias, registaram uma taxa de variação homóloga de 0,8%. 

No crédito ao consumo, a taxa situou-se em 7,4% em outubro, face a 7,3% em setembro e 4,9% no mês homólogo de 2017. 

Na habitação, a taxa manteve-se em -0,9%, em termos mensais, mas subiu comparando com os -1,7% em outubro de 2017.

 O saldo de empréstimos às famílias desceu para 124.305 milhões de euros, de 124.365 milhões de euros um mês antes. 

Na habitação, o saldo de crédito concedido caiu para 97.986 milhões de euros de 98.098 milhões de euros. 

No consumo, o saldo aumentou para 26.319 milhões de euros de 26.267 milhões de euros.

 

Taxa de incumprimento mais baixa nos Açores

 

Nos Açores a tendência é semelhante, segundo apurou o nosso jornal, apesar de não existirem dados específicos para a região.

Uma fonte bancária conhecedora do sector declarou ao nosso jornal que, apesar disso, a situação nos Açores é menor do que a média nacional, uma vez que há bancos na nossa região em que a referida taxa de incumprimento nem chega aos 0,8% na habitação ( contra os 4,7% referidos na média nacional).