Défice dos Açores agrava-se em mais 13 milhões de euros

pessoas em Ponta Delgada1O procedimento dos défices excessivos, da primeira (Abril) para a segunda (Setembro) notificação de 2019, agrava as necessidades de financiamento da economia dos Açores, em 2018, em cerca de 13 milhões de euros, de 126 para 139 milhões de euros, revela uma publicação do INE divulgada anteontem.

O acumulado da dívida do perímetro é agravado de 1.859  para 1.860 milhões de euros. 

O cenário de deficiência de liquidez foi agravado.

O INE reviu também em baixa o défice de 2018 para 0,5% do produto interno bruto (PIB) a nível nacional. 

A estimativa anterior apontava para que o défice daquele ano se tivesse fixado em 0,5%. 

”De acordo com os dados provisórios, o sector institucional das AP registou uma necessidade líquida de financiamento de 910,9 milhões de euros em 2018, o que corresponde a 0,4% do PIB (912,8 milhões de euros e 0,5% do PIB na versão provisória anterior, publicada em Março passado)”, pode ler-se no relatório do INE.

Esta revisão acontece no âmbito da segunda notificação do Procedimento por Défice Excessivo (PDE). No ano passado, sublinhe-se, o Ministro das Finanças, Mário Centeno, tinha previsto um défice de 0,7% - o que significa que o valor do défice ficou ainda mais abaixo da meta do que o previsto anteriormente.

Alojamento Local já representa 30% das dormidas, com 12 mil camas disponíveis

Alojamento local - placaOs estabelecimentos de Alojamento Local registam 494 472 dormidas, o que representa 30 % da actividade turística, enquanto a hotelaria tradicional atingiu, neste espaço de tempo, 64% das dormidas.

Em finais de 2018, o Alojamento Local representava 24% das dormidas, o que significa que a atividade neste sector tem vindo a crescer, existindo já 2 281 unidades em atividade e mais de 12 mil camas disponíveis, nas diversas ilhas.

Do quase meio milhão de dormidas, no Alojamento Local, no referido período entre janeiro e Julho deste ano, a maior parte é relativa a turistas estrangeiros, 341 mil dormidas e 152 mil de residentes em Portugal.

Só em S. Miguel existem 1227 unidades com mais de 6 mil camas disponíveis, a Terceira e o Pico tem mais de 300 estabelecimentos em atividade.

A atividade do Alojamento Local é uma fonte de rendimento, permite a reabilitação de alguns imóveis e atrai um determinado setor do turismo. Todavia, os números mostram que tem um menor peso na economia.

A hotelaria tradicional no período entre Janeiro e Julho, com 64 % das dormidas, faturou à volta de 58 milhões de euros, o Alojamento Local ficou-se por 4 milhões de euros. 

Quanto a postos de trabalho, a hotelaria tradicional empregava em Julho 2 269 funcionários.

No que se refere ao Alojamento Local, não existem dados, mas calcula-se que serão muito poucos, de resto, característica do seu próprio formato e conceito, de ser uma unidade com poucos gastos, muitas vezes de carácter familiar.

 

Texto e gráficos de Rafael Cota/

Para Diário dos Açores

“Meraviglia” e “Preziosa” vão passar a noite em Ponta Delgada

meraviglia

A MSC Cruzeiros, uma da maiores companhias do mundo, sediada na Suíça e líder do mercado na Europa e na América do Sul, programou três escalas dos seus melhores navios, para Ponta Delgada, no próximo ano de 2020, confirmou ao nosso jornal fonte da empresa.

As escalas serão todas em Abril, começando com o “Divina”, que chegará a Ponta Delgada no dia 1 de Abril, uma quarta-feira, pelas 7 da manhã e partindo às 16 horas.

Seguir-se-à, no dia 12 de Abril, num domingo, o “Preziosa”, atracando às 8 horas e largando às 18h do dia seguinte.

Finalmente, no dia 22, numa quarta, haverá uma escala inaugural: o “Meraviglia”, pela primeira vez em Ponta Delgada, chegando às 7 da manhã e largando às 14h do dia seguinte.

As duas “overnights” revelam uma aposta, cada vez maior, as escalas nesta cidade, pelo que nesses dias será de contar com grande movimentação no comércio e restaurantes de Ponta Delgada, uma vez que ambos os navios deverão transportar muitos milhares de passageiros.

 

4.500 passageiros no “Meraviglia”

 

Destaque, por exemplo, para o “Meraviglia”, em escala inaugural, que tem capacidade para 4.500 passageiros. É um navio de cruzeiro construído pelos estaleiros da STX Europe em Saint-Nazaire e operado pela MSC Crociere. 

O “Meraviglia” é a principal embarcação dos novos navios “Vista Project” da MSC, junto com o MSC Bellissima, cada um deles possuindo uma capacidade de 4500 passageiros.

