Comissariado para a Infância defende benefícios fiscais para famílias de acolhimento nos Açores

Comissariado da InfânciaAs famílias de acolhimento nos Açores devem ter benefícios fiscais. Quem o defende é Isabel Rodrigues, do Comissariado dos Açores para a Infância (CAI), que falava ontem na apresentação do relatório de actividades daquela entidade referente ao ano de 2017.

Na ocasião, a Directora Regional da Solidariedade Social, por sua vez,  destacou os resultados obtidos “em apenas um ano” de actividade do CAI como “muito positivos” para as políticas públicas da Região dirigidas aos mais jovens.

Marta Bulhões afirmou que se trata de “um contributo fundamental para o trabalho do Governo dos Açores em matéria de infância, que permitiu não apenas ajustar as medidas já em vigor, como também garantir que as novas políticas correspondam à realidade regional, respondendo efetivamente às necessidades das crianças e jovens”. 

“Em apenas um ano, o CAI apoiou o Governo na resposta ao ensejo das comissões de protecção de crianças e jovens instaladas nos Açores, quer em termos de formação, quer em termos de acompanhamento, desenvolveu inúmeras acções de sensibilização e contribuiu para a Estratégia Regional de Combate à Pobreza e Exclusão Social”, salientou, considerando os resultados apresentados ontem como “muito positivos para a Região”.

“As crianças e jovens são uma prioridade do Governo desde o início e, nesse sentido, é importante que tenhamos uma entidade dedicada, a tempo inteiro, a melhorar as políticas públicas da Região nesta matéria”, frisou Marta Bulhões.

O Comissariado dos Açores para a Infância, criado pelo Governo Regional no final de 2016, tem como missão a defesa e a promoção dos direitos das crianças e jovens no arquipélago, sendo constituído por representantes nomeados pelo Governo dos Açores em matéria de Juventude, Emprego e Trabalho, Solidariedade Social, Educação e Saúde. 

Mais de 1.200 emigrantes vêm dos EUA às Festas do Senhor Santo Cristo

Santo Cristo 2015São mais de 1.200 os emigrantes que virão dos EUA às Festas do Senhor Santo Cristo dos Milagres, em Ponta Delgada, de 4 a 9 de Maio próximo.

O número foi confirmado ao nosso jornal por fonte da SATA naquele país, com base nas reservas para a semana anterior ao início das festas.

“Este ano não foi preciso reforçar a operação, uma vez que já teremos voos todos os dias”, adianta a mesma fonte ao “Diário dos Açores”, acrescentando que “haveria mais gente interessada em deslocar-se às festas, mas tenho ouvido que a capacidade hoteleira em Ponta Delgada já estará esgotada”.

De facto, os operadores turísticos já estão a preparar, desde há alguns meses, a operação das Festas do Senhor Santo Cristo para este ano.

Por exemplo, no continente, o operador turístico Solférias está a propor um pacote especial para as festas do Senhor Santo Cristo com um programa de três noites em Ponta Delgada, cuja viagem pode ser realizada de 1 a 11 de Maio, custando desde 280 euros por pessoa em alojamento duplo no Vila Nova Hotel, de quatro estrelas.

Com partidas todos os dias de Lisboa e do Porto em voos TAP ou SATA, os preços apresentados são válidos para reservas até 8 de Maio.

O programa religiosos ainda não está completo, devendo ser apresentado à comunicação social nas próximas semanas, mas já é conhecido o programa cultural e recreativo, que está assim delineado: 

Sexta-feira, dia 4 de Maio:

21:30/00:30 – Arraial e concerto Pela Banda Triunfo.

Sábado, dia 5 de Maio:

21:00/22:30 – Arraial e concerto ( Lira das Sete Cidades)

23:00 – Espectáculo de fogo-de-artifício a partir do Forte de São Brás

23.15/00.30 – Concerto (Fundação Brasileira)

Domingo, dia 6 de Maio:

22:00/00:30 – Arraial e concerto (Filarmónica Aliança dos Prazeres)

Segunda-feira, dia 7 de Maio (feriado municipal):

12:30 – Homenagem da Polícia de Segurança Pública, dos Bombeiros Voluntários, dos táxis da Associação dos Táxis de S. Miguel e Santa Maria e dos Motociclistas de S. Miguel com desfile diante do Convento da Esperança.

15:00/19:00 – Cantigas ao desafio e desgarradas (Associação dos Cantadores ao Desafio dos Açores)

20:00/21.00 – Actuação do Grupo Bora Lá Tocar

21.30/23:00 – Arraial e concerto (Banda Nossa Senhora dos Remédios)

Terça-feira, dia 8 de Maio:

21.00/24.00 –Arraial e Concerto (Violas da Terra)(21:30 às 23:00)

Quarta-feira, dia 9 de Maio:

21.00/24:00 –Arraial e Concerto (Filhos da Terra-Ribeira Chã) (21:30 às 23:00)

Quinta-feira, dia 10 de Maio:

21:30/24:00 – Arraial e concerto de encerramento das Festas de 2018 pela Banda da Zona Militar dos Açores.