De salientar que a MSC Cruzeiros lançou a nova brochura para os cruzeiros da temporada 2020-2021, entre Março do próximo ano e Maio de 2021, que se encontram já disponíveis para reservas. 

O catálogo, que se encontra já disponível online no link Catálogo MSC Cruzeiros 2020-2021, oferece itinerários disponíveis para os mais variados destinos, incluindo o novo MSC World Cruise 2021, os Cruzeiros Portugueses, Mediterrâneo, Norte da Europa, Caraíbas e Antilhas, Estados Unidos e Canadá, Dubai, Abu Dhabi & Sir Bani Yas, América do Sul e Sul de África, as novidades Cabo Norte, Gronelândia e Irlanda.

 

Novos navios no catálogo de 2020

 

O novo catálogo apresenta mais um fabuloso novo navio, tecnologicamente avançado, que vêm juntar-se ao “MSC Grandiosa”, que inaugurará no dia 9 de Novembro próximo. 

A bordo do novo “MSC Virtuosa”, os hóspedes poderão desfrutar do melhor conforto e de inovações inauditas na indústria dos cruzeiros. 

Como já acontecia a bordo do “MSC Bellissima” (e, em breve, do MSC Grandiosa), o 18º navio da MSC Cruzeiros contará também com a assistente pessoal ZOE, do programa MSC for Me, com características ainda mais inovadoras, nos cruzeiros pelas mais espectaculares jóias do Mediterrâneo Ocidental na sua temporada inaugural.

Previsto inaugurar, num evento cheio de estrelas internacionais, em Novembro de 2020, o MSC Virtuosa será o segundo navio da classe Meraviglia-Plus, que sucede à Classe Meraviglia (o seu “navio-irmão”, “MSC Grandiosa”, abriu as hostilidades nesse sentido), oferecendo ainda mais espaços públicos, restaurantes e entretenimento inigualável, com dois espectáculos do Cirque du Soleil at Sea, criados exclusivamente para o seu lounge high-tech, onde é possível saborear uma experiência gastronómica incrível. 

Os viajantes em Experiência Aurea poderão aproveitar todas as vantagens do horário livre para as suas refeições e do consumo ilimitado de bebidas.

 

Cinco navios da nova geração

 

Com cinco novos navios de próxima geração a navegar no Verão de 2020, a MSC Cruzeiros vais disponibilizar espectaculares 64 itinerários, com 103 vibrantes portos de escala em 38 inesquecíveis países, por todo o mundo. 

Estarão disponíveis 11 navios ao dispor dos viajantes a navegar pelo Mediterrâneo, incluindo o tão aguardado “MSC Grandiosa” e ainda 4 navios a fazer itinerários de 7 a 21 noites no Norte da Europa.

Outro destaque irá para o novo itinerário do MSC World Cruise, com partida no dia 05 de Janeiro de 2021. 

A bordo do MSC Poesia, poderá conhecer os mais exóticos lugares, com inúmeras pernoitas, de países fascinantes como Curaçao, Aruba, Colômbia, Costa Rica, Nicarágua, Guatemala, México, EUA, Samoa, Fiji, Nova Zelândia, Austrália, Papua Nova Guiné, Filipinas, Taiwan, Japão, Coreia do Sul, China, Hong Kong, Vietname, Singapura, Malásia, Sri Lanka, para além dos Emirados Árabes Unidos, Omã, Jordânia e ainda o melhor do Mediterrâneo, num cruzeiro de 118 noites inesquecíveis.

 

Saídas de Lisboa e Funchal

 

Relativamente aos itinerários, outro grande destaque vai para a série de cruzeiros com saída e chegada a Lisboa e ao Funchal em Setembro e Novembro de 2020, a bordo do “MSC Splendida” e do “MSC Poesia”, respectivamente, que possibilitará aos portugueses viajarem à porta de casa, sem necessidade de voos. 

Os Cruzeiros Portugueses também merecem destaque com a Grand Voyage do “MSC Divina” com partida de Lisboa e com destino a Miami em Janeiro de 2021, ou o cruzeiro de 13 dias com partida (Outubro 2020) e chegada ao Funchal, depois de passar pelas maravilhas do Mediterrâneo Ocidental.

Mas ainda há a parceria com a CP – Comboios de Portugal, para partidas e/ou chegadas a portos nacionais, que oferece vantagens aos clientes MSC Cruzeiros nas viagens de Alfa Pendular ou Intercidades até Lisboa. 

A CP concede um desconto de 15% relativamente aos preços das tabelas simples em vigor na CP, aplicado às viagens nos comboios de serviço Alfa Pendular (nas classes Conforto) e Intercidades (1ª do Serviço Intercidades). 

Os bilhetes poderão ser adquiridos nas bilheteiras das estações e nas agências de viagem com venda de cruzeiros da MSC Cruzeiros.