Três cruzeiros hoje em Ponta Delgada

brilliance of the seas 2Ponta Delgada recebe hoje três navios de cruzeiros: o “Brilliance of the Seas”, o “Star Fleyer” e o “Midnatsol”. 

Os três navios trarão à cidade mais de 3.200 pessoas, entre passageiros e tripulantes.

Destaque natural para o regresso do “Brilliance of the Seas”, da Royal Caribbean. A sua escala no terminal de cruzeiros das Portas do Mar está inserida num roteiro transatlântico de 15 noites, entre as cidades de Tampa, na Flórida, e Amesterdão, na Holanda, onde o navio ficará posicionado para a temporada de Verão na Europa.

Construído nos estaleiros alemães de Meyer Werft, em Papenbourg, em 2002, foi o segundo navio da aclamada classe Radiance, o “Brilliance of the Seas” tem 90.090 toneladas de arqueação bruta. 

Possui 293,2 metros de comprimento, 32,2 metros de boca e um calado de 8,4 metros.  Em ocupação normal o navio tem capacidade de alojar 2.100 passageiros, sendo a sua tripulação composta por 858 elementos.

Outro dos navios que hoje estará em Ponta Delgada será o navio de cruzeiros à vela “Star Fleyer”, da famosa operadora Star Clippers, que nos últimos anos tem sempre escalado Ponta Delgada, no âmbito dos seus itinerários transatlânticos, com destino ao Mediterrâneo e ilhas gregas, onde irá operar durante a época de Verão na Europa.

Construído em 1990 nos estaleiros de Langerbrugge, na Bélgica, este elegante veleiro desloca 2.298 toneladas de arqueação bruta. 

Possui 111,5 metros de comprimento. 14,8 metros de boca e um calado de 5,5 metros, A sua área de velas  é de cerca de 3.600 metros quadrados, podendo atingir uma velocidade de 16 nós. 

Pode transportar até 180 passageiros sendo a sua tripulação composta por 58 elementos.

O terceiro navio a estar em Ponta Delgada é o “Midnatsol”, que volta novamente a passar por Ponta Delgada no âmbito de um segundo cruzeiro de 14 noites, iniciado igualmente em Lisboa, no dia 10, e que contempla igualmente escalas na cidade da Horta e amanhã na cidade de Angra do Heroísmo, seguindo-se escalas na Madeira, Porto Santo, Santa Cruz de Tenerife e La Gomera, nas Canárias, terminando este segundo itinerário no dia 24 em Lisboa.

 

msc preziosaMSC Preziosa” estreia Ponta Delgada na próxima semana

 

O famoso cruzeiro “MSC Preziosa” estará pela primeira vez em Ponta Delgada no dia 19 de Abril, próxima quinta-feira.

A MSC Cruzeiros em Portugal está a preparar uma visita a bordo com os órgãos de comunicação social da região, da parte da manhã, com uma  conferência de Imprensa e Cerimónia de Boas-Vindas, por Eduardo Cabrita, Director-Geral da MSC Cruzeiros Portugal.

O “MSC Preziosa” vai realizar novamente cruzeiros com partida e chegada a Lisboa e oferecer itinerários pelo Mediterrâneo Ocidental. 

Nos dias 28 de Setembro, 7, 16 e 25 de Outubro e a 3 de Novembro, o navio parte de Lisboa num itinerário de nove noites por cidades como Barcelona, Marselha, Génova, Málaga e Casablanca.

Com partida de Hamburgo a 22 de Setembro, o “MSC Preziosa” parte numa viagem de seis noites pelo Norte da Europa e Lisboa, num itinerário com escala em Le Havre, Southampton, Vigo e desembarque em Lisboa. 

Este navio disponibilizará também dois mini-cruzeiros, de Génova a Lisboa, no dia 2 de Outubro, com escala em Málaga e Casablanca e com partida de Lisboa a 12 de Novembro, com a possibilidade de visitar Barcelona e Marselha antes de chegar a Génova. Nos últimos anos, a MSC Cruzeiros tem apostado no mercado português com saídas e chegada a Lisboa, sendo que estão ainda disponíveis camarotes para venda a bordo do MSC Preziosa, com promoção bebidas incluídas nas partidas de 13 e 22 de Outubro de 2018.