Alojamento Local perto do meio milhão de dormidas de Janeiro a Julho

Alojamento local - placaNa Região Autónoma dos Açores, no mês de Julho, o alojamento local registou 143,4 mil dormidas, representando um acréscimo homólogo de 35,8%, revelou ontem o SREA. 

De Janeiro a Julho de 2019, no alojamento local registaram-se 494,5 mil dormidas, valor superior em 50,7% ao registado em igual período de 2018.

De Janeiro a Julho, os residentes em Portugal atingiram cerca de 152,7 mil dormidas, correspondendo a um acréscimo homólogo de 36,2%; os residentes no estrangeiro atingiram 341,8 mil dormidas, registando um aumento em termos homólogos de 58,2%.

Neste período registaram-se 142,5 mil hóspedes, apresentando uma taxa de variação positiva de 53,1% relativamente ao mesmo período de 2018. 

De Janeiro a Julho a ilha de S. Miguel com 342,6 mil dormidas concentrou 69,3% do total das dormidas, seguindo-se a Terceira com 49,9 mil dormidas (10,1%), o Pico com 36,4 mil dormidas (7,4%) e o Faial com 34,3 mil dormidas (6,9%).

O SREA explica que o inquérito ao alojamento local foi realizado entre 2014 e 2017 pela DR do Turismo. 

Em 2018, a recolha foi realizada em conjunto pelo SREA e pela DRT, tendo sido transferida gradualmente para o SREA. 

Os dados com referência ao mês de Outubro e seguintes são integralmente recolhidos pelo SREA, resultando num aumento significativo da taxa de resposta. 

De Janeiro a Julho de 2019, a taxa de resposta alcançou os 95%, pelo que uma análise comparativa dos apuramentos de 2019 com os de 2018 terá que ter sempre isso em atenção, pelo motivo de neste inquérito não haver tratamento de não respostas.

 

Obras de reabilitação aumentaram 47% nos Açores no 2º trimestre

edificios licenciados 19No 2º trimestre de 2019 foram licenciados 5,8 mil edifícios em Portugal, correspondendo a um acréscimo de 0,5% face ao 2º trimestre de 2018 (+13,3% no 1º trimestre de 2019).

Do total de edifícios licenciados, 68,8% eram construções novas e, destas, 77,0% destinaram-se a habitação familiar.

Os edifícios demolidos (575 edifícios) corresponderam a 9,9% do total de edifícios licenciados no 2º trimestre de 2019.

As regiões da Área Metropolitana de Lisboa e do Norte foram as únicas a apresentar uma variação homóloga positiva no número de edifícios licenciados: +8,0% e +2,3%, respectivamente. 

As restantes regiões do país apresentaram variações negativas face ao mesmo período do ano anterior, com destaque para o Algarve (-10,7%) e para a Região Autónoma dos Açores (-8,2%).

O número de obras licenciadas para construções novas em Portugal cresceu 1,5% face ao 2º trimestre de 2018, enquanto as obras de reabilitação decresceram 12,5%. Face ao trimestre anterior, o licenciamento para construções novas decresceu 6,3% enquanto as obras de reabilitação diminuíram 10,9%.

Licenciamento para construções novas aumentou nos Açores

 

O licenciamento para construções novas, apresentou variações positivas em relação ao mesmo período do ano anterior as seguintes regiões: Área Metropolitana de Lisboa (+17,1%), Região Autónoma dos Açores (+1,7%) e Alentejo (+0,3%). 

As restantes regiões apresentaram variações homólogas negativas, com destaque para o Algarve (-10,1%).

Quanto ao licenciamento para reabilitação de edifícios, a Região Autónoma da Madeira apresentou uma variação nula, enquanto todas as restantes regiões apresentaram variações homólogas negativas, com destaque para o Norte (-20,7%).

 

Mais habitação familiar na Região

 

No 2º trimestre de 2019 foram licenciados 5,3 mil fogos em construções novas para habitação familiar, o que corresponde a uma diminuição de 1,1% face ao 2º trimestre de 2018 (+32,5% no 1º trimestre de 2019). 

Apresentaram uma variação negativa neste indicador as regiões do Algarve (-47,8%), Norte (-8,3%) e Centro (-3,6%). 

Todas as restantes regiões apresentaram variações homólogas positivas com destaque para a Região Autónoma dos Açores (+83,7%) e para a Região Autónoma da Madeira (+79,4%).

Em Portugal, no 2º trimestre de 2019, observou-se um decréscimo de 4,4% na área total licenciada, em termos homólogos. 

As regiões do Alentejo, Região Autónoma da Madeira e Área Metropolitana de Lisboa apresentaram variações homólogas positivas nesta variável: +9,1%, +8,3% e +5,0%, respectivamente. As restantes regiões apresentaram variações negativas, destacando-se o Algarve (-18,9%).