Açores têm a diferença de preços mais baixa entre as duas épocas

Ponta Delgada - casasAs casas mais caras e mais baratas para as férias de Verão

O motor de busca de alojamentos Holidu divulgou um estudo aos preços das casas de férias em Portugal e na Europa, onde se pode encontrar as estadias mais em conta para este Verão de 2018.

No caso dos Açores a diferença entre a época de Inverno e de Verão não é muita, rondando os 15 euros apenas.

De acordo com o estudo, existem diferenc?as de prec?os extremas entre as regio?es de Portugal. 

 

Algarve, o mais caro

 

O Algarve é 43% mais caro do que a me?dia nacional. 

Em Portugal, as casas de férias mais baratas estão no Norte e na Madeira.

Na Europa, Bulga?ria e? o destino com os valores mais baixos para alojamentos de fe?rias.

Flexibilizar as datas das fe?rias compensa e permite poupar ate? 24%, em me?dia, no prec?o do aluguer, aconselha a análise de Holidu. 

Em Portugal, as diferenc?as de prec?os sa?o significativas e indicam uma possibilidade de ate? 50% de poupanc?a, dependendo do destino e do peri?odo de estadia. 

O estudo de Holidu leva em conta as diferenc?as de prec?os entre a alta e baixa temporada para cada destino.

 

Média de 122 euros em Portugal na época alta

 

A ni?vel nacional, a diferenc?a de prec?os entre a alta e baixa temporada e? significativa, ja? que uma casa de fe?rias em Portugal custa em me?dia 122 euros na alta temporada (04.08.2018 - 11.08. 2018) e 98 euros por noite na baixa temporada (15.09.2018 - 22.09. 2018).

Ja? a ni?vel regional, é grande a diferenc?a de prec?os entre as regio?es. 

No Algarve, por exemplo, uma casa custa em me?dia cerca de 58 euros a menos por noite na baixa temporada em relac?a?o á alta. 

Observa-se tambe?m uma significativa diferenc?a na regia?o do Alentejo, onde os valores de arrendamentos de fe?rias sa?o 23 euros mais baratos na baixa temporada e no Centro, onde a diferenc?a e? de 21 euros.

 Ja? nas regio?es Norte, Ac?ores e Madeira a diferenc?a na?o e? ta?o grande, cerca de 15 euros. 

 

Reino Unido, Espanha e Grécia os mais caros

 

Ja? a ni?vel europeu, os destinos mais caros para o Vera?o de 2018 sa?o Reino Unido, Espanha e Gre?cia, com valores de 200 euros, 184 euros e 181 euros respetivamente.

Be?lgica, Croa?cia, Alemanha, Eslove?nia, Hungria, Polónia e Bulga?ria sa?o óptimos destinos para quem pretende passar fe?rias numa casa no estrangeiro sem pagar valores muito altos, ja? que todos esses pai?ses apresentam valores me?dios para alojamentos de fe?rias menores do que em Portugal. 

Outros dois destinos interessantes sa?o Turquia e Marrocos que, embora na?o fac?am parte da Europa, sa?o facilmente acessi?veis aos portugueses e apresentam valores muitos atraentes de 118 euros e 90 euros, respectivamente, conclui o estudo.

Turismo terá crescido 10% em Fevereiro e 4% em Março

turistas1Com base no modelo econométrico desenvolvido pelo SREA e na informação disponível até à data, nomeadamente a evolução do número de passageiros aéreos desembarcados e o valor dos levantamentos em caixas multibanco, o SREA estima que o número de dormidas na Hotelaria Tradicional dos Açores durante o mês de Março terá sido de 115 mil.

Comparando com o valor divulgado para Março de 2017, esse valor reflecte um aumento de 4% em termos homólogos.

Entretanto, só amanhã é que se irá conhecer o número definitivo das dormidas do mês de Fevereiro, mas já ontem o SREA fez também uma estimativa, anunciando que, com base no mesmo modelo econométrico e na informação disponível até à data, o número de dormidas na Hotelaria Tradicional dos Açores durante o mês de Fevereiro terá sido de 81 mil.

Comparando com o valor divulgado para Fevereiro de 2017, esse valor reflecte um aumento de 10% em termos homólogos. 

Em Março de 2018 desembarcaram nos aeroportos dos Açores 108 420 passageiros, um aumento de 10,5% face ao mesmo mês de 2017. 

Os passageiros com origem no estrangeiro foram 10 967, e os com origem noutras regiões do território nacional foram 54 205, implicando aumentos homólogos de 28,4% e 9,9%, respectivamente. 

Os levantamentos em caixas ATM atingiram em Março, nos Açores, um montante total de 46 970 mil euros, um aumento homólogo de 1,7%. 

Destes, 44 613 mil euros são de levantamentos nacionais (um aumento homólogo de 1,2%) e 2 357 mil euros dizem respeito a levantamentos internacionais, o que representa um aumento de 12,6%.